VAR: derrotou, mas não matou!

Spread the love

Por: Jéssica Silva

A insatisfação da Massa tem acontecido com frequência por ver o Galo jogando mal, sem aparentar preocupação com resultados ruins e com uma postura de time pequeno. No entanto, ontem foi diferente. O “super time” do clube do lado de lá não foi tudo isso que pintaram a semana inteira, tampouco colocou medo em alguém por aqui. Na verdade, precisaram de ajuda alheia para conseguir uma vitória simples.

A teoria de que alguns jogadores estavam fazendo corpo mole para derrubar Levir Culpi do cargo de treinador do Atlético passou a fazer muito sentido após o clássico. Diferente do que se viu nos últimos jogos, ontem o Galo teve a postura de quem almejava vencer, sem se inibir pelo favoritismo dado ao adversário!

Imagem: Atlético

As limitações atleticanas ainda existem, isso não se resolve do dia para a noite, mas não houve uma disparidade absurda entre a atuação do rival e a nossa, que foi a tecla onde muitos bateram antes da partida, na realidade, falta de sorte e erros grotescos de arbitragem foram os fatores que nos tiraram a vitória. O Galo não fez uma partida omissa, não foi inferior ao rival em nenhum momento, mas foi amplamente prejudicado em lances importantes que decidiram o jogo.

Pênalti claro de Dedé em Igor Rabello, cobrança de escanteio do rival que acabou em gol quando o correto seria tiro de meta, jogador metendo a mão na bola (vôlei?!) para fazer um gol sem levar cartão amarelo foram alguns lances ignorados pelo árbitro, aparentemente com a pior das intenções. Não há time empenhado que resista à uma equipe que vem munida de um homem a mais com o apito na boca e um árbitro de vídeo, ambos mal intencionados.

 

O erro mais inaceitável do clássico no Mineirão foi o lance em que o zagueiro rival puxou Igor Rabello pela camisa, dentro da área. Na minha cidade, isso se chama PÊNALTI ESCANDALOSO, daqueles que nem de longe podem ser relevados. Coincidentemente ontem, a favor do time adversário, esse pênalti claro foi ignorado descaradamente. Ser derrotado no futebol tudo bem, não agrada, mas faz parte da disputa. Porém, ser prejudicado por profissionais mal preparados, agindo na malandragem para beneficiar o que dizem ser um “baita time” é difícil de engolir.

Em qualquer queda simples de jogadores vestidos de azul, os atleticanos eram prontamente repreendidos pelo juíz. Em contrapartida, o Galo via seus lances que poderiam acabar em gols sendo interrompidos por faltas que passavam despercebidas pelo senhor com o apito na boca, que parecia ter levantado da cama de manhã com o objetivo de prejudicar o Atlético.

Durante o jogo no Mineirão ficou claro que o rival não é tudo isso. É mais bem treinado que o Atlético (hoje em dia quem não é?), tem mais opções dentre suas peças, um treinador de longa data no comando da equipe e um esquema tático definido, porém, no mano a mano, não se impôs sobre o Galo e também não mereceu a vitória, já que se absteve de jogar e teve mais sucesso na mão grande que com a bola no pé.

Os desentendimentos entre as equipes dentro de campo foram muitos, mas o prejudicado ao fim de tudo era sempre o Galo. Se o árbitro de vídeo existe para impedir qualquer erro que possa interferir no resultado de uma partida, mas depende da interpretação do juíz que, no caso do jogo de ontem, estava mal intencionado, o objetivo de diminuir resultados injustos não será facilmente alcançado. Além disso, qualquer lance que cause dúvida deveria ser analisado pelo VAR, já que muitos deles passam batidos, prejudicando o andamento da partida.

Não se trata de culpar a arbitragem pelo insucesso do Galo para desviar o foco da derrota, mas se os erros acontecem eles devem ser apontados para que os nossos direitos sejam devidamente reivindicados. A Federação Mineira de Futebol precisa ser cobrada, o Atlético não pode simplesmente abaixar a cabeça e aceitar uma derrota que não aconteceria em outras circunstâncias, já que os pontos altos do time rival no jogo foram proporcionados pela arbitragem, não por seus jogadores. O problema é que temos uma diretoria omissa, um presidente que mais fala besteira que age em prol do clube e esperar alguma atitude decente de Sette Câmara é otimismo demais.

Clássico é guerra, jogo de vida ou morte, independente de qual seja o objetivo.
Ver o Galo com mais sangue nos olhos e usando de inteligência para encarar o adversário ameniza o resultado final, que pode facilmente ser revertido no jogo da volta. O Atlético tem totais condições de construir uma vitória simples, ou até mais do que isso, e ficar com a taça do Campeonato Mineiro honestamente, sem a ajuda de terceiros.

Na volta, não teremos Adilson, expulso nos minutos finais. O real motivo da expulsão até agora não está claro, mas o Galo faz bem se encarar isso como uma vantagem. O volante fez mais uma partida ruim, errou muitos passes e deu alegria aos adversários, sendo assim, sua ausência deve ser comemorada. Reforço atleticano!

A expectativa para o jogo da volta é ver o Galo jogando pela vida, indo até o fim, acreditando em cada bola, se aproveitando de cada lance e perseguindo cada chance, por menor que ela seja. Jogador rival não é amigo, pelo menos não em campo. O objetivo de ambas as partes é o mesmo, mas a taça não pode ser levantada pelos dois times, sendo assim, que ela fique conosco. Para isso, qualquer um vestido de azul deve ser encarado como inimigo dentro das quatro linhas, e cabe ao Atlético ir para cima, pressionando o adversário que dificilmente saberá como segurar a pressão, levando em consideração sua postura ontem. Se o Galo construir uma boa vantagem ao longo dos 90 minutos, as atuações maldosas da arbitragem não deverão interferir no resultado final novamente.

A Massa sempre se fará presente, em qualquer lugar. O Mineirão é a nossa casa, já que a torcida atleticana é a única que dá alegria à arquibancada do Gigante, mas o rival também se sente a vontade jogando por lá. Aposentar o Independência não seria uma decisão ruim, mas para essa final jogar no Horto pode fazer diferença, já que o segundo time de Belo Horizonte não tem tanta familiaridade assim com a nossa segunda casa. Qualquer vantagem que o Galo tiver para jogar essa final deve ser aproveitada – honestamente, ao contrário do que se faz do lado de lá, e usar a injustiça cometida ontem como combustível para inflamar os jogadores atleticanos também pode dar muito certo.

Que o Galo consiga repetir boa parte do que fez no jogo de ida, que jogue sem covardia, de igual para igual contra um adversário que dizem ser muito melhor, mas que no fim das contas não fez mais que tumultuar o que poderia ser um jogo digno da rivalidade que há em Minas Gerais.
Derrotados, não mortos.

Ficha técnica: cec-MG  2 x 1 Atlético

Motivo: ida da final do Campeonato Mineiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 14 de abril de 2019 (domingo)
Horário: às 16h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Michael Correia
Árbitro de VAR: Bruno Arleu de Araújo

Gols: Marquinhos Gabriel – 45’/1ºT (1-0); Ricardo Oliveira – 10’/2ºT (1-1); Léo – 15’/2ºT (2-1)

Cartão amarelo: Fred, Henrique, Lucas Romero, Edilson, Marquinhos Gabriel e Rafinha (Crüzeiro); Luan, Ricardo Oliveira, Fábio Santos, Adilson, Leonardo Silva, Victor (Atlético)

Cartão vermelho: Rafinha (cec-MG); Adilson (Atlético)

cec-MG:
Fábio; Edilson, Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Romero (Ariel Cabral), Robinho (Rafinha) e Rodriguinho (Pedro Rocha); Marquinhos Gabriel e Fred.
Técnico: Mano Menezes.

Atlético:
Victor; Guga, Leonardo Silva, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson, Elias, Juan Cazares (Vina) e Luan (Maicon Bolt); Chará e Ricardo Oliveira (Geuvânio).
Técnico: Rodrigo Santana (interino).

 

ASSISTA NOSSO PÓS JOGO: https://www.youtube.com/watch?v=eKxdvmxzSXw

 

Angel Baldo

Mineiro de nascença, Paulista de criação! Fanático pelo Galo e pelo Fala Galo! Apaixonado pela minha família e Deus, o resto é mimimi!

17 comentários em “VAR: derrotou, mas não matou!

  • 15 de abril de 2019 em 07:54
    Permalink

    Bom dia,

    Ontem ficou bem claro algumas coisas, primeiro foi o quanto tempo foi perdido com o Levi Culpi como treinador.
    Em duas conversas o interino conseguiu mudar o esquema tático e efetuar trocas durante o jogo que foram necessárias e outras que mudou a cara do time.
    Ponto negativo foi a manutenção da dupla de volantes, porém, não dá para sair mudando tudo em duas conversas.
    Com relação ao jogo ficou claro que o Luan com todo esforço só tem capacidade de 45 minutos de jogo no mesmo nível técnico, os minutos restantes ele se arrasta.
    Victor já era, está indo ao fundo do poço, o primeiro gol ele já havia caído assim que o atacante posicionou para chutar, veja bem, quem o defende faço o seguinte desafio, assista a duas últimas rodadas de todos os times do Brasil e veja se encontra pelo menos um gol igual aos últimos que ele tomou, falta explosão para mudança de posição, é como bosta mole, caiu grudou, aff.
    Cazares é outro que precisa rapidamente ser negociado, enquanto vale alguma coisa, o Vinícius errou uns dois passes perigosos, mas, ajudou na marcação e fez o passe da infiltração do primeiro gol, com ele, Cazares, em campo jogamos com menos um porque não marca ninguém, e ontem, não jogou o suficiente para sabermos se era dia de Cazares ou se ele ainda permanecia dormindo.
    Chará mostrou muita vontade, se movimentou bem e infelizmente errou um gol do inacreditável FC,
    Geovânio no um por um será importante para o time.
    Igor Rabello fez seu melhor jogo, e em contra partida o Leo Silva caminhando para aposentadoria.
    Com ou sem VAR a juizada quando está mal intencionada ninguém segura, lateral que não dão, inverte marcação de escanteio, gol que anulam devido a mão na bola e comemoração efusiva que demonstrava claramente a intenção de ludibriar a arbitragem, e nada de cartão, acabam o jogo para o VAR não poder interferir no jogo e dar pênalti, resumindo, é uma várzea.
    Poderia apesar de tudo ter sido pior, um time combalido como o nosso depois da surra de quarta, ainda conseguiu sair do jogo com resultado melhor do que as marias no ano passado, agora é termos a mesma determinação para reverter o resultado.
    Novo diretor, ponderado e mesmo assim não deixou de reclamar e demonstrar o descontentamento com a arbitragem.

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 08:36
    Permalink

    Bom dia!
    Galo foi garfado escandalosamente pelos operadores do VARgabundo!

    Victor tá engolindo tudo!

    Elias…quando foi a última vez que o Galo ganhou um jogo importante com esse sujeito em campo?

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 08:41
    Permalink

    Bom dia amigos do Galo. Pelo que estou acompanhando, o NOSSO GALO foi o primeiro clube a ser prejudicado pelo VAR, até então as avaliações do VAR vinham sendo aceitas pela mídia e pelos clubes. O que vai acontecer agora, os membros do VAR serão afastados? Se pela transmissão da tv foi possível ver claramente o pênalti e o lance do escanteio, como o bandeirinha que estava ao lado não viu?
    O resultado de ontem foi injusto, o time mostrou outra postura em campo.

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 09:09
    Permalink

    VAR: Vamos Ajudar a Raposinha

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 09:27
    Permalink

    Bom dia!

    Jessica parabéns pela postagem, você foi cirúrgica na sua análise. Fica o sentimento de que é possível tirar algo mais deste time tão limitado. Preocupa-me apenas que isto não seja apenas uma reação ao momento de grande pressão, com as cobranças de nós torcedores. Podemos até ganhar o campeonato mineiro, mas mudanças ainda tem que ocorrer, há jogadores que não merecem mais permanecer no galo, temos uma diretoria que anda batendo cabeça o tempo todo e o rumo tem que ser ajustado para que o ano não seja uma total decepção. Temos que ficar ainda mais vigilantes!

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 09:36
    Permalink

    Como pode um meio de comunicação deixar espaço para um psicopata (isso mesmo) fazer comentários a respeito de um jogo de futebol? Por essas e outras (da grande mídia) é que nosso país está uma porcaria. A grande maioria alienada e se formando pelo zap zap e pelas notícias tipo JN da globo. TOMA VERGONHA NA CARA GALINÁCEO.

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 11:12
    Permalink

    Victor esta igual aquele goleiro Ronaldo do Corinthians em final de carreira, ficava mais deitado do que em pé, e a cada gol sofrido levantava os braços e dava bronca nos zagueiros.

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 11:14
    Permalink

    Esses comentaristas cretinos e SmallZeirenses da Itatiaia podem aguardar, eles são de uma geração que não sabem que nos anos 1970 o saudoso Oswaldo Faria durante uma semana chamou o presidente Valmir Pereira de irresponsável por anunciar que colocaria o time B para enfrentar o SmallZeiro naquela semana por causa de excursão, no jogo empatamos e Valmir Pereira respondeu “É sinal que o nosso time não é tão desgraçado assim” em seguida cortaram a entrevista, o time de garotos tinha Marcio Paulada, Alves, Ângelo, Heleno, Danival e João Leite. SmallZeiro nunca será favorito e sempre treme contra o GALÃO DA MASSA. Para começar é bom que a Diretoria não aceite VAR, o resto é com a MASSA.7

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 13:59
    Permalink

    O futebol brasileiro já está uma vergonha, não bastasse a inoperância dentro das quatro linhas, agora aparece este tal de WAR que não vale nada, ou melhor, vale muito para atender somente um dos lados, ou seja, atitudes parciais. Ao meus ver todos os lances duvidosos, após o gol, deveriam ser revistos em câmera lenta, pelo árbitro em uma TV à beira do gramado, antes de dar reinício ao jogo. Em hipótese nenhuma utilizar árbitros de estúdio, somente profissionais técnicos em transmissão, responsáveis pela preparação da imagem para o juiz rever dentro do campo. Assim acabaria com as possíveis parcialidades. Do jeito que está funcionando o tal do WAR, não pode continuar. Deixa os absurdos só para nossa classe política.

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 14:08
    Permalink

    Prezados Jessica e Atleticanos, não vou contra o otimismo de parte da torcida para o jogo de volta contra os azuis, mas já tenho motivos de sobra para ter a certeza que o Atlético somente irá melhorar e tomar rumo a conquista com outra diretoria e elenco. Os atuais jogadores e Diretoria não lograram resultados além de um ou outra partidinha razoável dentre várias. A necessidade urgente de mudanças mais radicais em diretoria e elenco. Saudações Atleticanas

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 14:34
    Permalink

    Por estas reportagem que o atlético será sempre pequeno, sem,pre tentando esconder atras de arbitragem. Não houve nada de escandaloso ontem, no lance reclamado penalti, havia vários jogadores do atlético em impedimento, isso não foi falado, todo mundo viu mas para proteger o queridinho não mostram.

    Resposta
    • 15 de abril de 2019 em 15:17
      Permalink

      Concordo, sempre escondendo os erros e fragilidades atrás de roubo de juiz. Se o escanteio fosse uma bola fora, ninguém estaria reclamando. Não tem VAR para escanteio. Juiz errar numa bola de linha de fundo é normal. O Fred não pôs a mão na bola. Infelizmente não é possível amputar a mão ao cabecear. Fanatismo deixa a pessoa cega. Você acha que ele queria bate a mão na bola? seria gol válido, se não batesse na mão. A verdade é que o Cruzeiro passeou em campo. Várias chances de matar o jogo. Podemos perder o título sábado? podemos, mais o Atlético vai ter que jogar muita bola. Rodriguinho, Robinho e Fred não foram bem ontem, porém não costuma ir mal em dois jogos seguidos.

      Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 15:37
    Permalink

    Boa tarde massa. Para mim 2×1 foi pouco depois de vários péssimos jogos que o galo fez.alias equipe que tem jogadores velhos e cansados vão ganhar jogo.victor frangueiro já passou a hora de aposentar. Elias e Fábio Santos são os piores do galo.adilson e Ricardo Oliveira simplesmente peladeiros. Repito se não tirar estes podres do time vamos ficar mas 40 anos sem ganhar um título importante. Outra cagada da diretoria tomou outro não do sampaoli treinador do santos. Não teremos único jogador que tem raça na equipe Luan está contudido. O cachazares não faz falta nenhuma. Triste realidade. Triste 2019.diretoria amadora tira nosso galo da lama. Caro blogueiro não tem como deletar as Marias caloteiras e tremedeira deste blog. Vai galooo.

    Resposta
    • 15 de abril de 2019 em 16:15
      Permalink

      Eu acho que esse Joaquim é Maria treme treme

      Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 17:22
    Permalink

    VOLTA PATRIC, O GUGA É PIOR DO QUE VOCÊ.

    Resposta
  • 15 de abril de 2019 em 20:52
    Permalink

    Com esse atual elenco do time do GALO , se não for feita uma grande REFORMULAÇÃO no elenco , O ANO DE 2019 estará irremediavelmente perdido.
    O GUGA é tão fraco que muitos já pedem a volta de PATRIC.
    ELIAS , parece que nem está em campo devido a sua inoperância.
    VAMOS GANHAR ESSE MINEIRO E EXIGIR AS MUDANÇAS.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *