Sofrido: Galo avança na Libertadores

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sofrido: Galo avança na Libertadores

Eu não sei que mania é essa que o Galo tem de complicar o que é simples. Às vezes me pego pensando que uma das cláusulas do contrato de cada jogador atleticano diz que ele tem a obrigação de contribuir para todo o sofrimento que nos acompanha há anos e anos.
Hoje de manhã minha rua estava pintada de preto e branco. Meus vizinhos, como bons atleticanos que são, vestiram o manto sagrado e o objetivo era exibido em uma só frase: “hoje é dia de passar por cima, hein?!”.
Quando o Galo saiu na frente já no primeiro tempo e enlargueceu o placar rapidamente, cheguei a pensar que o objetivo seria alcançado, que passaríamos mesmo por cima, que seria fácil… Acontece que o atleticano que espera facilidade sempre se decepciona no fim das contas e isso está muito longe de ser apenas “poético”.
Aos 14 minutos do primeiro tempo Luan, nosso maluco declarado, abriu o placar e fez explodir o Independência. Aos 25, Ricardo Oliveira deu bela arrancada e só foi parado por Cristóforo com pênalti. O próprio camisa 9 foi para a cobrança e fez 2×0 para o Galo. O que estava bom ainda podia melhorar, e melhorou: aos 27 minutos, o Bom Pastor deixou mais um após receber belo passe de Cazares e fintar o goleiro adversário. Galo 3×0 e classificação na mão, certo? Errado.
O Danubio não veio ao Independência para assistir ao jogo. A estratégia do treinador uruguaio, Marcelo Méndez, era colocar o seu time para frente. Com uma marcação alta, o visitante nos deu espaço para construir um belo placar e fazer um primeiro tempo quase impecável e o “quase” eu coloco na conta de Patric. Boa parte do que acontece em campo não é somente físico, mas também psicológico. Se o Danubio vai aos vestiários com a parcial derrota acachapante de 3×0, dificilmente voltaria para a etapa final com alguma esperança, mas nosso lateral direito titular absoluto fez questão de reacender o ânimo do time uruguaio em um lance totalmente desnecessário. Aos 43 minutos, Patric fez pênalti em Onetto. Grossmüller foi para a cobrança e marcou, dando uma sobrevida ao Danubio.
Por ter sido amarelado no lance do pênalti, Patric foi substituído por Guga e é exatamente aí que está o problema. Guga não deveria ser uma segunda opção, um improviso. Não deveria ter entrado em campo só porque não poderíamos correr o risco de ficar com um a menos. Guga deveria, por questões óbvias, ser o dono da lateral direita do Atlético. Levir, como todos os outros treinadores que trabalharam com Patric, erra em dar mais confiança a ele do que seu futebol merece. Insistir em Patric já nos fez passar por poucas e boas e um dia pode ser que custe caro.
O gol marcado pelo Danubio no primeiro tempo fez o Galo voltar ao jogo completamente desligado. O famoso “passar por cima” nem de longe passava pelas nossas cabeças e os gritos de “eu quero é raça do time todo” nunca fizeram tanto sentido.
O Atlético permitiu ao time uruguaio se enxergar maior do que realmente é. O Danubio acreditou numa possível reação, e já que não conseguia penetrar a área atleticana, decidiu arriscar de longe e foi aí que o sofrimento começou. Pablo Siles mandou uma bomba de fora da área e Victor não foi capaz de segurar. Mais um gol e o Danubio iria à terceira fase da Libertadores, deixando o Galo para trás.
Se não for sofrido… Você já sabe. A questão é que se o sofrimento acontece durante uma partida bem jogada, sem displicência alguma, aceitar o caminho árduo é mais fácil. Hoje o Galo fez por merecer toda a dificuldade que encontrou durante os últimos 45 minutos e por motivos que são velhos conhecidos por aqui. Temos jogadores dedicados e que vêm fazendo a diferença, como Cazares e Ricardo Oliveira. Luan também fez um ótimo primeiro tempo, contribuindo para o ritmo acelerado do time. Porém, os erros frequentes vêm sempre dos mesmos jogadores e das escolhas infelizes de Levir Culpi. Patric definitivamente não está à altura de ser o lateral direito titular do time do Atlético. Fábio Santos nunca vai se esforçar para dar o seu melhor enquanto não tiver uma sombra para ameaçar sua posição. Levir Culpi nunca fará boas escolhas enquanto se deixar levar pela teimosia de achar que substituição se faz somente no apagar das luzes, e também não terá sucesso ao substituir chamando o adversário para cima, complicando ainda mais o que já está complicado.
Hoje o Danubio não teve time para fazer o gol que lhe faltava, amanhã ou depois uma outra equipe mais qualificada pode nos tirar uma vitória, uma vaga em uma decisão, um título. O jogo dessa terça-feira não era um jogo de meio termos, o único resultado aceitável seria passar por cima. Sem falsa modéstia, o Galo tinha time para amassar o Danubio e não sofrer nem por um minuto, mas se apequenou diante de muito pouco, influenciado por más escolhas do treinador alvinegro. Elias foi substituído por Zé Welison, Luan por Maicon Bolt. Com ambas as alterações, o Galo perdeu de vez o meio de campo e nos fez sofrer cada maldito minuto até que o árbitro apitasse o fim da partida.
Um time sem grandes trunfos, sem tanta qualidade e desacreditado por seu próprio treinador foi uma pedra no sapato do Galo e isso é preocupante. Se quando tem condições de fazer um grande placar e jogar tranquilamente o Atlético passa por isso, o que acontecerá quando o time de Levir Culpi estiver frente a frente com desafios de verdade?! Ainda estamos no começo da temporada, então há tempo de separar os meninos dos homens, e isso se aplica a quem fica na beira do campo também.
Na coletiva pós-jogo o “Burro com Sorte” acusou o calendário como culpado das displicências do seu time, o que parece piada. O Atlético está disputando a pré-libertadores porque errou também na temporada passada, não conseguindo se classificar diretamente à fase de grupos. O planejamento para 2019 foi feito contando com o que o clube vive hoje, portanto, preguiça e má escalação não podem ser justificadas com calendário apertado.
Estar acostumado com sofrimento, defesas impossíveis e gols no último minuto não pode ser motivo para que o torcedor aceite jogos como o da noite passada. Nem todo caminho que é trilhado a trancos e barrancos termina com título após disputa de pênaltis. É preciso raça, comprometimento e malícia para aproveitar as oportunidades que tem e o Galo não tem feito isso. É claro, fica a alegria pela vaga na terceira fase da Copa Libertadores da América, a premiação de R$3,8 milhões de reais e o alívio de não ter que passar pelo vexame de deixar a competição antes mesmo de entrar. No mais, a preocupação acompanha a euforia de hoje. O termo “estou feliz e p*to” resume bem o que passamos para chegar até aqui. Saber que se não for sofrido não é Galo é poético, nosso lema, mas dadas as circunstâncias da última partida, foi totalmente desnecessário e assustador.
Na próxima fase, o Galo enfrenta o vencedor do duelo entre Defensor x Barcelona de Guayaquil. Por estar mais bem colocado no ranking da CONMEBOL, decidirá em casa. Mais uma chance para o Atlético mostrar serviço, jogar bola de verdade e para Levir Culpi promover mudanças no time titular, a fim de jogar com o que tem de melhor, sem dar privilégios e cadeiras cativas a quem não merece.

Sigam o @falagalo13 nas redes sociais, inscrevam-se no canal do Fala Galo no YouTube e ativem o sininho: www.youtube.com/channel/UCTvyZuW5pOsz9q5wCefRsrg

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

29 comentários em “Sofrido: Galo avança na Libertadores

  • 13 de fevereiro de 2019 em 08:36
    Permalink

    Texto perfeito!!!!! Mudanças tem de ser feitas rapidamente com cortes nevrálgicos e sem melindres!!! Patrick, Elias e F.Santos não dão mais…aliás, nunca deram, a não ser aos olhos do nosso piadista de plantão! Se o Galo vai passar de fases no torneio eu não saberia dizer, estaria mais no campo da profecia. Mas pra mim, Levir não tem perfil para Libertadores… ficou atônito ao lado do campo enquanto o Danúbio crescia e mordia meu Galo. Pra variar e piorar, recuou o time, pois estava ganhando né!! Que preguiça tenho desta atitude, em especial utilizada com frequência pelo nosso técnico.
    Vamú Galo!!!!!!!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 08:49
    Permalink

    Esse jogo escancarou nossas limitações, e podemos tirar algumas conclusões claras: Guga tem que ser titular, Fábio Santos tá uma bosta a um tempão e não tem substituto, Adilson e Elias não podem jogar juntos, Chará não estreou até hoje, investiram 26 milhões no Chará e ele tá um zero a esquerda, Ricardo Oliveira tá jogando muito, espero que seja assim o ano todo pois no segundo semestre do ano passado ele morreu.
    Enfim o Levir tem que mexer e acertar logo esse time, pois a dificuldade vai ser maior, demos sorte de pegar o Defensor que é muito inferior ao Barcelona de Guayaquil que só foi eliminado porquê foi punido, venceu as duas partidas.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 08:51
    Permalink

    Bom dia Atleticanos! Ontem a historia se repetiu: jogo sofrível diante de adversário sem qualificação ou grandes aspirações, como tal foi em 2018.
    O Atlético mudou peças, mas não o suficiente para agregar um pingo de qualidade ao elenco. A falta de capacidade do time do Galo em enfrentar um time limitadíssimo tecnicamente, que demonstrou empenho e raça, ficou mais uma vez escancarada. A má impressão do primeiro jogo lá em Montevidéu realçou-se com seu alto esplendor, ontem no Independência. Parece que o time do Atlético só tem capacidade para jogar futebol por poucos minutos e o restante da partida o time cai no show de horrores da falta de técnica, falta de organização, falta de empenho de parte de alguns jogadores, perda de rendimento físico, burradas de treinador e erros grotescos de alguns jogadores.
    O time titular não enche os olhos de ninguém, e as opções do banco de reservas são aterrorizantes.
    Por outo lado, vemos a gestão do Clube parecer perdida: não conseguiu montar um time razoável, contratou-se mal e ainda se afunda em problemas financeiros. Então fica as indagações:
    como, com toda paixão e amor ao Clube Atlético Mineiro, a torcida pode acreditar em conquistas de alguma coisa em 2019? como ter confiança nesse elenco tão limitado? Como crer na capacidade de uma diretoria que ainda não deu um sinal de melhora da situação administrativa, esportiva e financeira do Clube? Será 2019 a continuidade de 2018?

    Resposta
    • 13 de fevereiro de 2019 em 11:10
      Permalink

      Bom dia caro Afrânio!
      Vamis acreditar em conquistas de um time que toma quatro gols do poderosíssimo Danúbio? Esse time mais se parece com alguns timeds do intetior de Minas que dusputam o mineiro.
      Nada mudou no CAM. A mentalidafe é a mesma.
      O que esperar de um time que tem Patrick como titluar? Atualm9ente osrte da imprensa e até esse blog, tentando nos convencer que o Cazares é um craqye, e será o homem para decidir jogos. Logo o “vaga lume” Cazares!
      O único time “melhorzinho” que enfrentamos esse ano foi o Cruzeiro e a partida dispensa novos comentários. Não ganhamos. Até o momento ganhamos partidas de times sem qualquer expressão.
      Até o momento 2019 esta sendo um vídeo tape de 2018!
      Será que não enxergam que além de não termos elenco, não há mentalidade vencedora nessa equipe e DIRETORIA!
      Quando se fala em quebra de recorde de público no gigantinho do horto, é risível!
      TORCERSEMPRE SEM NUNCA PERDER A CAPACIDADE DE JULGAR

      Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 09:05
    Permalink

    Bom dia!
    Você foi bem no seu comentário até ao ponto em que você fez o mesmo discurso dos péssimos comentaristas da Fox, ou seja, quando atribuiu a piora do time à saída de Elias, como se esse sujeito ajudasse alguma coisa. Muito pelo contrário. Essa porcaria de jogador desde que voltou ao time com a infeliz saída de Blanco, só prejudica o sistema defensivo do Galo. Então, a burrice do treinador vai além de manter o péssimo Patric, mas passa também por manter o péssimo Fábio Santos e o péssimo Elias. Se o Galo colocar dois bons marcadores na volância, o Cazares, que está voando, vai ter muito mais liberdade juntamente com Luan. Infelizmente são poucos que conseguem enxergar isso. Concordo com você que a saída de Luan foi equivocada. Era pra ter sacado o péssimo Chará. Esse é outro que não está valendo o alto investimento. Ontem o José Wellison não entrou bem. Atribuo à fogueira em que ele foi colocado, quando o Danúbio estava se achando. Fator psicológico quando o adversário mostra suas falhas, no caso o Galo que tinha tudo pra massacrar, mas mostrou claramente que seria fácil ser envolvido com os péssimos Patric, Fábio Santos, Elias e Chará em campo. Mas José Wellison e Jair, penso que fariam uma boa dupla na destruição de jogadas adversárias e construção na retomada da bola.
    Se Elias fizesse aquele gol que ele errou na cara e sem goleiro, aí ele seria endeusado pela torcida presente. Foi um horror em campo e ainda saiu aplaudido. Vai entender. É por essas e outras que temos um monte de cocô no elenco.
    Estou acreditando que vamos passar pelo Defensor e até na fase de grupos, mas não dá pra acreditar em irmos muito além disso.
    Victor é sem dúvidas um bom goleiro, mas não pode tomar um gol daquele. O chute foi forte, é verdade, mas de longe e a bola passou entre os seus braços.
    Gosto do Levir, mas ele ainda vai fazer muita raiva em parte da torcida e ainda vai fazer muita pirraça. No próximo jogo da Libertadores, lá estarão eles, Patric, Fábio Santos e Elias!
    Concordo com Levir sobre o Tardelli. É melhor ter os salários dos jogadores em dia, que pagar alto pra um jogador. Entretanto, o Galo não vai pagar 1 milhão pra ter o Tardelli, mas paga 500 mil pra ter o Elias e mais uns 300 mil pra ter o Fábio Santos, e mais uns 300 mil pra ter o Patric….só aí, 1 milhão e cem mil pagando fezes, cocôs, bostas em campo.

    Resposta
    • 13 de fevereiro de 2019 em 10:57
      Permalink

      Bom dia Galo Roberto e amigos do Galo. Parece que a doença é transmissível, o Chará esta jogando como o Elias, perde a bola e fica parado vendo o jogo. Não vamos passar pelo Defensor com Patric, pode ser reserva do Guga, Fabio Santos, finge que marca, vai recuando até o adversário concluir a jogada, Elias, displicente ou indiferente em campo, liberem ele para ir embora, nunca justificou sua contratação.

      Resposta
    • 13 de fevereiro de 2019 em 16:52
      Permalink

      Olá Galo Roberto.Concordo plenamente.o volante(único),as laterais(pessimamente ocupadas) e o miolo da zaga(boa)ficam sempre expostos porque o Elias não ajuda em nada.e nunca sai.ele,patrick e fábio santos só jogam na cabeça dos Levir.em tempo:quem mais se contunde no elenco é sempre um volante.

      Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 09:20
    Permalink

    Bom dia, Galos Doidos!

    Na minha opinião, de positivo ontem ficam as atuações de Cazares, Luan e Ricardo Oliveira. Todos os 3 entraram com fome de bola e acertaram muito mais do que erraram.

    No entanto, infelizmente, aspectos negativos se sobressaíram: Victor não podia tomar aquele segundo gol, Patric fez mais uma Patricada, Guga entrou inseguro demais (to em dúvida se ele não cometeu um pênalty inclusive….), Fábio Santos manteve a sua regularidade pífia, Adilson errando passes de 2 metros e dando botinadas, Elias veio para o jogo?.

    Já Réver, Igor Rabello, Chará, Zé Wellison e Maicon Bolt fizeram o feijão com arroz e só…

    Mas não dá para esquecer do Levir. Inacreditável a sua doentia e burra insistência com o Patric… Não podemos deixar que estes 2 afundem, juntos, o Galo na Libertadores. Reajamos, Massa!!!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 09:55
    Permalink

    Muito bom e esclarecedor texto. Isso é algo que venho falando há tempos com amigos e amigas atleticanas que eu conheço. Displicência é totalmente de cadenciar o jogo.

    Boa parte da torcida do Galo tem culpa no cartório pelas atitudes do time. Coisas como: “ah, mas se não é sofrido não é Galo”, do Levir “vai ter emoção” e ficar no ‘Eu acredito’ depois de estar com um bom resultado debaixo do braço deveriam parar de serem romantizadas pela torcida. Em 2013 foi legal, 2014 foi, mas com sustos, mas já deu.

    Se o torcedor cobra, ele é corneta e se pede apoio. Se apoia, vemos um time preguiçoso e displicente.

    O Galo precisa de meio time para ser contratado e as preocupações ficaram todas em torno de um Tardelli que honrou a camisa enquanto esteve aqui mas sempre colocou o dinheiro acima de qualquer coisa (e não é a primeira vez) mas a torcida do Galo tá ingênua e carente.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 10:25
    Permalink

    Bom dia Fala Galo!
    O que tinha tudo para ser um sucesso, foi uma correria contra o tempo, esses desacertos do Atlético nos perder faz a paciência, tomar dose dupla Engov quem sabe ate um infarte coletivo…
    Preparem o coração Atleticanos Galácticos estamos apenas começando!!!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 10:43
    Permalink

    Foammmm!!!!!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 10:43
    Permalink

    Em vez de falar de atraso de salário esse treinador deveria explicar porque Patric é titular absoluto.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 10:47
    Permalink

    Bom Dia,

    Excelente o texto, mas, concordo o Galo Roberto de Oliveira, foi muito mal fazer menção do Elias como bom jogo.
    Gostaria de dizer que o Luan jogou como no primeiro jogo do ano, será que este ano ele é que se tornará o vagalume da vez, esteve na maior parte do tempo cansado em campo, também injustificado, acho que esse foi o motivo de sua substituição.
    Para o mimizeiros de plantão, que por sinal hoje ainda não apareceram, pergunto: o que acharam do Ricardo Oliveira? Centroavante vive de assistência, confiança e insistência.
    Quanto ao juiz, que diferença entre os internacionais e os mineiros, existe um abismo entre eles, esse foi o melhor amigo nosso, com seu cartão amarelo na mão estava corrigindo as falhas na escalação do nosso técnico.
    Só não foi melhor porque os jogadores entraram em meio do jogo e já pressionados pelo péssimo futebol dos que haviam saído.
    Como todos os Atleticanos, fiquei feliz e puto.
    Espero que isso não seja a nossa sina da vez.
    O que falar do Tardelli, vida que segue e para o bem estar interno do grupo e as finanças do clube, melhor sem ele.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 10:52
    Permalink

    Caros e cara Jéssica,
    Excelente análise…A questão é o time q ñ temos e muitos de nós acreditando q Levir é capaz de comandar, conduzir isso aí, gerenciar ou sei lá o q. Pode ser q eu queime a língua, Levir foi a pior escolha q poderia ter acontecido, a ñ ser q chegasse como em 2014 ao contrário. Pq lá em 14, ele chegou prá desmontar o time do Cuca. Ñ se lembram das brigas com as “estrelas” e o tal “meu time é Emerson Conceição + 10”. Como ganhou a CdoBr na base do “se ñ for sofrido”, parte da torcida esquece. Eu tô aqui prá lembrar… Vejam vcs o recém affaire “Tardelli”, só como exemplo da mediocridade do comédia. Ora, Levir ñ tem q se meter no quesito salário prá vetar ou ñ vetar jogador? Ñ, de jeito nenhum. Levir deve observar as suas funções e poderia vetar “Tardelli” por questões técnicas, táticas, de idade, sei lá o q inventasse. Vai, o nosso Galo quer pagar o ‘pica doce’ e polivalente Paticqre 1 milhão/mês por mais 10 anos (ñ duvidem), o q Levir tem a ver com isso? Nada. O q Levir deve fazer é barrar o cidadão do bem esforçado, por deficiência técnica, tática, apenas isso. Agora pensem bem. Já pensaram se R10 dependesse do aval do burrinho na época? Ter q ir atrás, trabalhar fora da zona de conforto, ter q domar a fera… Ñ pode haver confusão…Levir é um comediante confuso fazendo papel de entregador de camisas e como nossa Companhia tem um comando geral fraco, ele deita e rola…Sigamos o teatro medíocre, mas acho q aquele velho “coro” q todos conhecem em homenagem ao ‘sortudo’ ñ demora e vai comer…
    QUEREMOS O BR19, Presidente 7, ainda é tempo. Nós queremos Acreditar!
    GALO SEMPRE!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 11:46
    Permalink

    Bom dia massa. Tem um ditado se não for sofrido não é Galo,mas contar com menos 3 jogadores na equipe fica mais difícil. A teimosia do Levir ainda vai nos afundar em colocar estes 3 peladeiros. Não iludo com este time. Falta reforços e não temos dinheiro e com salários atrasados assim disse Levir. Passamos para outra fase mais não sei se vamos longe.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 11:57
    Permalink

    Salve massa!

    Duro é olhar em campo e ver Elias, F. Santos e Patrick, o triunvirato da vergonha. Pior ainda é ver no túnel o piadista burro com Sorte bancando estas amebas. E no final das partidas justificando o injustificável. Cair na retranca contra o Danúbio foi o fim da picada. Aliás, o time tomando um vareio e num sufoco danado, e ele com cara de tacho como se tivéssemos dando goleada.

    Té + e FORA ELIAS, FÁBIO SANTOS E PATRICK!!!!

    Resposta
    • 13 de fevereiro de 2019 em 12:54
      Permalink

      Salve Jbhgalo! Adoro seus comentários.
      Infelizmente, parece que tomar sufoco de times nanicos está se tornando um hábito no Galo. E o pior é que esses trouxas que estão “comandando” o Galo acham isso super normal.

      Saudações Atleticanas!

      Resposta
      • 13 de fevereiro de 2019 em 18:05
        Permalink

        Obrigado pelo elogio meu caro amigo. Pena que meus posts ultimamente são somente direcionados a criticar o triunvirato. Tamo juntos

        Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 11:58
    Permalink

    1 – É inacreditável Patrick continuar como titular… Não entendo essa insistência, será que o pênalti desnecessário que QUASE veio a nos eliminar não foi suficiente para enfim ir para a reserva? Levir persiste demais no erro. Muito limitado tecnicamente, a torcida precisa exigir nos jogos, gritar o nome do Guga, faixas, cartazes, porque se depender do técnico ele é titular eterno.
    2 – Elias vem jogando MAL há muito tempo. Não marca, não arma, não se apresenta, só anda em campo, está difícil entender qual sua função em campo, se é que existe uma… Se está insatisfeito, que sente com a Diretoria e exponha a situação, antes agora do que no depois. O Vasco tem um volante muito bom (Desábato) e faria uma boa dupla com o Zé Welisson, sugestão.
    3 – Alô Levir, não tem como manter Fábio Santos no time. Marca de longe, pouco combativo, todas as jogadas foram pelo seu setor.
    4 – A velha displicência, aquela acomodação chata que já conhecemos, VOLTOU. Time com o jogo na mão e sofre aquele sufoco. Falta malandragem, apesar dos muitos experientes. Segura o jogo, troca passes, a melhor forma é ficar com a posse de bola, o Galo ao contrário, deu campo ao adversário. O time ainda mostra-se desorganizado na parte defensiva, especialmente os volantes, que esta semana vejam e revejam este jogo, porque contra um time melhor talvez não tenhamos a mesma sorte.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 12:33
    Permalink

    Terrível! É difícil de acreditar nesse time… Sem inspiração, sem velocidade… Jogando burocraticamente. Diretoria acorda! Tem que contratar, porque se não vai fazer uma péssima temporada. Ninguém aguenta mais Elias, Adilson, Patrick, Fábio Santos. Eles não tem a mínima condições de vestirem a camisa do Galo. Outra pergunta: e esse Chará? Esse é o futebol desse rapaz? Investiram mal demais! Não vejo ele decidir uma partida. Sempre afoito, atabalhoado, errando quase sempre tudo… Inacreditável o investimento nesse jogador! Discordo em pagar uma fortuna ao Tardelli, mas se for pra pagar esses jogadores que não produzem nada, então seria melhor trazê-lo. Veja o FlorminenCe: será que tem mais grana que o Galo? Não vai disputar nada e contratou o Ganso. Não é o jogador que mais agrada, mas poderia dar certo aqui. Temos história em alavancar a carreira de jogadores em baixa. E antes tentar com alguém de qualidade que já demonstrou recursos, que com esses outros: Patrick, Fábio Santos, Elias, Adilson, Chará. A coisa tá tão feia que quando o jogo aperta, não tem ninguém pra entrar, principalmente no ataque. Com esse elenco, Guga e Zé Welison são titulares absolutos! O restante é contratar! Galo, sempre!!!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 12:50
    Permalink

    Time bipolar esse do Galo. O primeiro foi espetacular, o segundo foi um Deus nos acuda. Como pode isso? Se o time se portar como no primeiro tempo, tenho esperança em títulos importantes ainda esse ano. Mas se o futebol for como na segunda etapa, teremos um ano igual ou pior que 2018.

    E o pior é que quando o uruguaio converteu o pênalti, eu já esperava isso. Quantas vezes o Galo sentou na vantagem e perdeu jogos que estavam na mão? Quantas vezes foi surpreendido por times pequenos, por puro desleixo e soberba? Já passou da hora dessa atitude ridícula acabar!

    PS: O Patric precisou cometer um pênalti infantil em um jogo decisivo pra sair do time. Será que o Levir vai esperar o Galo ser eliminado na Libertadores pro Guga enfim ser titular?

    PS2: A Avenida Marcos Rocha foi renomeada, agora se chama Avenida Fábio Santos. Que fase…

    PS3: Nenhum jogador é maior do que o Galo. Mercenário já tem aos montes em BH.

    Saudações Atleticanas!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 13:02
    Permalink

    Esse campeonato mineiro só serve para iludir… O time e muito ruim, o meio campo não marca, o chará joga em uma pequena faixa do campo e não faz a recomposição do meio. Os volantes, infelizmente são fracos, o melhorzinho é o Adilson, mas o cara esta se arrastando em campo. Falta tudo no time, preparo físico, peças de reposição e acima de tudo ambição. Uma coisa é certa, sem contratar jogadores que realmente assumam a condição de titulares, vamos disputar as competições como meros coadjuvantes. Chega de jogadores meia boca, se pegar o salário do Patrick, Vinicius, Bolt, Lucas Candido, Nathan, Leandrinho e outros mais; com certeza daria para pagar o do Tardelli com sobras. Lamentável.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 16:13
    Permalink

    Nem tanto ao céu, nem tanto ao Inferno. Primeiro tempo muito bom do GALO. Mas depois a velha mania de apagões, desleixo, individualismo e Patricadas. Quando Patric cometeu aquele penalti infantil aos 45 min, me incomodei com a infantilidade do Patric, mas não com o jogo em si. Ledo engano. Até quando teremos um time que não sabe se portar e se impor com personalidade frente aos adversários, porque só no sufoco. Nem discuto a qualidade técnica do Danúbio, porque ontem o Palestino se classificou em cima do Indepiendente Medellin e hoje não existe time bobo, mas da forma como foi é preocupante. Pra mim ficou claro, Patric, Elias, F.santos não podem ser nunca titulares no GALO. Aliás Patric e Elias nem deveriam estar lá. Com ressalvas Vitor e Adilson precisam se explicar. Vitor tem falhado sistematicamente ha muito tempo, não sei quem é treinador de goleiros mas voce nota uma insegurança terrível nele. Adilson esta horrível talvez em função de jogar com Elias que nada acrescenta. Um que esta queimando minha língua o Pastor, Luan esteve bem e a zaga também. Mas jogar com meio campo e laterais que não marcam vai tomar gols toda hora. Que o burro com sorte, teimoso procure alternativas para os sempre questionados que todos sabem quem são. Não tá dificil arrumar esse time, com LE e 10 e nosso técnico ajudando da pra jogar. Quanto ao Tardelli se fosse pra gastar toda essa grana deveriam investir no Oscar Romero.

    Resposta
    • 13 de fevereiro de 2019 em 16:46
      Permalink

      Lugalo também acho que o Adilson está sobrecarregado. Me lembro quando a dupla de volantes era Rafael Carioca e Donizete. O Carioca não marcava ninguém, o General tinha que correr por dois e com isso se cansava e comprometia a marcação. Se jogar com um volante que marque de fato, o futebol do Adilson vai melhorar muito.

      Saudações Atleticanas.

      Resposta
      • 13 de fevereiro de 2019 em 17:06
        Permalink

        Perfeito, Daniel.Também tenho a mesma opinião.Quando tínhamos dois volantes(o Pierre nunca passava do meio de campo) as laterais e o miolo de zaga estavam mais protegidos.e como comentei acima,são os volantes que mais se lesionam no Galo.e preste atenção no fato de que só o Galo joga com um volante de contenção.

        Resposta
    • 13 de fevereiro de 2019 em 18:10
      Permalink

      Caro Lugalo.
      Desde que passei a seguir e comentar os posts de Eduardo, venho aos berros pedindo a saída do treinador de goleiros do time. Victor não sabe sair jogando, não sabe sair em bolas cruzadas e sempre toma gols como o de ontem, principalmente de falta. Pior vi jogo a do Cleiton e os defeitos são os mesmos, ou seja muda o mosquito mas a merda continua a mesma.

      Resposta
  • 14 de fevereiro de 2019 em 08:12
    Permalink

    A verdade que já estou de saco cheio com esta história de sofrimento e jogos teoricamente mais fácies, a mediocridade deste time não tem limites, jogadores bem remunerados que não conseguem determinar um ritmo de jogo, técnico, a meu ver, bem limitado também.

    Outra coisa: para com esta mania de jogar no estádio independência, time grande joga em estádio grande.

    Resposta

Deixe uma resposta para Marci Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *