Rui Costa: Já podemos criticar e cobrar?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Por Angel Baldo e Lucas Tanaka / Revisado por Professor Denílson Rocha

Rui Costa chegou ao Atlético na primeira quinzena de abril em meio a um caos inimaginável pela torcida Atleticana. Com pinta de “super-star” após construir um elenco vitorioso no Grêmio, remontar a Chapecoense e ser o responsável pelas contratações de Roni e Marco Ruben, os dois principais jogadores do Athletico Paranaense na temporada, o torcedor Atleticano, naquele momento, elevou ao máximo suas expectativas.

Sem dinheiro, com o nome sujo na praça e vivendo uma era de trevas financeiras, Rui Costa, pelo papel desempenhado no Grêmio, era visto como o “Salvador da Pátria” pelo torcedor Atleticano.

Em condições financeiras semelhantes ao Atlético hoje, o Diretor de Executivo de Futebol no Grêmio encontrou peças de baixo custo e alto rendimento, como os desconhecidos Pedro Geromel, Alex Telles, Wendell, Ramiro e Galhardo, além dos experientes e rodados Dida, Rhodolfo, Marcelo Oliveira, Maicon, Douglas e Barcos, sem contar as contratações de peso como a ajuda do mecenas Celso Rigo como Giuliano, Dudu, Vargas, Rodriguinho e Bolaños.

Rui Costa apresenta o zagueiro Pedro Geromel.

Buscar um técnico foi o primeiro desafio de Rui Costa pelo Atlético, porém o Diretor acabou falhando. Após tentativas frustradas com Tiago Nunes, do Athletico Paranaense, com Rogério Ceni, do Fortaleza e com Juan Carlos Osório, hoje no Atlético Nacional, mas antes sem clube, Rui Costa acabou efetivando o até então interino Rodrigo Santana e, assim, dividiu a torcida, já que alguns foram contra e defendem um técnico de maior experiência no comando da equipe, e outros à favor da efetivação, pois veem o “novo” como uma saída válida.

Antes da parada para a Copa América, o elenco do Atlético possuía várias carências. Era evidente a necessidade de peças para reforçar o time titular.
Um lateral-esquerdo, um primeiro volante, um meia central de criação e um atacante de velocidade, uma vez que Maicon Bolt não conseguiu render o esperado. Entretanto, como na temporada passada, foram contratados apenas reservas! Chegaram o lateral-esquerdo uruguaio Lucas Hernández e o volante paraguaio Ramón Martínez. Nesse período, houve o retorno do venezuelano Rómulo Otero, que estava emprestado ao Al Wehda, da Arábia  Saudita.

Um dos grandes problemas do Atlético em campo hoje é a criação. É evidente a necessidade de um meia central. A ausência desse jogador interfere diretamente no desempenho do centroavante, o responsável por decidir a partida.

Cazares atuando contra o Nacional – Imagem: Atlético

Juan Cazares, em tese, seria esse homem. Porém, o equatoriano não tem características de um meia centralizado e naturalmente acaba se deslocando para os lados do campo. No banco temos Vinicius Góes, um articulador pelo centro, mas que até o momento não conseguiu corresponder e é constantemente criticado pelo torcedor, muito pelas fracas atuações.

Hoje, quem vem atuando centralizado é o atacante Luan. Porém, mesmo com muita entrega e vontade, Luan não atravessa uma boa fase, além de não ter as características e qualidades necessárias para assumir a função de criador da equipe.

Rui Costa em coletiva na Cidade do Galo / Imagem: Atlético

É importante ressaltar que Rui Costa está à menos de 100 dias no Atlético, e fora das quatro linhas trouxe excelentes profissionais para departamentos importantes que antes eram carentes, como Rafael Zanette para o Departamento Marketing e Júnior Chávare para as Categorias de base.

Entretanto, se Rui Costa era visto como um salvador quando chegou para construir um elenco forte e competitivo, nos últimos dias nas redes sociais, vários torcedores já colocam em dúvida a qualidade do Diretor Executivo de Futebol. A falta de ousadia no mercado e a demora para resolver algumas situações são algumas das reclamações mais recorrentes.

 

JOGADORES DISPLICENTES – ATLÉTICO 2 X 2 FORTALEZA

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR DENTRO DOS BASTIDORES DO ATLÉTICO
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

11 comentários em “Rui Costa: Já podemos criticar e cobrar?

  • 23 de julho de 2019 em 08:13
    Permalink

    SÓ EM NÃO SABER CONTRATAR UM TÉCNICO, E CONTRATAR ESSES DOIS PERNAS DE PAU GRINGOS HERNANDEZ E MARTINEZ , JÁ DEMONSTRA QUE RUIM COSTA É IMCOMPETENTE E IRRESPONSÁVEL.
    Até o momento RUIM COSTA nada produziu em benefício do time , e o que vemos é só eliminação em todos os torneios que participa.

    Resposta
  • 23 de julho de 2019 em 08:18
    Permalink

    Bom dia Atleticanos. Como muitos dizem que o Atlético está sem dinheiro para contratações, tenho a opinião de que não adianta contratar apostas, pois já foram dois anos com esse tipo de opção e até o momento não houve nenhum resultado satisfatório com tais contratações. Penso que os recursos disponíveis devam ser aplicados na base para que se tenha condições de formar bons jogadores. O mercado atual é carente de bons valores e os poucos que existem, certamente o Galo não terá condições financeiras para trazê-los. Então não torrem os parcos recursos com contratações temerárias. Saudações Atleticanas.
    ,

    Resposta
  • 23 de julho de 2019 em 09:17
    Permalink

    Hoje torcida do GALO só sabe reclamar, o Rui Costa, montou o Grêmio, o CAP e isso demanda tempo. Queimaram vários jogadores que hoje são destaques em seus clubes como Nikão, Samuel Xavier e Erick. Só acho que não deveriam renovar com Elias, dispensar Luan, F.Santos, Pastor e outros. Investir nas categorias de base e parece que isso esta sendo feito agora. Revelar jogadores, fazer como no CAP, um sub 23 para disputar o campeonato mineiro. Mas será que os Cornetas irião aceitar relegar o grande campeonato Mineiro a segundo plano. Quanto ao Rui Costa provou que sabe trabalhar, mas os ditos Racionais da Torcida do GALO hoje mais atrapalham que ajudam.

    Resposta
    • 23 de julho de 2019 em 13:06
      Permalink

      se o Rui bosta fosse bom estaria no grêmio ou atlepr.para min o Rui bosta é outro fraco. é ainda fala em renovar com o péssimo Elias. estamos afundados com amadores na direção do galo.

      Resposta
  • 23 de julho de 2019 em 10:23
    Permalink

    RUI BOSTA, VERGONHA! 100 dias mamando e NADA. FORA SETTE CÂMARA!

    Resposta
  • 23 de julho de 2019 em 10:33
    Permalink

    Bom dia !

    Claro que sim ! O cara está tomando toco de todos os Clubes do Brasil ! Tem que passar pano não ! Chega desses jogadores,diretores, que vem para o Galo para aprender trabalhar (estagiários) ou para mira bolar projetos.” CHEGA DE PASSAR PANO PARA ESSES CARAS”. O Atlético e muitoooooooo Grandeeeeee para ficar a merce de profissionais fracos em todos os aspectos. Principalmente na diretoria. Ele é fraco !

    Resposta
  • 23 de julho de 2019 em 10:35
    Permalink

    É óbvio.
    O cara atravessou a parada da Copa América inteira e não contatou um atacante ou meia atacante, sendo que é evidente a necessidade.
    Ok, contratou 2 jogadores que ainda não puderam ser avaliados pela torcida, podem até ser bons, mas são apenas apostas e, ao que se sabe, ele pagou muito caro nessas apostas.
    Por enquanto, ele não fez nada diferente de Alexandre Gallo e fez menos do que Marques, enquanto este esteve no cargo.
    Pela grife que deram para ele, está se mostrando um sujeito que não sabe resolver as prioridades.

    Resposta
    • 23 de julho de 2019 em 14:01
      Permalink

      O q o Rui Costa fez de diferente do Alexandre? Trocou 6 por meia dúzia. O q q o Santana fez de diferente do Levir? O esquema tático é o mesmo,a zaga continua tomando muitos gols. O Guga era reserva e continua sendo reserva. O Elias e F. Santos continuam andando em campo. O ataque ñ marca gol. As substituições ñ surtem efeito. Onde está o técnico moderno? A base continua ñ sendo utilizada. O Galo muda mais continua a mesma coisa. Só não vê quem não quer!

      Resposta
  • 23 de julho de 2019 em 11:30
    Permalink

    Nem uma coisa nem outra! Sigamos com o mantra que vai se tornando o carro chefe deste modelo verborrágico de (in) gerenciamento: agora é levantar a cabeça e pensar no próximo jogo. Vejamos pelo lado bom, seria mais um encosto empilhado dos muitos que formam este emaranhado de meias boca e o penalizado continuará sendo o Clube,que fatalmente irá sucumbir diante de tanto o cachorro correr atrás do rabo. SAN

    Resposta
  • 23 de julho de 2019 em 12:41
    Permalink

    Na minha opiniâo, dispensar os velhos “come quieto”,contratar um tècnico de verdade que saiba dar um estilo tàtico eficiente ao time.o Galo visivelmente nâo tem esquema de jogo definido.e por nâo ver o fs na lateral eu continuo gostando do paraguaio,que apesar de nâo ser um genio,pelo menos para mim joga mais que o outro,custa menos,corre mais.chama-lo de ruim è injusto pois foi sua primeira partida.e no meio os comentaristas que parecem que recebem propina no Galo disseram que o Martinez foi culpado do lance do penalti,mas omitiram a nâo participaçâo do elias.o Paulo Roberto ontem foi certo ao chamar o elias de matador de volantes:todos machucam ou sâo expulsos e ele nâo!e ,nem acredito que vou escrever isto,senti saudades do Patric domingo!so por isto jà da para notar que a coisa tà feia mesmo!

    Resposta
  • 17 de setembro de 2019 em 09:58
    Permalink

    Ao meu ver, não mostrou nada até agora… Estamos voltando a era do Michirica, Vanderlei, Vicente, Ataliba… Meu Deus, devolva o nosso Galo!!!
    O Atlético precisa urgentemente de uma reformulação, tem muitos aí que já deu…
    Porque não tentam trazer o Rafael Veiga sem espaço no Palmeiras, não tentaram o próprio Moisés também, seriam dois jogadores que chegariam pra assumir a posição…

    Resposta

Deixe uma resposta para LUGALO Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *