Resumão do Galão

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Por Carol Castilho

Nós entendemos que a Copa América é a competição mais antiga entre seleções de futebol do mundo, sabemos da importância em prestigiar o futebol sul-americano, e da honra por sermos o país sede. Há também a movimentação da economia, o crescimento no turismo e etc.

Mas para ser bem sincera com você, meu caro leitor, eu não me importo com nada disso, tampouco com a nossa seleção. Digamos que até agora ela não conseguiu despertar nenhum sentimento em mim. Para vocês terem noção, prefiro assistir aos jogos de outras seleções a ver o Brasil. Mas isso não é suficiente, todos nós estamos com saudades de ir ao estádio, assistir aos jogos com os amigos e passar aquela raiva gostosa.
Enfim, graças a Deus o elenco atleticano se reapresentou nesta segunda-feira (dia 24), na Cidade do Galo, com novidades. Houve o retorno do venezuelano Rómulo Otero, que estava emprestado ao Al Wehda, da Arábia Saudita. Também contaremos com reforços estrangeiros: o lateral-esquerdo uruguaio Lucas Hernández e o volante paraguaio Ramón Martínez.

O resumão do Galo desta semana será com a Arquibancada Feminina. As torcedoras Jé Meirelles e Karyne Teixeira nos contaram suas expectativas para o retorno do Galo e as principais manchetes da semana.

Curta mais uma edição da ARQUIBANCADA FEMININA.
CONFIRA!

O primeiro compromisso do Atlético após a Copa América será contra o nosso eterno rival, Cruzeiro, no Mineirão, pela Copa do Brasil. Na reapresentação, Rui Costa apontou uma rivalidade de alto nível entre os jogadores Fábio Santos e Lucas Hernández.
A estudante Karyne Teixeira nos explica se é possível que Fábio Santos perca a posição para o novato: “Nos últimos jogos ele até que melhorou o seu desempenho. Em comparação com o que (não) vinha jogando no início da temporada, agora ele está bem. Claro que já teve atuações muito melhores, mas acredito que agora com o time se acertando, até por conta do bom trabalho do Santana aliado, claro, a uma disputa mais intensa com o Hernández, é possível sim que ele eleve seu nível e apresente um futebol melhor. Não acho que perca a posição de imediato, até porque é um dos líderes do elenco. É experiente, tem qualidade, embora esteja numa fase ruim, e a gente sabe que esses fatores, por mais que não se queira, pesam para a retirada dele dos titulares”.

Outra novidade foi o empréstimo do atacante Bruno Silva. A jornalista Jé Meirelles explica como o ex- Chapecoense pode se encaixar no elenco atleticano: “Acho acertada a decisão de o Bruno integrar primeiro o sub-20 para depois ser promovido a profissional, levando em conta que em 54 jogos foram apenas dois gols. Acredito que até por proteção ao jogador e a sua confiança – sabemos que a torcida é chata – esse tempo de matura será benéfico tanto ao jogador quanto ao time. É bom saber que o Bruno já tem faro de gol contra o rival e isso é um ponto a favor. Pelos comentários de quem o acompanhava, é um jogador de velocidade, difícil de parar. Não posso comentar mais pois não acompanho o que se passa nos outros times, mas é torcer para que ele ganhe confiança na base e possa atuar bem no profissional em 2020. Ah, lembrando que o Galo tem preferência na compra e que é só um empréstimo, se não rolar, não será tão perdido assim”.

Graças a Deus o venezuelano Otero está de volta. Neste segundo semestre, o Atlético terá competições importantes como Brasileirão, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana.
Como o jogador pode ajudar?

Jé Meirelles: “Teremos de volta gols olímpicos e, principalmente, reforço nas bolas paradas, né? Mas acredito que o retorno do Otero será bom não apenas para o esquema em que o Rodrigo vem apostando, mas também para pressionar os até então titulares, fazendo com que joguem sempre em um nível mais alto. Apesar de saber da questão física, espero vê-lo em campo logo. No time da Arábia foram 26 jogos e seis gols, vamos ver o que o baixinho está guardando para a nova temporada no Galo. Espero que o Otero ainda se espelhe no Éder para trilhar seu caminho no Galo”.

ARQUIBANCADA FEMININA

Carol Castilho: Rodrigo Santana foi efetivado (nenhuma surpresa para mim). Agora como técnico a responsabilidade cresceu. Espero que seu destino não seja igual ao de Tiago Larghi, que a diretoria não ceda a pressão das redes sociais, caso o rendimento caia.
O Atlético, mais precisamente o diretor Rui Costa, terá peito para bancar Rodrigo Santana?

Karyne Teixeira: “Surpresa seria se contratassem e apresentassem um outro técnico. Acho que a efetivação do Santana era algo iminente. Penso que a situação do Santana é bem diferente da do Larghi, embora possa parecer que não. O Larghi era um analista de desempenho que teve o seu primeiro contato para exercer a função de técnico já no próprio Atlético, o Santana tem uma vasta experiência. Já ralou bastante em clubes menores, tendo até certo destaque no comando da URT. Sem contar que já foi jogador, com isso tem certa vivência e experiência de vestiário, trato com jogadores, por exemplo. O Larghi não tinha uma diretoria de futebol forte ao seu lado. Ele tinha somente o Alexandre Tadeu que, convenhamos, é praticamente nada.
Já o Santana tem todo o resguardo do Rui Costa e do Marques, além de um departamento de futebol que hoje parece ser mais profissional e organizado, capaz de dar a ele todo o suporte necessário. Sem contar que o time de 2018 na parada para a Copa do Mundo sofreu um desmanche pontual em sua estrutura. Bremer (defesa), Blanco (meio) e Róger Guedes (ataque). Eram jogadores que estavam em uma fase sensacional e vinham fazendo a diferença e não ocorreram reposições à altura. Na verdade, as contratações que aconteceram no decorrer do ano eram, no mínimo, questionáveis. Já em 2019, o time não sofreu perdas relevantes, até então, na parada para a Copa América e alguns reforços pontuais chegaram. O nível de contratações em comparação a 2018, na teoria, se mostra melhor. Aquém do que gostaríamos? Sim. Porém, a situação financeira do clube deve ser levada em consideração. Não desprezando, mas o nível dos adversários enfrentados pelo Larghi até a parada era bem inferior ao dos adversários enfrentados pelo Santana. Além disso, quando se analisa os resultados, os do Santana são bem superiores, já que está classificado em três competições e o Larghi só sobreviveu ao Brasileirão. Fases turbulentas ocorrerão, espero que demore muito, e o desejo é que elas não sejam determinantes para a interrupção do trabalho do Rodrigo. Que a diretoria consiga sustentá-lo independente dos resultados obtidos nesse pesadíssimo mês de julho.”

Jé Meireles: “Não foi surpresa e eu sou totalmente ‘team Rodrigo’! Acho que pela visão que ele tem, não vai precisar ser bancado pela diretoria. Ao meu ver, a questão é se a diretoria vai atender às solicitações e dar autonomia ao treinador. Rodrigo pode não ser experiente no profissional, mas a visão de jogo e de equipe que ele vem demonstrado é digna de confiança. Em um momento o rendimento vai cair, isso é algo natural da vida, estamos em três competições e sabemos que o calendário não é dos melhores. É preciso que a torcida tenha paciência e acredite no trabalho, já que um trabalho coeso e sério requer tempo. Santana começou por onde devia, reestruturando a confiança da equipe e o futebol de cada um, então é ter calma para que ele mostre o trabalho e paciência com qualquer possível declínio de rendimento. Nada será imediato!”

Quero agradecer a colaboração das torcedoras Karyne Teixeira e Jé Meireles. Muito obrigada pelo tempo reservado e análises feitas.
Então, torcedora, curtiu a participação? Você também pode participar da nossa ARQUIBANCADA FEMININA, basta entrar em contato pelas redes sociais do Fala Galo.

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

Revisado por Jéssica Silva (twitter.com.br/jeatleticana)

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

2 comentários em “Resumão do Galão

  • 28 de junho de 2019 em 09:11
    Permalink

    O resultado do Clássico vai definir nosso segundo semestre, espero que o Cazares esteja ligado e finalmente possa render o que esperamos dele um camisa 10 com poder de definição, que seja protagonista e decida partidas grandes e finais.

    Resposta
  • 28 de junho de 2019 em 17:02
    Permalink

    boa tarde massa. para mim precisa de mais reforços e só chegou 2 e acho que não chega mais. esta diretoria do galo é mais devagar que uma tartaruga. aonde está o camisa 10 eu não confio no cachazares para mim é um foguete molhado. joga um jogo bom e desapare precisamos é de um camisa 10 que resolve jogos. o Otero ok sabes é cobrar falta e mais nada se fosse bom ficava na Arábia. repito estamos no mesmo caminho de 2018 ainda não ganhamos nada e espero que ganhamos pelo menos a sulamericana. acorda diretoria reforços é para ontem. vai galooo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *