Ressuscitando o Grêmio: Galo perde em Porto Alegre

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Por: Jéssica Silva (@jeatleticana)

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

PÓS-JOGO FALA GALO: www.youtube.com/watch?v=9897_HBWCV0

 

Sob o comando de Rodrigo Santana a principal arma do Atlético é se defender e apostar em contra-ataques. Na maioria das partidas do Campeonato Brasileiro essa estratégia vem dando certo, mas ontem, contra o Grêmio, não surtiu muito efeito.

A partir do momento em que se escolhe esperar o adversário, a defesa do time deve ser impecável para garantir que a equipe não sofra gols, mesmo sendo sufocada. No entanto, além do poder defensivo, é necessário ter agilidade para sair em contra-ataque e isso passa por um bom domínio de bola. Diante do tricolor gaúcho vimos o Galo fazer um verdadeiro jogo de ataque contra defesa, sendo aquele que apenas se defendia, sem dar trabalho ao adversário e o possibilitando gostar da partida.

A falta de inciativa do time atleticano para propôr o jogo foi o que favoreceu o Grêmio. Em determinados momentos o Galo até conseguia recuperar a bola, porém, se desfazia dela rapidamente em erros de passes e voltava a ser dominado.
Impedindo gols do dono da casa, que chegava facilmente, Victor foi destaque positivo fazendo grandes defesas e garantindo que nossas preocupações não fossem maiores.

O Galo perdeu seus primeiros quarenta e cinco minutos de partida apenas se defendendo, sem chutar a gol, parecendo não ter a intenção de abrir o marcador. Faltou ao Atlético postura, vontade e, acima de tudo, pensar como a grande equipe que é.

Apesar de ter boas peças, o Grêmio não vive uma boa fase no Campeonato Brasileiro, sendo assim, o Atlético poderia ter se lançado ao ataque mais vezes demonstrando confiança, sem se intimidar por jogar fora de casa. Logicamente, defender-se é muito importante, principalmente se tratando do limitado time atleticano, mas não deve ser a única coisa a se fazer. O que vence uma partida são gols e isso, infelizmente, o Galo não buscou por muito tempo.

Vale ressaltar que o Grêmio teve boa chance de abrir o marcador ainda no primeiro tempo, após o juíz assinalar pênalti para o tricolor, com o auxílio do VAR. No entanto, a chance de gol do dono da casa esbarrou na conhecida falta de talento de André, que chutou a bola para fora. Esse lance de sorte poderia ser a oportunidade para o Galo se acertar e voltar melhor para a etapa complementar, mas a alegria durou pouco.

Logo na volta do intervalo o Atlético sofreu com uma nova falha em bola parada e ficou para trás no placar. A defesa atleticana deixou Felipe Vizeu livre para fazer o que quisesse, inclusive o gol, nos colocando em prejuízo.

Se levar o gol no início do segundo tempo teve um lado bom, é que o Galo se viu obrigado a sair para o jogo fazendo com que a partida ficasse um pouco mais equilibrada. Porém, apesar de todo o esforço, ficaria claro que já era tarde demais.

O domínio do Grêmio no primeiro tempo e o fato de ter saído na frente no placar fez com que o Galo mudasse um pouco sua postura na etapa complementar. Nos quarenta e cinco minutos restantes não víamos somente as ações do time gaúcho, mas também a tentativa de recuperação atleticana.
Bruninho e Geuvânio, ambos acionados no segundo tempo, fizeram boas tentativas de chutar a gol, mas não chegaram a balançar as redes.

Como saldo da falta de domínio no meio de campo e de organização para atacar, alcançar até mesmo o empate ficou difícil demais e o Galo colheu o que plantou no primeiro tempo ao se deixar ser dominado pelo Grêmio.

Muito se fala no “desaparecimento” de Ricardo Oliveira em campo a cada partida, e é verdade que o atacante vem deixando a desejar. Mesmo assim, não se pode ignorar o fato de que a bola pouco chega lá na frente. Brigar pela redonda, demonstrar vontade em ir para cima da defesa adversária é o papel do centroavante, porém, é impossível trabalhar sozinho, o que deixa claro que os nossos problemas vão muito além do camisa 9.

O Galo já tem a dificuldade de possuir um plantel muito menos qualificado que a maioria dos seus concorrentes, sendo assim, a falta de qualidade deveria sempre ser compensada com aquilo que vimos no último sábado: raça.

Se acovardar totalmente diante de um adversário sem ao menos tentar demonstrar algum objetivo ofensivo, visando apenas se defender, evidencia as limitações do time de Rodrigo Santana, cujo plano tático nem sempre funciona.

As peças são limitadas, não em questão numérica, mas em termos de qualidade. Reforçando pontualmente o plantel, há inclusive a parada para a Copa América quando se pode fazer isso, poderemos ser uma equipe que dá trabalho aos seus adversários. Se com tão pouco Rodrigo Santana já conseguiu uma evolução, recebendo os devidos reforços, o jovem treinador pode seguir um bom caminho no comando do Galo.

A incômoda “freguesia” recente para o Grêmio continua, hoje com um gosto ainda mais amargo. O time de Renato Gaúcho ainda não havia vencido no Brasileirão e ver a equipe tricolor desencantando frente ao Galo, que faz surpreendentemente uma boa campanha, é para lá de frustante.

Apesar de tudo, jogos como esse servem também para não nos deixar esquecer que os erros frequentes no Atlético não desaparecerão de repente.
Dessa forma, a cobrança para que as pessoas que hoje representam o Galo façam por merecer os cargos que possuem dentro e fora de campo não vai e nem deve cessar.

FICHA TÉCNICA: GRÊMIO 1 X 0 ATLÉTICO 

Grêmio
Paulo Victor, Léo Gomes, Geromel, Rodriguez e Capixaba, Maicon, Michel, Jean Pyerre (Thaciano) e Alisson (Diego Tardelli), Everton e André (Felipe Vizeu)
Técnico: Renato Gaúcho

Atlético
Victor; Patric, Leonardo Silva, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Nathan) e Jair; Luan (Bruno), Cazares (Geuvânio) e Chará; Ricardo Oliveira
Técnico: Rodrigo Santana

Cartões amarelos: Maicon (Grêmio) e Zé Welison, Geuvânio, Patric e Luan (Atlético)

Gol: Felipe Vizeu (Grêmio)

Motivo: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre
Data e horário: sábado, 25 de maio, às 19h (Brasília)

Árbitro: Rafael Traci (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa/SC) e Carlos Berkenbrock (SC)
Árbitro de vídeo: Heber Roberto Lopes (SC)

Sigam o Fala Galo nas redes:
www.falagalo.com
@FalaGalo13

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

14 comentários em “Ressuscitando o Grêmio: Galo perde em Porto Alegre

  • 26 de maio de 2019 em 06:53
    Permalink

    Bom dia massa. grande texto Jéssica silva. quero parabenizar este timeco de peladeiros que ressuscitou o grêmio. se não fosse o Victor levaria outra goleada. um timeco comandado por empresários e estes amontoados de velhos e refugos de outras equipes. repito o Rodrigo Santana é outro pau mandado desta diretoria e empresários é não tem peito para cobrar destes peladeiros aliás ele já caiu na lábia das panelas de jogadores. poderia ser um grande treinador mas ja se queimou com a torcida. não espero mais nada destes amontoados de peladeiros e velhos e cansados que mandam no futebol do galo. obs.parecem uns iludidos aqui no blog que não gosta que critica a péssima diretoria e estes amontoados de jogadores,vai la no ct bater palmas para eles. quero mas 36 pontos e que esta diretoria amadora desaparece do galo é levam com eles estes amontoados de peladeiros que eles trouxeram para o galo.chega. acorda diretoria amadora. vai galooo.

    Resposta
    • 26 de maio de 2019 em 15:13
      Permalink

      Joaquim, Parabéns ! Descreveu tudo, time de peladeiros, velhos e sem comando técnico. Concordo plenamente.

      Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 08:04
    Permalink

    Aos colegas Atleticanos, em que pese os doze pontos conquistados em seis rodadas no brasileirão, esse time de 7C não consegue convencer ninguém e nem fazer uma partida com alguma qualidade técnica. O pior é manter um treinador medroso que coloca um time com postura covarde e acaba levando o prêmio que merece: derrota; Parece que as ridículas campanhas e seguidos erros em 2017 e 2018 não serviram de nada para esse bando de gestores que vem detonando o Atlético. cada vez mais minha conclusão exposta desde março deste ano: ou sai fora essa atual diretoria ou o Atleticano vai amargar mais vexames, não há outra solução.

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 08:54
    Permalink

    Um time sem diretoria, sem técnico e sem jogadores não tem como ganhar do time do Grêmio em Porto Alegre, e olhem que era o time misto sem cinco titulares… Fomos lá para empatar ou perder de pouco, ficamos com a segunda opção. A verdade é que não disputamos o mesmo campeonato que o Grêmio, eles lutam pelo título e nós, para não sermos novamente rebaixados. Um time que tem Patric (quem deixou o Vizeu receber, ajeitar, pensar e marcar o gol dentro da área?) e Fábio Junior como titulares, um zagueiro e um centroavante, ambos de 40 anos, um camisa dez que é o maior engodo do futebol, um verdadeiro moleque e mais um bando de jogadores medianos sem vontade e sem raça, não pode almejar nada além disso. Contra o CSA, esse sim adversário direto, temos que ganhar para continuar a nossa árdua batalha para não sermos rebaixados. É oque restou pra esse arremedo de time… E a panela dos medalhões vai muito bem obrigado…..

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 09:08
    Permalink

    Belo texto, Jéssica. O time do Galo há muito deixou de impor respeito aos adversários. Esta forma de jogar, com medo, expõe a própria condição dos atletas que compõem o elenco. Quem joga ou faz qualquer coisa com medo mostra sua fragilidade e já incute a superioridade do oponente. O que todos sabem é que esta mentalidade do medo não nasceu da cabeça do Rodrigo Santana, mas veio do conhecimento geral de que o Galo não tem um plantel qualificado que imponha receio aos adversários, seja no Independência, no Mineirão, em qualquer estádio do Brasil ou, ultimamente, das Américas. Vejo duas situações prementes para o cenário atleticano: qualificar o plantel ou contar com lampejos milagrosos de vitória.

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 09:27
    Permalink

    Meus amigos….
    Péssima partida do galo..
    Minha nota a alguns jogadores na partida de ontem…
    Luan- horroroso
    Casares -ruim mas não podia nunca ter saído
    Jair- fraco demais pra jogar no galo
    Ze Welisson-Pior em campo,não marca e erra TODOS os passes,até de 2 metros .
    Como um idiota desse põe a mão na bola em jogo que tem V.A.R?
    Fábio Santos- Patrik é MUITO melhor que ele na esquerda.
    Ricardo Oliveira-Não recebeu 1 bola
    Chará- lento e desorientado
    Bruninho comeu uma feijoada antes de entrar…Lento
    Patrik -Esse pelo menos tenta
    Rodrigo Santana-viu o time ser engolido pelo grêmio e não soube trocar as peças, teve tempo no intervalo e voltou com a mesma barca…
    Mas sabemos que o campeonato que disputamos é outro….

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 09:31
    Permalink

    Bom dia amigos do Galo. Só faltou o Tiago Santana dizer que 1×0 foi bom resultado. Que venha 2020, eleições, quem sabe o NOSSO GALO sobrevive até lá. Time covarde, técnico covarde, diretoria incompetente. Estão apequenando o NOSSO GALO.

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 10:43
    Permalink

    Bom Dia a todos.Sinceramente ao começar a partida com à Geuvanio no banco eu jà pressentia um futebol ruim.e no inicio do segundo tempo ao ver o pastor dos infernos voltar eu desliguei o computador,o ràdio e fui assistir um filme.me causa revolta ver este camisa 9 com atuaçôes ridìculas e mesmo assim nem ser substituido.este pau mandado jà queimou o filme comigo hà muito tempo e cada dia mais piora.estou tâo revoltado que vou comentar alguma coisa outro dia.MAS AO CAMPO EU NÂO VOLTO MAIS!

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 14:25
    Permalink

    Gostaria que a diretoria tentasse trazer o Roger Guedes.

    Resposta
    • 26 de maio de 2019 em 21:45
      Permalink

      Vou te falar camaradas a questão é que torcedor é chato de nascença e normalmente fica chovendo no molhado. Tirando o Palmeiras, Inter e Santos, não tenho visto ninguém jogar de forma convincente. Você tem equipes já montadas e com qualidade, caso do Paranaense e vc vê equipes cheio de estrelas passando o maior perrengue. E vc tem o Galo que com oque tá aí vai ser isso mesmo, tem que ganhar de quem tem condições e arrancar pontos de quem tá acima, enquanto não chegar bons reforços pontuar enquanto puder e isso significa jogar ala Corinthians.

      Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 15:14
    Permalink

    Sempre que jogar com medo o resultado esperado é um só: vergonha!!!!!

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 16:53
    Permalink

    UM TIME SEM DIRETORIA , SEM TÉCNICO E SEM JOGADORES VAI GANHAR O QUÊ??

    Resposta
  • 26 de maio de 2019 em 18:02
    Permalink

    A DIRETORIA É A ÚNICA CULPADA PELO CAOS ATLETICANO.

    Resposta
  • 27 de maio de 2019 em 00:49
    Permalink

    Ataque contra defesa?
    Foi ataque contra goleiro. Porque essa defesa do Galo é horrorosa, mas o meio campo também é horroroso e o ataque…assisti apenas 15 minutos. Perdi a paciência e o tesão de ver esse time em campo. Jogadores escalados por empresários e um técnico de merda. O nosso domingo só não foi pior porque o cruzeiro está na merda…kkkkkk

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *