Quebra de tabu e triunfo no Rio: Galo vence o Botafogo pela Sul-Americana

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Em mata-matas, o Galo não costuma ter sucesso contra o Botafogo. Na atual temporada, nas competições deste mesmo formato, o Atlético também não foi muito feliz até aqui. Deixou a Libertadores precocemente e acaba de se despedir da Copa do Brasil.

 

Vinícius Vina comemora o gol contra o Botafogo.

 

POR JÉSSICA SILVA

Considerando que o Campeonato Brasileiro exige uma regularidade muito grande e um elenco que seja capaz de suprir as necessidades do time em uma longa competição, a Sul-Americana é a real chance de título do Atlético atualmente. Ontem, no Rio de Janeiro, o Galo deu um passo importante para a classificação às quartas de finais do torneio, ao vencer o Botafogo por um a zero.

Vencer fora de casa um adversário que costuma nos dar um certo trabalho é, sem dúvidas, um bom resultado. Porém, é impossível ignorar o fato de que o placar poderia ser mais elástico e a vantagem maior, caso aquele que deveria ser o principal responsável pelos gols atleticanos – Ricardo Oliveira – tivesse feito a sua parte.

Logo nos primeiros momentos do jogo, o Bom Pastor perdeu uma boa chance de abrir o placar, o que era um presságio do que seria a sua partida no Estádio Nilton Santos. Felizmente, de uma maneira geral o time atleticano se comportou bem diante do Botafogo e o Galo foi capaz de construir sua vantagem.

O jogo era truncado no primeiro tempo. Obviamente, o Botafogo tinha interesse em sair na frente a mantinha uma maior posse de bola, mas chegava com ineficiência e muito receio, já que sair para o jogo daria ao Galo espaços para contra-atacar. Sendo assim, o time de Barroca não tinha muito o que fazer. Jogando com as linhas muito espaçadas, a equipe carioca não fazia um jogo envolvente o suficiente para intimidar o Atlético, mesmo tendo essa obrigação, por ser o mandante da partida.

As ações do time botafoguense eram concentradas no meio de campo, o que fez com que os volantes do Atlético se destacassem. Jair, mais uma vez, e Elias fizeram uma excelente partida e foram muito bem nos desarmes. Quando o dono da casa conseguiu fazer uma partida mais equilibrada, a marcação adiantada do Galo foi eficiente e se aproveitou de uma falha da defesa carioca.

Após uma bobeira botafoguense na saída de bola, Elias resvalou na redonda e a deixou em condição para Vinícius, que marcou o gol da partida e esfriou o ânimo que havia se criado na equipe mandante.
É o segundo gol de Vina em três jogos como titular, o que deixa claro que ele vem sabendo aproveitar as oportunidades que recebe, diferente de alguns outros jogadores do elenco atleticano, que preferem concentrar seus esforços em reclamações desnecessárias.

Estar vencendo o jogo poderia ser motivo para o Galo agir de maneira mais cautelosa, sem dar chances ao Botafogo de empatar o placar. Mesmo assim, saber valorizar a vantagem já construída não quer dizer que as chances desperdiçadas não farão falta.

A oportunidade perdida por Ricardo Oliveira no segundo tempo foi inacreditável. Respeito a opinião de quem defende que sua experiência pode fazer a diferença em uma partida decisiva, mas continuo vendo como inadmissível que um jogador em uma fase tão ruim esteja entre os onze titulares. Passado experiente e conquistas importantes não entram em campo, portanto, defender a permanência de Alerrando no time principal, mesmo após atuações não muito boas nos últimos jogos, é o mais sensato a se fazer.

Jair comandou o meio-campo do Galo contra o Botafogo

Apesar da ineficiência do camisa 9, o Galo conseguiu ampliar a vantagem com um homem de meio campo. Jair marcou após assistência de Fábio Santos que, surpreendentemente, não fez uma partida ruim ontem.
Com o auxílio do VAR, o árbitro viu falta de Igor Rabello no lance e anulou o gol atleticano. Lance interpretativo, já que houve apenas uma disputa mais dura, algo comum em uma partida de futebol. A questão é que o tento anulado pode vir a fazer falta no fim das contas, mas não apaga a bela partida de Jair, tanto no meio de campo quanto chegando lá na frente quando necessário.

O Galo seguiu criando chances para atacar e parecia poder chegar a pelo menos mais um gol a qualquer momento, principalmente com a expulsão de Joel Carli após lance com Papagaio, que entrou para substituir Ricardo Oliveira, mas não fez muito pelo time. Com o apito final, balançar as redes do Botafogo novamente é uma missão que ficou para ser cumprida na Arena Independência.

O placar mínimo não nos permite dar como certa a classificação. O Botafogo não vive uma boa fase, nem mesmo apresentou um futebol vistoso jogando em seus domínios, mas as chances desperdiçadas pelo Galo podem vir a prejudicar o resultado final dessa disputa, principalmente porque a equipe atleticana finalizou mais e deu trabalho ao goleiro Gatito, enquanto Cleiton praticamente assistiu ao jogo de dentro do campo.
Futebol é bola na casinha, e se o responsável por fazer isso não desempenha tal função com o mínimo de sucesso, talvez não deva continuar a ter as oportunidades que tem.

Vina comemorando com Guga

O que se espera é que o Atlético não chegue ao ponto de lamentar na semana que vem os gols que não foram feitos no Rio. Como o critério do gol qualificado ainda é válido na Copa Sul-Americana, um empate simples classifica o Galo, mas é óbvio que pode ser feito mais que isso, pois o time é capaz de confirmar sua superioridade com uma nova vitória. Que Rodrigo Santana e seus comandados se lembrem que nem sempre é preciso ser sofrido e talvez o jogo da volta não seja, já que o treinador admitiu após a partida no Rio que a vantagem poderia ser muito maior.

Fica como saldo positivo a vitória, as boas atuações dos volantes Jair e Elias, a vantagem construída fora de casa e o tabu quebrado, já que foi a primeira vez na história que o Galo venceu o Botafogo no Rio de Janeiro em uma disputa de mata-mata. Está mais do que na hora de o Galo tirar do seu sapato essa pedra que se tornou o time carioca ao longo dos anos para seguir firme na busca do título da Copa Sul-Americana, a fim de não deixar a temporada passar em branco, conseguir uma vaga na próxima Libertadores e uma boa quantia em dinheiro, algo que fará muito bem aos cofres do clube.

FICHA TÉCNICA: BOTAFOGO 0 x 1 ATLÉTICO-MG

Data/Hora: 24/07/2019, às 21h30 (horário de Brasília)
Local: Estádio Nilton Santos, em Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Raphael Claus (BRA)
Auxiliares: Alessandro Rocha (BRA) e Fabrício Vilarinho (BRA)
VAR: Anderson Daronco (BRA)
Auxiliares VAR: Luiz Flavio De Oliveira (BRA) / Danilo Manis (BRA)
Público / Renda: 15.774 presentes / R$ 496.450,50
Cartão Amarelo: Alex Santana, Gustavo Bochecha (BOT)
Cartão Vermelho: Joel Carli (BOT)
GOL: Vinicius (34’/1ºT)

BOTAFOGO:
Gatito Fernández; Marcinho, Carli, Marcelo Benevenuto e Gilson; Cícero, Alex Santana, João Paulo (Igor Cássio; intervalo); Erik (Leonardo Valencia; 26’/2ºT), Diego Souza e Luiz Fernando (Gustavo Bochecha; intervalo).
Técnico: Eduardo Barroca

ATLÉTICO-MG:
Cleiton; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Jair, Elias, Vinicius Goes (Nathan; 46’/2ºT), Otero (Maicon Bolt; 31’/2ºT); Chará e Ricardo Oliveira (Papagaio; 26’/2ºT).
Técnico: Rodrigo Santana

 

GALO VENCE O BOTAFOGO NO RIO, CONFIRA:

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR DENTRO DOS BASTIDORES DO ATLÉTICO
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

11 comentários em “Quebra de tabu e triunfo no Rio: Galo vence o Botafogo pela Sul-Americana

  • 25 de julho de 2019 em 08:37
    Permalink

    Mesmo perdendo um caminhão de gols, foi um ótimo resultado.
    Espero que esse bando de pipoqueiros joguem sério e confirme a vaga aqui no Indepa lotado.
    Mesmo não confiando nesse bando de pipoqueiros eu sonho com esse título em uma grande final de jogo único contra o Corinthians.
    Vou torcer muito mas com os dois pés no chão pois esses PIPOQUEIROS adoram nos matar de raiva.

    Resposta
  • 25 de julho de 2019 em 08:44
    Permalink

    Será porquê o Elias melhorou seu futebol??? simples seu contrato está acabando e ele quer mostrar serviço agora, para se acomodar depois da renovação.
    Porque o futebol do Ricardo Oliveira está péssimo??? ontem perdeu dois gols que até minha vó faria.
    É justamente o contrário renovaram o contrato dele sem a maior precisão ele tem contrato garantido com seu alto salário até Dez 2020, ganhando ou perdendo seu alto salário vai cair na conta todo mês rigorosamente em dia.
    Infelizmente o Atlético tem que parar de confiar em jogadores fim de carreira, eles não tem motivação suficiente para buscar grandes títulos, A ÚNICA MOTIVAÇÃO DELES É QUANDO SEU CONTRATO ESTÁ ACABANDO ISSO É FATO.

    Resposta
  • 25 de julho de 2019 em 11:52
    Permalink

    Bom dia !
    Ontem assisti o jogo do Inter, que time guerreiro, raçudo, e olha que não moro de amores pela a instituição não ! Mas que dá prazer de ver um time não abdicar de seus objetivos dá. Nisso vi o cetro avente Guerreiro jogar, que raça o cara tem ! Não perde, não alivia, não desiste nunca da bola, está em todas. Me lembrou do Pratto. Depois fui ver o jogo do meu amado Galo ! Meu Deus o que fizeram com o ataque do Galo ? Ver o Ricardo oliveira, Chára, Vina, Bolt, Papagaio. É desanimador para não falar ridículo.O que o Jair está jogando é um absurdo ! Joga muito o rapaz, com confiança, tranquilidade, está mostrando o futebol que o credenciou para jogar no Galo. Vejo muitos querendo que o Elias saia do Atlético, respeito as opiniões, más é um dos jogadores em campo mais lucido que o Galo tem ! Cuidado para não cometermos mais um erro, como fizemos com o Carioca. Saudações Galista !

    Resposta
    • 25 de julho de 2019 em 14:16
      Permalink

      Elias o peladeiro está acabando o contrato e ele tem que mostrar trabalho. exemplo, renovaram o contrato do pastor pipoqueiro e tem 13 jogos sem fazer um misero gol.

      Resposta
  • 25 de julho de 2019 em 13:04
    Permalink

    Só acho que com os últimos desempenhos de Alerrandro e Pastor é obrigação testar o papagaio de titular. Os dois tiveram várias chances e não aproveitam, já o papagaio não teve nenhuma chance de jogar pelo menos um jogo inteiro.

    Resposta
  • 25 de julho de 2019 em 14:24
    Permalink

    boa tarde massa. belo resultado mas não tenha nada ganho estes jogadores pipoqueiros não são de confiança. ontem mostrou que o pastor pipoqueiro deveria ser demitido ou pagar para jogar no galo. teve 2 chances de matar o jogo e pipocou.rui costa deveria ser demitido em ter renovado com este cone 2.aliás não caia nesta de renovar com o péssimo Elias. estamos lixados sem um camisa 9.alerrando esta numa pessima faze,pastor pipoqueiro ja passou a hora de aposentar e ser demitido. falta dar chances ao papagaio quem sabe ele será nossa salvação. acorda diretoria. vai galooo.

    Resposta
  • 25 de julho de 2019 em 14:42
    Permalink

    Eu nem comento sobre Patric, Elias e Fábio quando eles fazem uma partida razoável, afinal o que esses caras já fizeram de merda…

    Quanto ao jogo, sempre alegre com as vitórias.

    Resposta
  • 25 de julho de 2019 em 15:21
    Permalink

    E o Rui Costa perdeu mais uma ! Outro Toco ! Triste vida que segue do Galo ! 🙁

    Resposta
    • 25 de julho de 2019 em 16:17
      Permalink

      Perder Luciano. Graças A Deus. 3 anos de contrato e R$ 500.000,00 mes. Jogador meia boca.

      Resposta
      • 26 de julho de 2019 em 06:53
        Permalink

        Concordo em partes, caro Lugalo. Eu não queria esse jogador mediano mas esse diretorzinho tá levando muito toco. Muito fraco esse sujeito!!

        Resposta
  • 25 de julho de 2019 em 21:32
    Permalink

    ELIAS E VINÍCIUS JOGARAM BEM.??? DOIS PELADEIROS DESSES. É POR ELOGIOS COMO ESSE QUE O GALO ESTÁ SENDO ELIMINADO DE TODAS AS COMPETIÇÕES QUE PARTICIPA.
    ELIAS , R.OLIVEIRA E VINÍCIUS SÃO PÉSSIMOS.

    Resposta

Deixe uma resposta para dili Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *