Em jogo de reviravoltas, Galo arranca empate do Fortaleza

 

Jéssica Silva
Do Fala Galo, em Montes Claros
02/11/2019 – 20h45

O Atlético visitou o Fortaleza, no Castelão, em jogo válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após sofrer com as bolas paradas, o Galo teve que correr atrás do prejuízo para arrancar um empate nesta partida de confronto direto pela permanência na série A. Patric e Fábio Santos foram os autores dos gols atleticanos no Ceará.

O Galo entrou em campo com mudanças na formação titular. Nos primeiros minutos de jogo, o time de Vagner Mancini pressionou a saída de bola dos donos da casa e chegou a ameaçar, mas não surpreendentemente o Fortaleza foi quem saiu na frente. Bola alçada na área atleticana tem sido um pesadelo, os defensores do Atlético são facilmente superados por qualquer adversário, pois param para assistir aos lances na grande área.

O lateral Gabriel Dias se aproveitou da desatenção dos jogadores atleticanos e abriu o placar no Castelão. Na sequência, impediu o que seria um gol de empate, vindo dos pés de Luan. O péssimo futebol que vem sendo jogado pelo Atlético também está acompanhado por uma falta de sorte absurda. Isso é compreensível, já que a sorte só acompanha quem trabalha.

Patric havia entrado em campo improvisado como lateral-esquerdo, mas Guga saiu lesionado e o camisa 2 deu lugar a Fábio Santos, voltando a sua posição de origem. Dessa forma, voltamos a ter em campo a dupla de renegados pelas laterais, que viriam a fazer a diferença no jogo.
O empate veio justamente com Patric. O lateral bateu de canhota, por cobertura, e marcou um golaço no Castelão. Curiosamente, os dois gols marcados por Patric nesta temporada foram verdadeiras obras de arte.

Infelizmente, a reação do Atlético não durou muito, a alegria pelo gol também não. Mais uma vez o Galo mostrou que não aprende com seus erros e viu o lateral Gabriel Dias marcar seu segundo gol em nova desatenção da defesa atleticana. O Atlético vem se mostrando uma equipe sem poder de reação, cada vez mais desorganizada e o resultado de tudo isso não pode ser bom.

Se aproveitando da desorganização alvinegra, o Fortaleza ainda criou outras chances e poderia ter aumentado a vantagem no Castelão. Ignorando completamente o peso e a história da camisa atleticana, os jogadores do Galo vêm nos fazendo passar por maus bocados, tornando até mesmo o que deveria ser um jogo fácil em uma verdadeira guerra. O nível técnico da partida foi muito baixo, o adversário era muito limitado. Sendo assim, fica claro que com um pouco mais de “sangue nos olhos”, o time do Galo poderia alcançar resultados melhores, mesmo não tendo um plantel qualificado.

No início da segunda etapa, Geuvânio, que já tinha cartão amarelo, protagonizou um lance infantil com o lateral Gabriel Dias e foi expulso. O que já não era bom ficou ainda pior e o Galo teve que se virar durante todo o segundo tempo com um jogador a menos.
Apesar de estar em desvantagem numérica, o Atlético correu atrás do empate e o alcançou com Fábio Santos, que ironicamente nem estaria em campo neste jogo. Após bela jogada de Marquinhos, que deveria ter mais oportunidades, o lateral empatou a partida em bola rasteira.

Comemorar um empate contra o Fortaleza mostra a que ponto chegamos. Uma equipe que fez boa campanha no primeiro turno e chegou a liderar o campeonato hoje sofre com a ameaça de rebaixamento. A falta de coerência do presidente atleticano em suas ações foi o ponto de partida para o fracasso e a atual posição do Galo na tabela justifica todos esses erros.

Seguimos com a real necessidade de pontuar tanto quanto for possível, já que o risco de deixar a elite do futebol brasileiro é muito grande. Contra o Fortaleza vimos o que se pode chamar de reação, já que a equipe arrancou um empate com um a menos. Mesmo assim, a partida foi de um nível técnico baixíssimo e, mais uma vez, os gols adversários vieram de falhas amadoras, o que preocupa para a sequência do campeonato.

Cabe ao Galo torcer por resultados favoráveis no restante da rodada, uma vez que fica difícil acreditar que o time possa sair da zona de rebaixamento se chegar até ela. Sendo assim, o objetivo é não entrar, pois seria praticamente impossível sair com o futebol que vem sendo apresentado.

FORTALEZA 2 X 2 ATLÉTICO

Fortaleza: Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Jackson e Carlinhos; Juninho, Felipe, Romarinho (Felipe Pires) e Osvaldo (Marlon); André Luís e Wellington Paulista (Kieza). Técnico: Rogério Ceni

Atlético: Cleiton; Guga (Fábio Santos), Igor Rabello, Réver, e Patric; Nathan (Bruninho), José Welison, Luan, Terans (Marquinhos) e Geuvânio; Di Santo. Técnico: Vagner Mancini.

Cartões amarelos: Jackson e Felipe (Fortaleza); Réver, Di Santo e Geuvânio (Atlético)
Cartões vermelhos: Geuvânio (Atlético)

Gols: Gabriel Dias, aos 14 e aos 27 do 1ºT (Fortaleza); Patric, aos 23 do 1ºT e Fábio Santos, aos 40 do 2ºT(Atlético)

Motivo: 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Castelão, em Fortaleza
Data: 2 de novembro de 2019, sábado

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
VAR: Héber Roberto Lopes (SC)

 

GOSTOU? Siga nossas redes sociais. Clique nos links abaixo e fique por dentro dos bastidores do Atlético.

Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
YouTube: youtube.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Site: falagalo.com.br
Edição: Jéssica Silva
Edição de imagem: André Cantini 
Edição de texto: Angel Baldo