Ano novo: esperança renovada, velhos medos, dúvidas e muitas interrogações. Afinal, qual é a do Renova Galo? - FalaGalo

Ano novo: esperança renovada, velhos medos, dúvidas e muitas interrogações. Afinal, qual é a do Renova Galo?

 

 

Max Pereira
21/01/2020 – 06h
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

“As opiniões que constam neste texto, são de responsabilidade do torcedor Max Pereira.”

 

Afinal, o que deve o atleticano esperar de 2020 e o que deve ser cobrado? E, nesse contexto, qual é a resposta do Renova Galo para essa pergunta?

Parece simples responder a essa pergunta. Mas, não é. Na verdade, a resposta a essa questão dupla está no cerne do calcanhar de Aquiles de movimentos como o Renova Galo.

Em síntese, o Renova Galo tem procurado fazer esse convite para a massa atleticana: “Bora, construir um novo Atlético: eficiente, moderno, transparente, democrático, inclusivo, viável, vencedor e campeão. O estádio, se bem gerido, é apenas uma faceta., importante sim, mas não é tudo. A construção desse novo Atlético passa por outras variáveis que começam com um novo estatuto, ágil e moderno”.

Nesse emaranhado de interrogações, dúvidas e muitas incertezas, o teimoso e sempre otimista atleticano nunca perde a esperança de dias melhores e de poder comemorar um título de ponta. A velha obsessão pelo BI e os velhos medos se misturam nas mentes e corações atleticanos.

Nem mesmo a piada do momento de que o Atlético não tem e nem quer ter um bi conquistado pelo rival, um bi de dívidas, consegue aquietar o espírito atleticano.

Mas, que esperança é essa que, apesar dos pesares, anima de fato o galista apaixonado, passional e, na maioria das vezes, irracional e raivoso?

A experiência e a observação indicam que é a esperança do verbo esperar. Ou seja, aquela esperança que consiste em esperar que o milagre aconteça, que aquilo que se espera caia no colo, sem esforço, sem contrapartida, por ação de algum terceiro ou por obra divina.

A esperança que o Renova Galo quer incutir no atleticano é aquela do verbo esperançar, i.e., aquela que se busca concretizar o sonho mediante a ação, o fazer por onde, o fazer realizar. Esperançar é buscar tornar realidade aquilo que se espera, é agir e fazer por onde materializar aquilo que se espera, se deseja. É fazer o sonho tornar-se realidade. É a esperança do BORA, CONSTRUIR?

Já escrevi sobre isso mais de uma vez e pode soar repetitivo e chato. Mas, é fundamental retomar o tema.

Muito se pergunta sobre o que é o Renova Galo e o que o movimento propõe para o Atlético. Até agora temos respondido que o movimento é uma materialização da vontade de uns atleticanos de ver implementado no clube um novo modelo de governança, de gestão moderna do futebol, democrática e participativa.

Nesse sentido, já enumeramos à exaustão os princípios que regem nossas ideias e apresentamos uma proposta de um estatuto moderno, inclusivo e representativo de todos os segmentos da massa atleticana.

Mas, avançar e construir um projeto para o Atlético que vá além do que já foi dito e apresentado até agora é o desafio que se impõe ao movimento. Como vencer as resistências, as desconfianças e o apego à zona de conforto, sentimentos tão naturais ao ser humano?

E mais: como vencer as resistências dos homens que comandam o Atlético, dos atuais conselheiros e dos grupos políticos que, internamente, se digladiam pelo poder dentro do clube e que naturalmente irão se sentir ameaçados pelas nossas propostas?

Em qualquer instituição ou organização o novo incomoda. Sempre que chega alguém com novas ideias, o choque e a quebra de paradigmas é inevitável. No Atlético não é diferente.

Que o Atlético não é um clube transparente e que a sua comunicação institucional é (intencionalmente?) nula não é segredo pra ninguém.

Por isso, o primeiro passo na construção desse projeto é buscar conhecer em profundidade os meandros do clube, i.e., tudo o que acontece em seus interiores, única maneira de mensurar se o clube está preparado, de fato, não só para enfrentar os gargalos e as dificuldades que certamente irão surgir nas mais diversas frentes que estão se desenhando no futebol brasileiro, como também, de dimensionar os riscos que a forma como o clube vem sendo conduzido traz para o Atlético a curto, a médio e a longo prazos.

Para isso, é preciso ir além do que é dito e divulgado por aí, mesmo porque é fundamental e salutar saber distinguir o que é verdade do que é “verdade”. Se muitas são as perguntas e maiores ainda as incertezas, é preciso diligência e tirocínio para não se deixar levar por esse sem número de fakenews e de “notícias” plantadas com segundas intenções que continuamente são difundidas aqui e ali.

Concluída a etapa do conhecimento e da informação, passaríamos a desenhar e sugerir passos e estratégias para o clube obter os melhores resultados. Mas, não é só isso, o conhecimento das coisas do clube também nos permitirá traçar os caminhos que o Renova Galo deverá percorrer, enquanto movimento, para atingir os objetivos colimados.

2019 chegou ao fim. Um ano conturbado, de muitos equívocos e de alguns acertos que, em razão dos problemas e dos tropeços que marcaram a temporada atleticana, passaram despercebidos para muitos. É claro, além das angústias do conhecimento de todos, trouxe também medos e expectativas conflitantes em relação futuro do clube. E, para ser sincero, muitas dúvidas também em várias mentes e corações atleticanos sobre a eficiência e as intenções de movimentos como o Renova Galo.

E ainda bem que os integrantes do Renova Galo são continuamente cobrados, provocados e estimulados a refletir em relação aos rumos e as intenções do movimento. Também são válidas e bem vindas as cobranças sobre os seus posicionamentos pessoais em relação ao Atlético.

Que já passou da hora da massa reagir e cobrar responsabilidade do comando alvinegro parece óbvio para muitos atleticanos. Já deveria ser ponto pacífico no seio da massa eleger pétreos determinados posicionamentos, como por exemplo, não aos descalabros anunciados, não aos péssimos negócios ventilados, não às práticas torpes de normalizar saídas de determinados jogadores, via notinhas plantadas na mídia tradicional e nas redes sociais, não à falta de transparência.

Para que o Galo atinja o patamar desejado por todos nós, é preciso, também, que haja uma revolução na relação clube/torcida, de modo que , não só o torcedor se sinta efetivamente representado nos fóruns diretivos e consultivos do clube, como também que ele seja um agente transformador.

É ingenuidade esperar que essa revolução aconteça de dentro para fora do clube. A única pessoa capaz de fazer essa revolução é o próprio torcedor.

Ah! Mas nesse 2020 Sette Câmara e sua diretoria estão dando sinais de que a tão propalada austeridade é coisa séria e de que o trato do futebol está de fato adquirindo tons profissionais interessantes. Mas, será isso mesmo ou apenas uma ilusão?

Por isso, para o torcedor comum e, óbvio, para nós do Renova Galo também, a palavra de ordem é a seguinte: vigiar, perseverar, cobrar, perseverar, questionar, perseverar, buscar a informação correta, perseverar, denunciar quando for o caso, perseverar, exigir transparência, perseverar.

Ou seja, por mais interessantes e positivos que sejam esses sinais, o Renova Galo não perdeu e está muito longe de perder a sua justificativa de existir, mesmo porque o clube de nossos sonhos ainda é peça de ficção.

É preciso entender o Renova Galo como um projeto em construção e aprimoramento continuo, que não tem vida e nem funciona sem o envolvimento da. Massa.

O Renova Galo, além de se propor desenvolver um projeto de futuro para o Atlético com a participação de todo atleticano que se disponibilizar caminhar junto conosco, sabe que o processo de sua implantação, além de longo e complexo, certamente enfrentará resistências.

Nunca é demais lembrar que o Renova Galo, fiel ao seu princípio de movimento aberto e sem dono, não é refratário a caminhar com os atuais conselheiros e com a atual diretoria, em tudo aquilo que entendermos positivo, interessante e benfazejo ao clube.

Tem gente que nos pergunta como isso será possível se o objetivo sempre confessado do Renova Galo significa romper com o modelo atual de gestão e com política interna do clube. A resposta é muito simples: o apoio racional e diligente ao Atlético, preconizado pelo movimento, por óbvio, não pode desconsiderar tudo aquilo de bom que estiver sendo feito.

Ao contrário, o que for interessante e profícuo deve ser potencializado.

E tem mais: o Renova Galo quer ir mais além: quer propor também um leque de ações emergenciais para o clube, tendo em vista a grave crise financeira, associada a um modelo de gestão arcaico, feudal e ultrapassado. Para isso, conhecer o clube em profundidade e também as ameaças que pairam sobre o Atlético é fundamental.

Dito isso, o Renova Galo propõe uma divisão de tarefas com cada torcedor interessado em agir para construir um Atlético efetivamente forte, campeão e vencedor, porém, equilibrado financeiramente, auto suficiente, inclusivo, democrático e transparente.

Está feito o convite: venham conosco e nos ajudem a construir este projeto e também a intrigar, provocar e atrair mais e mais apoiadores que, por sua vez, se sentirão cada vez mais estimulados a saber mais do clube e, claro, a conhecer o próprio Renova Galo.

4 comentários em “Ano novo: esperança renovada, velhos medos, dúvidas e muitas interrogações. Afinal, qual é a do Renova Galo?

  • 21 de janeiro de 2020 em 12:21
    Permalink

    Bom dia!
    Eu queria o Galopsyta de volta. Não tem como? Tudo bem. Me conformo. Só não tenho mais paciência pra ver Patric, Fábio Santos, Ricardo Oliveira e Di Santo. Me ajuda aí Dudamel!

    Outra coisa, ano passado, quem fez os gols pro Galão? Luan e Cazares. O primeiro já foi embora, o segundo tá saindo por míseros 11 mi de reais? É isso mesmo produção?
    Cazares é o melhor camisa 10 no Brasil!!! Não tem ninguém pra substituir o venezuelano! Vamo deixar a burrice de lado um pouquinho!

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2020 em 12:42
    Permalink

    AS TETAS SÃO AS MESMAS , TRANSPAREENCIAS COMO SE NINGUÉM SABE COMO FUNCIONA A TURMA QUE ENTENDI USA PARA GANHAR DINHEIRO E IGUAL NA POLÍTICA O. TORCEDOR PAGA AJUDA E ALGUNS ENRIQUECE.
    NO FINAL SE GANHAR BEM SENÃO , ANO QUE VEM TENTA DENOVO MAS A TURMA GANHOU, SALVOU O DELES, QUEM CONSEGUE PAGAR SIFRAS MILIONÁRIAS E INVESTIDORES COLOCAR DINHEIRO SEM GARANTIA , AI TEM.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2020 em 13:13
    Permalink

    Nosso galo tem que aprender com os erros do passado e do presente, inclusive do nosso rival.. é fundamental tirar o clube dessa oligarquia que acha que é dona do clube. Sócios Torcedores deveriam votar nas eleições!!

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2020 em 16:15
    Permalink

    A austeridade em 2020 é vender 100 milhões. Si não vender, vai vender o restante do shopping? Pra mim esse presidente é mais do mesmo. Paga as dividas dos outros e a dele quem vai pagar vai ser outro presidente. Vide chará.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *