O fim da era “Menino Maluquinho” no Galo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Bruna Vargas
18/12/2019 – 07h27
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Luan Madson é natural de São Miguel dos Campos (AL), nascido no dia 11 de agosto de 1990, atua como ponta direita. Com passagens pelo Atlético Sorocaba e Ponte Preta, o jogador atraiu a atenção do clube mineiro, que em 2013, adquiriu 60% dos seus direitos e com um contrato inicial de quatro temporadas, era o novo atleta do Atlético.
O meia estreou pelo Galo no dia 13 de fevereiro de 2013, na vitória de 2×1 sobre o São Paulo, pela Copa Libertadores.

O MENINO MALUQUINHO:

O jeito de jogar do camisa 27 conquistou a torcida logo de cara, já na sua primeira partida pelo alvinegro, na Libertadores. Sua vontade, raça e loucura dentro de campo deu ao jogador o apelido de “Menino Maluquinho”, personagem das histórias em quadrinhos do cartunista Ziraldo.
Luan ganhou seu espaço e não demorou muito para virar uma espécie de xodó da torcida. Raça em campo e entrevistas engrandecendo o clube fora dele, faziam do jogador um representante do torcedor dentro das quatro linhas.

CONQUISTAS:

Vestindo a camisa do Galo, Luan teve um caminho vitorioso e esteve presente nas principais conquistas do alvinegro nos últimos anos. Com 305 jogos, o camisa 27 está atrás, no atual elenco, apenas de Victor e Leonardo Silva, no quesito atuações com a camisa alvinegra. São 153 vitórias, 68 empates e 84 derrotas, e 49 gols marcados.
Além ainda das conquistas do Campeonato Mineiro de 2013, 2015 e 2017, a épica Copa Libertadores de 2013, Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil em 2014, sendo nesta última, um dos principais jogadores da competição. Luan marcou o gol que levou o alvinegro a decisão, nos acréscimos, na goleada por 4×1 contra o Flamengo, no Mineirão. E na decisão, contra o arquirrival Cruzeiro, o Menino Maluquinho também deixou a sua marca. Com o gol na partida de ida, o Galo venceu por 2×0, no Independência, e ainda derrotou o rival tranquilamente no segundo jogo por 1×0, sacramentando o título da Copa do Brasil.

ALTOS E BAIXOS:

Remanescente da equipe vitoriosa de 2013/14, o meia vem vivendo altos e baixos no alvinegro e a sua relação com a torcida foi se estreitando com o passar do tempo.
As constantes lesões em 2016/17, e, consequentemente, a queda do desempenho em campo foram as principais razões da instabilidade na relação com a torcida. Além ainda de insatisfações e reclamações quando o jogador foi colocado no banco pelo técnico Thiago Larghi, em 2018, o que para a torcida, rachou elenco e acabou na saída do treinador. As atuações abaixo do esperado e a parte física deixando a desejar também foram outro ponto “baixo” do atleta nas últimas temporadas, e só raça e “carrinho”, parecem não ser mais suficientes para sustentar o jogador no Atlético. Já que negociações envolvendo o jogador quase foram concluídas e o meia já chegou bastante perto de defender o Corinthians nas últimas temporadas.

 

DE SAÍDA:

Apesar de campeão pelo Galo e xodó da torcida, ciclos se encerram e ao que tudo indica, o de Luan no Atlético também chegou ao fim. Com mais de 6 anos de clube, o Menino Maluquinho terá o Japão como casa em 2020. O atleta jogará no V-Varen Nagasaki, clube da segunda divisão japonesa. Luan viajou na última quarta-feira (11), para acertar os detalhes da transferência. O contrato inicial é de quatro temporadas e os valores não foram revelados.

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

3 comentários em “O fim da era “Menino Maluquinho” no Galo

  • 18 de dezembro de 2019 em 10:12
    Permalink

    Luan vai deixar saudade sim e muito. O Atlético com ele no campo é diferente. Não sei como será agora daqui pra frente. Desejo à ele toda a felicidade e sucesso no Japão.

    Resposta
  • 18 de dezembro de 2019 em 21:17
    Permalink

    Gols decisivos nas maiores conquistas do Galo. Muita raça e entrega. Único dos últimos tempos que se podia esperar uma mudança de jogo, um jogo incendiado quando saía do banco. Verdadeiramente honrou a camisa alvinegra. Está para sempre na galeria dos heróis do Galo!
    Obrigado Luan!
    Fico pensando agora nós nossos pobres laterais sem a ajuda de Luan.

    Resposta
  • 18 de dezembro de 2019 em 23:52
    Permalink

    Vai na fé Luan que Deus continue abençoando você e sua família que nessa nova fase da sua vida eu tenho certeza que assim como conquitou seu espaço na história do Galo no Japão no seu novo clube não será diferente porque Deus é contigo vai na sua força. E sempre será um orgulho para a torcida do galo em saber que você jogou no Atlético mineiro fica aqui meu muito obrigado pela entrega dentro de campo e pelo orgulho que teve de jogar aqui no galo vai com Deus e até breve.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *