O dilema de Tostines na motivação do Atleticano

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Por Professor Denílson Rocha 

Nos últimos dias, os jogos do Galo nos trouxeram experiências e sentimentos que reforçaram a bipolaridade típica do Atleticano. Primeiro, uma derrota vergonhosa para o principal rival local, com uma postura apática. Ainda assim, o torcedor lotou o Independência para o segundo jogo, deu apoio e assistiu a uma partida com comportamentos bastante diferentes, que receberam aplausos, mesmo com a desclassificação. E, por fim, um jogo que parecia ganho (sem nenhum mérito próprio), que terminou em um empate e muitas – e merecidas – vaias.

Ao final do jogo da quarta-feira, 17/07, os jogadores declararam a importância do apoio da torcida. Em sua entrevista, Elias – geralmente um dos mais sonolentos em campo – afirmou que “o apoio da torcida torna o Atlético quase imbatível no Independência”. A declaração buscava, em princípio, ressaltar como a sintonia entre torcida e time criam um ambiente especial, uma pressão no adversário, que nos leva às vitórias. Porém, mostra que os jogadores não só desconhecem a história do Clube como estão desconectados com a realidade.

A sintonia entre torcida e time faz parte da história do Atlético, e não tem qualquer relação com o debate dos últimos anos sobre jogar no Independência ou no Mineirão. Não precisa de muito esforço para encontrar vídeos mostrando o apoio da torcida nos anos 70, 80, 90 ou, inclusive, como a torcida carregou o time de volta à série A. Também não é preciso esforço para ver como a torcida esteve presente no Mineirão na lamentável campanha da Libertadores desse ano. Então, caros jogadores, o apoio da Massa sempre esteve presente – mesmo com times medíocres. A proeza do atual elenco é conseguir desestimular até os mais fanáticos Atleticanos.

O que mostra a total desconexão do time (e, muito provavelmente, da direção) com a torcida é colocar o apoio como motivador para deixar a preguiça de lado e ter vontade de ganhar. E aí vem a semelhança com o dilema de “Tostines”: é o apoio da torcida que motiva o time a jogar para ganhar ou é o time jogando para ganhar que motiva o apoio da torcida?

Sem querer adotar o tom professoral, é preciso compreender o que é a motivação. Segundo os entendedores do assunto, motivação é a razão que te faz agir. Muita gente séria passou anos de sua vida se dedicando a estudar a motivação humana – Maslow, Herzberg, Lawler III, McGregor, McClelland, Vroom… – e, em geral, nos levam a uma mesma conclusão: ninguém motiva ninguém. A motivação é sempre íntima e pessoal. O importante é entender o que acredita, deseja e busca.

A motivação do torcedor Atleticano é fácil de ser compreendida. Ser Atleticano é algo espiritual. Nascemos Atleticanos. Temos o sentimento de participar de algo que é, em muitos momentos, maior que nossa própria existência, que nos deixa alegres, tristes, realizados, frustrados… O Atlético é nossa motivação.

O problema é quando as pessoas que estão no Galo viram nossa fonte de desmotivação. Seja quem veste o Manto, seja quem dirige o Clube, parece que não entendem o sentimento de atleticanidade, não se envolvem, não se dedicam, não se esforçam, não agem com a grandeza que o Atlético tem. Isso é o mínimo que esperamos.

O que motiva esses atletas ou mesmo a direção do Atlético?

As condições de trabalho são excelentes, com um centro de treinamento de primeiro mundo, hotéis de luxo, e recursos (alimentação, hospedagem, transporte, segurança) e profissionais (médicos, fisioterapeutas, fisiologistas, nutricionistas) para darem suporte em tudo o que precisam para exercer adequadamente sua atividade. Não falta nada… Remuneração que poucos no País conseguem alcançar – podem até falar em atrasos mas quer colocar isso como fonte de desmotivação? O ambiente de trabalho parece colônia de férias, com amigos de divertindo, sorrindo e brincando de futebol de mesa logo após uma desclassificação para o principal rival. O que falta para se sentirem motivados?

Para os que atuam em um ambiente de competição, como é o futebol, vencer é motivador. Quem é competitivo quer sempre vencer. Se faz um gol, quer muitos outros para ser artilheiro. Se ganha um título, busca outro ainda maior. A pessoa sempre quer mais e mais… Mentalidade vencedora que falta no Galo.

Aqui, tudo funciona ao contrário… se já estão na história por vitórias e conquistas – seja no próprio Atlético ou em outros clubes –, não preciso mais me esforçar, me dedicar. Se ganharam uma Libertadores, pode ir passear no Mundial. Se venceu o rival (mesmo sendo desclassificado), posso passear em campo no domingo.

E o pior é ver o “menino mimado” que não pode ser substituído, não pode ser cobrado, não pode ser exigido. E nós temos parcela nessa situação ao proteger das críticas aqueles que continuam vivendo das vitórias de 6 anos atrás.

As exigências e cobranças que nos moldaram para exercer nossas profissões estão cada dia mais distantes da realidade do Galo. É estarrecedor que um atleta profissional fique “abalado” após perder um pênalti e não se disponha a bater o pênalti novamente. Estar em um campo diante de milhares de pessoas exige que o profissional esteja preparado para cobrança, pressão e, após um erro, tentar novamente até acertar.

Enquanto a torcida encara suas frustrações e sua raiva com um time sem alma, jogadores e diretoria se fecham na colônia de férias da Cidade do Galo. Provavelmente, chamarão um palestrante motivacional, um especialista em autoajuda ou um coach de vida para lhes dar apoio. Afinal, quem não pode ser cobrado apela para as palavras belas (e vazias).

Então, caros senhores, não venham pedir apoio da Massa. Isso se conquista! Não venham buscar motivação no apoio da torcida. Vestir o Manto do Atlético deve ser motivação suficiente para querer, sempre, vencer. Se não for, pede pra sair.

 

DE CARONA COM O FALA GALO #13

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR DENTRO DOS BASTIDORES DO ATLÉTICO
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

 

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

10 comentários em “O dilema de Tostines na motivação do Atleticano

  • 23 de julho de 2019 em 13:49
    Permalink

    Parabéns pelo post. Confesso que deixei de acompanhar o FALA GALO, por posts até imbecis que em nada ajudaram na avaliação ou debate acerca do time. Hoje sim, uma postagem digna para análise e discussão.

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 07:33
    Permalink

    Bom dia,
    Sensacional!
    “O Atlético é nossa motivação.” Sim!! Foi, é e sempre será!
    E parece que esses caras, que hoje envergam nosso manto, ainda não entenderam.
    Tenhamos esperança de dias melhores, porque a FÉ do Atleticano permanece inabalável!
    Saudações e parabéns pelo post.

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 09:04
    Permalink

    O Elias acabou de dar entrevista e lembrou que em 2017 fomos eliminados pelo Botafogo tomando uma traulitada de 3×0 Victor, Fábio Santos, Elias, Cazares e Luan estavam em campo.
    Esse ano fomos eliminados pelo rival tomando uma traulitada 3×0 e adivinhem quem estava em campo??? Victor, Fábio Santos, Elias, Cazares e Luan.
    Esses PIPOQUEIROS vem nos fazendo passar vergonha desde 2017, até quando vamos ter que aguentar jogadores CAROS E PIPOQUEIROS????
    Em 3 anos só ganhamos um mísero Mineiro com essa base PIPOQUEIRA E EXTERMINADORA DE TÉCNICOS.
    Se manter essa base o Rodrigo Santana vai ser mais um técnico a cair, será que ninguém vê isso, e ainda querem renovar com o Elias????
    O problema não é a falta de dinheiro e sim o mal uso dele, insistindo em alguns jogadores por muito tempo, contratando jogadores meia boca “apostas”, renovando contratos sem a maior precisão como os casos de Nathan, Ricardo Oliveira, Lucas Cândido, etc…
    Porquê não economizar esse dinheiro que se gasta em jogadores meia boca e renovações inúteis para gastar em jogadores top e decisivos???
    Porquê invés de contratar jogadores meia boca não da oportunidades a jogadores da base???
    Para voltarmos ao caminhos dos títulos a mudança tem que começar lá de cima, GERIR MELHOR OS RECURSOS QUE ESTÃO SENDO MAL GASTOS.

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 09:18
    Permalink

    Segundo a mídia o Atlético ofereceu 400 mil por mês só de salários ao Luciano e um contrato de 3 anos.
    Logicamente ele não vale tudo isso, vai conseguir o contrato dos sonhos aí eu pergunto que motivação ele vai ter??? ganhando ou perdendo o alto salário dele vai ser pago rigorosamente em dia como é pago os altos salários de Elias, Fábio Santos, Cazares, Luan, Ricardo Oliveira, Nathan, Vina, Bolt, os pipoqueiros de sempre.
    Repito o PROBLEMA NÃO É FALTA DE DINHEIRO E SIM O MAL USO DELE, NO GALO SE GASTA MUITO MAL DESDE 2015.

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 09:24
    Permalink

    Concordo em gênero e grau com o post.

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 09:58
    Permalink

    PARABÉNS PELA COLUNA DE HOJE , DISSE QUASE TUDO.
    NADA VAI MOTIVAR SANGUE SUGAS COMO ELIAS , R.OLIVEIRA , CAZARES , E OUTROS.
    ELIAS É UM CÂNCER QUE VEM CORROENDO OS COFRES E O FUTEBOL DO GALO. GANHA MUITO DINHEIRO E NADA PRODUZ. R.OLIVEIRA É OUTRO , ALTÍSSIMO SALÁRIO PARA NADA PRODUZIR.
    Denílson , Teranz , Leandrinho, Bolt , Natan , Maidana, Hernandez , Martinez , para que servem.???.
    QUEM MANDA CONTRATAR ESSES REFUGOS.?? QUEM GANHA COM ISSO.??
    UM MISTÉRIO.

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 10:03
    Permalink

    Bom dia!!
    Top posts!
    A cobrança deve existir atodos os pipoqueira, sem essa de herói do passado, porém deve ser mais pesada a quem ainda não mostrou a que veio. A propósito, Elias em campo é sempre sinal de fracasso. Ninguém vê isso?

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 10:05
    Permalink

    ENQUANTO VAMOS SENDO ELIMINADOS DE TODOS OS TORNEIOS , AS MARIAS MESMO COM A POLÍCIA NA PORTA , VAI CHEGANDO A TODAS AS FINAIS.
    QUEM SABE SE A POLÍCIA BATESSE NA PORTA DA SEDE DO GALO , NÃO FARIA BEM AO CLUBE.?? PARA LIMPAR POSSÍVEIS SUJEIRAS.??

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 10:13
    Permalink

    O time é o retrato do presidente, mulambento e pipoqueiro, sem alma, só almofadinha, mas na próxima eleição vou dar o troco no Kalil, culpa exclusiva dele em colocar o pior presidente da história do atlético, chega de vexames.

    Resposta
  • 24 de julho de 2019 em 10:58
    Permalink

    Bom dia !

    Sinceramente, hoje não vou nem na metade dos jogos do Galo que eu ia antes ! Há então você é Atleticano modinha ? Não !!!!!!!! Acompanhei o Atlético bem mais que muitos que comentam aqui ! Sim ! E posso provar ! Segui o Atlético nas batalhas contra o Flamengo no Maracanã, vi o maior centroavante que o Galo já teve ser vaiado e xingado de bichado por mais de 100 mil pessoas no maracanã e ele com uma perna só calá-los ! Sim eu estava lá com a torcida Força Viva que meu falecido Tio adorava acompanhar nas viagens, e levar seu sobrinho( Eu), com 16 anos junto. Já adulto acompanhei com ele também as odisseias da Copa conmebol extinta, que hoje se chama Copa Sul-americana no qual o atual presidente desdenho, e agora está loucamente doido para ganhá-la para não passar pelo Galo como o MAIS UM presidente que não ganhou nada pelo Clube, nem Mineiro !!!!!!! Por isso, e por esses pensamentos, que venho nos decorrer dos anos deixando de acompanhar aquilo que um dia já foi o maior prazer da minha vida. Mas continuo Galo doido, mas hoje já durmo apos uma derrota !

    Resposta

Deixe uma resposta para PABLO DE OLIVEIRA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *