Um dos maiores goleiros da história do Atlético-MG, Taffarel completa 54 anos nesta sexta - FalaGalo

Um dos maiores goleiros da história do Atlético-MG, Taffarel completa 54 anos nesta sexta

 

 

Samuel Resende
08/05/2020 – 07h
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

Nesta sexta, 8, um dos melhores goleiros da história do Atlético, Cláudio Taffarel, completa 54 anos de vida. O ex-jogador fez 191 jogos com a camisa alvinegra no período de 1995 a 1998, conquistou três títulos e se tornou o quarto goleiro que mais atuou pelo Galo na história.

Taffarel chegou ao clube após ser campeão do mundo com a seleção brasileira, aos 29 anos e com reconhecimento mundial. “Depois da Copa de 94 eu estava sem clube, até o momento em que o Atlético me procurou. Aceitei de imediato porque sabia que era um grande clube, com uma torcida fantástica, uma cidade muito boa. Depois vi que era muito mais do que imaginava”, revela o ex-goleiro, em entrevista exclusiva ao Fala Galo.

Logo em sua chegada, Taffarel já sentiu o apoio da torcida ao ser recebido em um desfile com direito a presença de carro do corpo de bombeiros. “Minha chegada foi algo impressionante, inesquecível. Tinha uma ideia do que seria ir para o Atlético, mas chegando com a recepção que tive, torcida gritando meu nome, correndo atrás do carro, foi algo sensacional. Haviam seis meses que não tocava na bola e aquilo me deu um ânimo altíssimo”, relembra.

Bicampeonato da Conmebol e títulos no Atlético

Com muito prestígio, rapidamente se transformou em um ídolo da torcida, que cantava: “El, el, el sai que é sua Taffarel”. Em seu primeiro ano, conquistou o Campeonato Mineiro de 1995. Dois anos depois, se tornou bicampeão da Copa Conmebol. “Foi um título muito importante para marcar a equipe. Tivemos momentos difíceis, mas sempre fomos apoiados pela torcida e queríamos dar algo importante a eles. Foi difícil bater o Lanús. Era uma equipe dura, agressiva, que nos exigiu o máximo, mas estávamos preparados”, afirma Taffarel.

Em 1997, ainda foi campeão da Copa Centenário atuando com a camisa do Galo e da Copa América pela seleção. “Foi um ano especial. Acho que quando você ganha um título, já começa a pensar no próximo. Vencer a Conmebol me deixou muito confiante para ir a seleção, deu um entusiasmo maior para ganhar mais um título”.

 

Solidariedade

Na época em que atuava pelo Atlético, o clube passava por um momento financeiro complicado. Devido a situação, o ex-goleiro ajudava com cestas básicas os funcionários da Vila Olímpica, local em que os jogadores treinavam. “Sempre que possível nós (jogadores) ajudávamos essas pessoas. Tínhamos um relacionamento muito próximo, dávamos apoio uns aos outros. Foi uma grande experiência para todo o grupo, nos unimos com o objetivo de ajudar os funcionários que mais precisavam”, conta.

Sua passagem pelo clube mineiro foi tão expressiva que recebeu a Medalha da Inconfidência, atribuída à personalidades que contribuíram para o prestígio e a projeção mineira. Mesmo com algumas confusões dentro de campo e problemas com a diretoria, Taffarel marcou seu nome na história do clube e até hoje é lembrado como um dos maiores da história.

“Só quem vive lá dentro, veste a camisa e trabalha pelo Atlético sente a força dessa instituição e da torcida. Foi uma experiência ótima e infelizmente durou apenas três anos. Sempre falei que durou pouco tempo. Foram anos de muita intensidade, tanto profissionalmente quanto pessoalmente, pois a cidade nos proporcionava viver de uma maneira impressionante, com tranquilidade e recebendo carinho”.

A saída do clube aconteceu após sua volta do Mundial de 1998, quando foi vendido para o Galatasaray, da Turquia, por 600 mil dólares. Antes da viagem, escreveu uma carta de despedida ao clube (link da carta), que é relembrada até os dias de hoje. Em um trecho, fala sobre a paixão da torcida: “Com quanta alegria eu ouvia a Massa Atleticana gritando: “El, el el, sai que é sua Taffarel!!!”. Depois de um gol sem explicação, de uma briga ou outra situação ruim, nunca faltaram mensagens de otimismo por parte da torcida do Galo. Bastava abrir um jornal no dia seguinte e lá estava o atleticano me dando o maior crédito. E este é o tipo de coisa que marca a vida da gente”.

 

Carreira

Natural de Santa Rosa, cidade do Rio Grande do Sul, Cláudio André Mergen Taffarel foi revelado pelo Internacional em 1985 e teve passagens por Parma e Reggiana, clubes da Itália, antes de chegar ao Atlético em 95. Atualmente, é o treinador de goleiros da Seleção Brasileira.

View this post on Instagram

🇧🇷

A post shared by Cláudio Taffarel (@taffareloriginal) on

Taffarel participou de três Copas do Mundo, sendo campeão em 94 e vice em 98. Pela seleção, ainda conquistou a Copa América de 89 e 97. Pelo Galatasaray, ganhou um triplete em 1999: Europa League, Campeonato Turco e Taça da Turquia. Na Itália, jogou, conquistou o último título de sua carreira, a Copa Nacional do país de 2002 e se aposentou no ano seguinte. Ao todo, foram 690 partidas e 11 títulos como profissional, oito anos entre os 10 melhores goleiros do mundo e o sexto jogador com mais partidas pela seleção brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *