Trinta e Sette: veja as 37 contratações da "era" Sérgio Sette Câmara no Atlético - FalaGalo

Trinta e Sette: veja as 37 contratações da “era” Sérgio Sette Câmara no Atlético

 

 

Angel Baldo / Revisado por Ruth Martins
23/03/2020 – 07h
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

GRUPO DE NOTÍCIAS DO FALA GALO, CLIQUE AQUI:

Sérgio Sette Câmara assumiu a presidência do Atlético no fim de 2017 com a promessa de “enxugar” as contas. Uma das palavras mais utilizadas por ele  naquele momento foi “austeridade”. Até aqui foram contratados 37 jogadores, 3 diretores de futebol e 6 treinadores (7 com Oswaldo de Oliveira, que já estava no cargo).

Na temporada de 2018 foram 17 contratações. Apenas 3 ainda estão no elenco.

Para comandar o futebol do Atlético, Sérgio Sette Câmara fez uma aposta arriscada, trazendo Alexandre Gallo para a função de diretor, mas os erros foram tantos que Gallo acabou sendo demitido ainda em outubro.

Oswaldo de Oliveira iniciou a temporada no comando técnico, porém, após apresentações pífias e uma discussão pós-jogo com o jornalista Léo Gomide, acabou sendo demitido ainda em fevereiro. No seu lugar assumiu o analista de desempenho Thiago Larghi, que rapidamente colocou o time nos trilhos e acabou sendo efetivado.

Na parada para a Copa do Mundo, Larghi sofreu um duro golpe. A equipe perdeu peças importantes e a queda drástica de rendimento foi inevitável. Resultado? Acabou demitido!

Para o lugar de Thiago Larghi, Levir Culpi foi contratado e assumiu com a missão de levar o Atlético para a Copa Libertadores do ano seguinte. Missão dada, missão cumprida. O problema é que o treinador não convenceu. Levir manteve o futebol fraco e alcançou apenas a sexta colocação do Brasileirão.

 

CONTRATAÇÕES:

AROUCA: O volante foi contratado por empréstimo junto ao Palmeiras, com o Atlético pagando 50% do salário do atleta. Já em declínio na carreira, Arouca não conseguiu render e, com apenas 12 partidas, teve seu contrato rescindido. Atualmente o volante defende o Figueirense.

Imagem: Bruno Cantini

 

SAMUEL XAVIER: O Atlético tinha em mãos a oportunidade de contratar o bom lateral-direito Daniel Bocanegra (Atlético Nacional), mas optou pela contratação de Samuel Xavier, com o aval do então técnico Oswaldo de Oliveira, e já chegou contestado. Fez apenas 8 jogos e foi liberado antes do fim do seu contrato. Atualmente Samuel defende o Ceará.

RICARDO OLIVEIRA: O experiente centroavante chegou sem custos de transferência e com a missão de substituir Fred. Logo na primeira temporada com a camisa do Galo, o Pastor marcou 22 gols em 56 jogos. Ricardo Oliveira já não vive a boa fase de 2018 e tem contrato até o fim desta temporada.

Foto: Bruno Cantini

 

RÓGER GUEDES: Talvez essa contratação tenha sido um dos poucos “acertos” da gestão Sette Câmara em 2018. Guedes chegou por empréstimo e, mesmo sem o passe fixado, rendeu aos cofres do Galo cerca de R$ 11 milhões de reais. Começou fazendo raiva na torcida, mas deu a volta por cima e saiu como “rei”. Em 28 jogos, Guedes marcou 13 gols e distribuiu 2 assistências.

Foto: Bruno Cantini

 

IAGO MAIDANA: O zagueiro chegou por empréstimo, após uma temporada de destaque na Série B atuando pelo Paraná Club, e acabou ficando em definitivo em uma transação envolvendo o restante que o São Paulo devia ao Atlético do atacante Lucas Pratto. Maidana nunca conseguiu se firmar, atualmente está emprestado ao Sport Recife e tem contrato com o Atlético até 31/12/2022.

TOMÁS ANDRADE: O meia argentino que pertence ao River Plate foi oferecido para várias equipes do futebol brasileiro, dentre elas, o América Mineiro, o Vasco da Gama e o Sport Recife, porém todos os clubes recusaram. Oferecido ao Atlético, o clube aceitou. Pelo Galo Tomás fez 31 jogos e marcou 3 gols. Ao final da temporada ele não teve seu contrato renovado e atualmente atua no Argentinos Juniors.

MATHEUS GALDEZANI: O volante chegou do Coritiba por empréstimo e com passe fixado após negociações frustradas com João Paulo, do Botafogo. No seu melhor momento com a camisa do Atlético, Galdezani sofreu uma lesão e, com isso, o Galo não exerceu o direito de compra. Foram 24 jogos e um gol marcado. Atualmente o jogador está no Coritiba.

JUNINHO: O zagueiro chegou por empréstimo junto ao Palmeiras, porém teve falhas cruciais e rapidamente entrou na rota de colisão com a torcida. Fez apenas 4 jogos e atualmente defende o Bahia.

EMERSON: Sem dúvidas o maior acerto da era Sérgio Sette Câmara. O lateral-direito desconhecido custou cerca de R$ 5 milhões de reais aos cofres do Atlético e, após boas atuações e convocações para a seleção Olímpica, foi negociado com o Barcelona por R$ 50,8 milhões de reais.

Foto: Bruno Cantini

 

YIMMI CHARÁ: O atacante colombiano chegou com banca de “superstar”, principalmente pelos valores envolvidos, cerca de R$ 22,2 milhões de reais. No entanto, Chará nunca conseguiu ser unanimidade para o torcedor e acabou sendo negociado no início desta temporada com o Portland Timbers por cerca de R$ 26 milhões de reais. Pelo Atlético foram 68 jogos e 11 gols.

DAVID TERANS: O meia-atacante chegou após ganhar destaque no futebol uruguaio atuando pelo modesto Danúbio. Terans custou cerca de R$ 2 milhões aos cofres do Atlético, mas nunca conseguiu se firmar. Foram 33 jogos e dois gols marcados. Atualmente ele está emprestado ao Peñarol e tem contrato com o Atlético até 30/06/2023.

DENÍLSON: Assim como Samuel Xavier, o atacante Denílson já chegou com muita rejeição da massa atleticana. O Atlético investiu cerca de R$ 1,3 milhões de reais para contratá-lo, porém, como esperado, Denílson não conseguiu render e após 8 jogos foi emprestado ao Al-Faisaly (ARA). Na sequência ele foi para o Tondela (POR) e atualmente defende o Paços Ferreira (POR). Denílson tem contrato com o Atlético até 30/06/2021.

Foto: Bruno Cantini

 

EDINHO: O meia-atacante foi contratado junto ao Guarani-SP por cerca de R$ 2 milhões de reais, após se destacar no Fortaleza, porém, logo na estreia pelo Atlético ele sofreu uma lesão e não conseguiu dar sequência. Edinho foi emprestado ao Fortaleza e retornou nesta temporada. Pelo Atlético são 11 jogos e um gol. Seu contrato vai até 30/06/2023.

JOSÉ WELISON: O volante chegou ao Atlético por empréstimo vindo do Vitória. Teve um bom início, inclusive deixou o torcedor apreensivo na reta final de 2018, uma vez que o seu contrato estava próximo do fim. Se o “Pai Véi” terminou a temporada de 2018 em alta, de 2019 não podemos dizer a mesma coisa. Com contrato renovado, Zé Welison viveu muitos baixos e hoje é muito contestado pelo torcedor. O volante tem contrato até 30/12/2023 e não faz parte dos planos de Jorge Sampaoli para o restante da temporada.

LEANDRINHO: O jovem atacante chegou por empréstimo e gerou muitas expectativas ao torcedor atleticano, porém, com um desequilíbrio muscular, Leandrinho pouco jogou. Foram 9 partidas sem nenhum gol e seu contrato não foi renovado. Atualmente Leandrinho está no Red Bull Bragantino.

NATHAN: Contratado por empréstimo junto ao Chelsea, após uma temporada ruim em Portugal, Nathan demorou a engrenar. Foi com Rodrigo Santana, atuando como segundo volante, que o atleta começou a apresentar boas atuações. Nathan tem contrato até 30 de junho deste ano. Até aqui foram 48 jogos e 5 gols.

MARTÍN REA: Este é um dos grandes mistérios do futebol! O uruguaio foi contratado por um período de 12 meses, mas nunca entrou em campo em uma partida oficial. Com um salário na casa dos 35 mil dólares, Martín Rea saiu sem saber por quais motivos veio. Atualmente ele defende o Atlante, do México.

Foto: Bruno Cantini

 

Na temporada de 2019 foram 12 contratações. 7 ainda permanecem no elenco.

Para a temporada de 2019, Sérgio Sette Câmara iniciou com o ídolo Marques comandando o futebol, porém, novamente errou. Marques fez escolhas equivocadas e acabou trazendo jogadores com alto salário e baixo desempenho.

Levir Culpi iniciou a temporada no comando técnico, mas, com o mesmo futebol pobre que fechou o ano anterior, após uma série de vexames na Copa Libertadores acabou sendo demitido. Rui Costa foi contratado para o cargo de diretor e, após várias tentativas frustradas de encontrar um novo treinador, Rodrigo Santana foi efetivado.

Os resultados ruins no Brasileirão e a dolorosa eliminação na Copa Sul-Americana fizeram a roda girar novamente. Santana foi demitido e para o seu lugar veio o contestado Vagner Mancini com a missão de manter o clube na Série A do Brasileirão.

 

CONTRATAÇÕES:

GUGA: O jovem lateral-direito foi contratado após ter sido o grande destaque do Avaí na Série B. O Atlético pagou cerca de R$ 8 milhões de reais por 75% dos direitos do atleta. Guga é presença certa na lista de convocados para as Olimpíadas (se realmente a competição for realizada). São 42 jogos pelo Atlético e seu contrato vai até 31/12/2023.

Foto: Bruno Cantini

 

JAIR: Chegou praticamente sem custo do Sport e durante a temporada caiu nas graças do torcedor, tornando-se peça importante no time. Com contrato até 31/12/2022, Jair já soma 44 jogos e 4 gols.

FRANCO DI SANTO: Um claro exemplo da falta de conhecimento do mercado. Em total declínio na carreira, Di Santo chegou após romper com o Rayo Vallecano e rapidamente se tornou o alvo das das reclamações da torcida, principalmente por ele “assassinar” jogadas simples de ataque. Tem contrato até o final desta temporada e opção de extensão por mais um ano. Pelo Atlético são 33 jogos e 7 gols marcados.

Foto: Bruno Cantini

 

RÉVER: O ídolo retornou após um ano de altos e baixos no Flamengo sem custo na transferência. Assim como no antigo clube, o jogador fez uma temporada de altos e baixos. Nesta passagem pelo clube Réver tem 59 jogos e 4 gols. O contrato do Capitão América vai até 31/12/2021.

IGOR RABELLO: Uma contratação bastante comemorada pelo torcedor. Após vencer uma queda de braço com Palmeiras e São Paulo, Rabello chegou para assumir a titularidade. O Atlético desembolsou cerca de R$ 13 milhões de reais por 70% dos direitos do atleta e, na transação, o zagueiro Gabriel foi emprestado ao Botafogo, com o Galo pagando 100% dos vencimentos. Rabello tem contrato até 31/12/2022. Fez 74 jogos pelo clube e marcou 2 gols.

VINÍCIUS VINA: Apesar dos números interessantes no antigo clube, o meia chegou sob a desconfiança do torcedor. Durante a temporada teve bons momentos e marcou gols importantes, porém, no segundo semestre, o atleta pouco rendeu e teve seu contrato rescindido no final da temporada. Pelo Galo foram 45 jogos e 7 gols. Atualmente ele está no Ceará.

MAICON BOLT: Um dos maiores erros da gestão Sérgio Sette Câmara. Maicon Bolt chegou em declínio técnico e físico, com salário na casa dos 100 mil euros mensais. Em campo pouco rendeu, foram 28 jogos e apenas 2 gols anotados. O contrato do atleta foi rescindido no início desta temporada.

Foto: Bruno Cantini

 

RAFAEL PAPAGAIO: Chegou com muitas expectativas, uma vez que na base do Palmeiras era considerado um “diamante”, mas não conseguiu render o esperado. Pelo Atlético foram apenas 7 jogos e seu contrato acabou sendo rescindido. Atualmente defende o Goiás.

GEUVÂNIO: Mais uma contratação contestada pelo torcedor. Após uma passagem apagada pelo futebol Chinês e pelo Flamengo, no Galo Geuvânio pouco fez. Foram 37 jogos e apenas um gol. Não não teve seu contrato renovado ao final da temporada e atualmente está sem clube.

LUCAS HERNÁNDEZ: O lateral-esquerdo chegou após boas temporadas atuando pelo Peñarol. O Atlético desembolsou incríveis R$ 12 milhões de reais pelo jogador, mas ele não entrou nas graças do torcedor e deverá ser emprestado. Até aqui são apenas 7 jogos e seu contrato vai até 31/12/2022.

RAMÓN MARTÍNEZ: Gerou certa expectativa no torcedor, uma vez que a imprensa paraguaia destacava e muito as suas qualidades, no entanto, no Atlético ele ainda não conseguiu mostrar todo o seu futebol. Convocado constantemente para a seleção do seu país, Martínez custou cerca de R$ 8 milhões de reais aos cofres alvinegros e tem contrato até 31/12/2022. Até aqui são 14 jogos.

WILSON: Mais uma contratação muito contestada pelo torcedor. O experiente goleiro chegou com um contrato de 3 meses e em 3 jogos sofreu 9 gols. O Atlético bancou sozinho o salário do atleta, que girava na casa dos R$ 150 mil reais mensais. Atualmente Wilson é opção no Coritiba.

Foto: Guilherme Frossard

 

Temporada atual

Rui Costa iniciou a temporada no comando do futebol e, assim como no ano anterior, não conseguiu buscar um treinador rapidamente e acabou apostando em Rafael Dudamel, que vinha de um bom trabalho na seleção venezuelana. No Galo Dudamel não aconteceu e após a vexatória eliminação para o Afogados, na Copa do Brasil, o treinador foi demitido. Junto com ele também foram demitidos Rui Costa e Marques.

Em ano eleitoral, Sérgio Sette Câmara decidiu mudar o discurso e investir. Trouxe Jorge Sampaoli e o multi-campeão Alexandre Mattos para comandar o futebol.

 

CONTRATAÇÕES:

MAÍLTON: O jovem lateral veio após ter se destacado atuando pelo Operário, no Brasileirão da Série B. O jovem custou R$ 1,5 milhões de reais aos cofres do Atlético e assinou até 31/12/2022. Até aqui são 5 jogos e um gol.

ALLAN: Uma contratação que foi disputada até aos 49 do segundo tempo com o Fluminense. O Atlético pagou cerca de R$ 14 milhões de reais por 80% dos direitos do volante. Allan fez 11 jogos na temporada e tem contrato até 31/12/2023.

GUILHERME ARANA: Para muitos torcedores, Arana foi a melhor contratação da temporada. A transação final do atleta vai girar na casa dos R$ 23 milhões de reais por 90% dos direitos. O contrato inicial de empréstimo vai até 30/06/2021 e depois disso deve assinar por mais 4 temporadas.

JEFFERSON SAVARINO: A contratação do atleta foi uma indicação do ex-técnico Rafael Dudamel. Savarino tem se destacado e vem ganhando o aval do torcedor atleticano. Liso e habilidoso, é daqueles atletas com potencial gigantesco. Custou cerca de R$ 8,7 milhões de reais e tem contrato até 31/12/2021. Fez 5 jogos até aqui e marcou um gol.

Foto: Bruno Cantini

 

DIEGO TARDELLI: Após uma temporada pífia no Grêmio, Tardelli retornou ao Atlético para tentar reencontrar o bom futebol. Em uma transação sem custos, o atleta assinou até o fim da temporada, com opção de renovação por mais um ano.

DYLAN BORRERO: O “diamante colombiano” foi contratado ainda na temporada passada, porém, pela pouca idade, a transação foi efetivada este ano. Dylan assinou até 31/12/2024 e é considerado um jogador para o futuro. Segundo a imprensa colombiana, o Galo desembolsou cerca de R$ 1,8 milhões de reais.

HYORAN: Chegou por empréstimo e com muita expectativa do torcedor, mas ainda não conseguiu render o esperado. Isso é até compreensível, já que a equipe comandada por Dudamel não apresentou uma cara. Com Sampaoli poderá evoluir.

RAFAEL: Contratação exclusiva do presidente Sérgio Sette Câmara. O presidente foi quem comandou toda a negociação e convenceu o atleta a jogar pelo Atlético. Rafael veio sem custos com contrato até 31/12/2023. Tem opção de renovação por mais uma temporada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *