Renova ou sai? Presidente avalia situação do meia Cazares

Foto: Bruno Cantini

 

Angel Baldo
12/05/2020 – 00h57
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

O meia equatoriano Juan Cazares, de 28 anos, tem contrato com o Atlético até o final deste ano. Desde a última temporada, o Atlético vem tentando prorrogar o contrato do atleta, porém o mesmo segue dificultando as ações.

No próximo mês, o meia já poderá assinar um pré-contrato com qualquer equipe, deixando o Atlético em nenhum ganho financeiro. Em entrevista ao Canal do Nicola, o presidente Sérgio Sette Câmara comentou sobre a situação do gringo.

“Tem que ver inclusive se o Sampaoli quer o Cazares. Isso vai ser conservado. Por enquanto, estamos com ele no elenco. O Alexandre Mattos abriu conversa para que a gente possa renovar por mais uma temporada, mas não significa dizer que ele vai ficar aqui ano que vem. Se nós renovarmos, vamos esticar o contrato para que a gente possa ou ficar com ele mais um ano ou negociá-lo. Se não chegarmos em um entendimento, a tendência é que ele de fato terá o contrato encerrado no fim do ano” – Sette Câmara.

Em um caso de amor de ódio com o torcedor, Cazares é o gringo que mais vestiu a camisa do Atlético. Contratado no início de 2016, o meia vestiu a camisa do Galo em 205 oportunidades.

“Eu acho que ele (Cazares) precisa entender que está em um time muito grande. O Atlético tem uma camisa muito forte e que dá a ele muita visibilidade. Vamos comparar com a situação do Elias, por exemplo. O Elias, no fim do ano passado havia até uma possibilidade de renovação. Chegamos a fazer uma proposta de renovar por mais um ano, depois aconteceu aquela questão da Sul-Americana, a torcida começou a ter certa aversão ao jogador, e houve um desinteresse de dar continuidade ao contrato dele. Muito bem, cadê o Elias? Então ficam desdenhando, é o caso do Cazares”, acrescentou.

Cazares esteve próximo de deixar o Atlético no inicio da temporada, porém o valor oferecido foi considerado baixo. O Al-Ain dos Emirados Árabes esteve disposto a pagar US$ 3 milhões de dólares, algo na casa dos R$ 12,6 milhões de reais. Porém o Atlético acabou recusando, já que é dono de apenas 70% dos direitos do jogador.

“Acredito que hoje a situação ficou um pouco mais complicada. Hoje poucos times estão pensando em contratação. Até o mercado pra ele, Cazares, acho que também não está muito legal. Pode ser que interesse pra ele sentar com o Alexandre Mattos, com seu procurador e encontrar um meio termo para dar continuidade no Atlético”, finalizou.