O Remédio amargo chegou com bombas: Redução de custos vai aproximar de 70% - FalaGalo

O Remédio amargo chegou com bombas: Redução de custos vai aproximar de 70%

Foto: Bruno Cantini

 

 

Betinho Marques 
22/05/2020 – 16h44 (atualizado 18h)
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

“Situação financeira do Galo não é confortável”

13 informações do diagnóstico da Ernst & Young e algumas ações em andamento

O Fala Galo apurou as mudanças estruturais propostas em auditoria contratada à Ernst & Young. As ações não vão parar. A ideia é de equalizar o clube de forma sustentável em no mínimo 5 anos, começando “ontem”.

Há mais de uma semana, publicamos que a consultoria da Ernst & Young passaria por etapas que são três (diagnóstico, plano de ação e execução) e que estas gerariam um “remédio” amargo em cortes drásticos no Atlético.

Logo na manhã de hoje (22), a Rádio Itatiaia anunciou nas suas redes que mais de 50 funcionários seriam desligados do clube. Em apuração do FalaGalo, alguns pontos relevantes a destacar e que mudarão de forma drástica a forma de gerir o clube:

1 – A folha de pagamento era totalmente “descabida” para as receitas do clube;

2 – Segundo apurado, por exemplo, o preparador físico que saiu, recebia cerca de R$ 75 mil, mesmo sendo o terceiro do clube.

3 – A proporção de gastos era de cerca de R$ 10 milhões para o futebol e R$ 4 milhões com administrativo. Algo absurdamente desproporcional;

4 – O Atlético acumulava despesa altíssima por ano com futebol (atletas e comissão técnica), mais ou menos R$ 150 milhões.

5 – Informações de haver gestoras que recebiam entre R$ 30 mil e R$ 60 mil de forma incompatível com receitas e mercado;

6 – Diretores executivos e financeiros de gestões anteriores recebiam entre R$ 90 mil e RS 120 mil mensais;

7 – Na auditoria foram detectados, inclusive, pagamentos de viagens e despesas pessoais que não se justificavam;

8 – Um dos médicos do clube, segundo pesquisa, recebia cerca de R$ 50 mil para prestar serviços uma vez por semana;

9 – O Atlético acumula prejuízos por cerca de 30 anos (nenhuma novidade, mas foi constatado).

10 – O clube sofrerá cortes em torno de 70% – Não será só em pessoal, mas também em outras despesas;

11 – Com ações que estão em andamento e que começaram ano passado a estimativa é de uma redução mensal de cerca de R$ 3,5 milhões;

12 – O Clube precisará de aporte urgente e que será feito nos próximos dias com ajuda de parceiros, até porque o clube não tem receita neste momento;

13 – Despesas com base, administrativo, funcionários do CT, funcionários do clubes de lazer e despesas gerais, chegam próximo aos R$ 70 milhões de reais e serão reduzidas para cerca de R$ 30 milhões.

“Ou o Atlético escolhe o caminho do Flamengo, Grêmio e Athletico ou escolherá o caminho do Vasco e Cruzeiro, simples assim”.

Este é um diagnóstico informal de pesquisa e não necessariamente documental da auditoria, mas é a realidade dela em linhas gerais pelo apurado.

 

3 comentários em “O Remédio amargo chegou com bombas: Redução de custos vai aproximar de 70%

  • 23 de maio de 2020 em 10:29
    Permalink

    Bom dia !
    Sabe me falar Se o Sr. Eder aleixo tbem foi desligado? Pois o q sei q tem um ganho d R$30.000, mês e tbem é empresário de jogador

    Resposta
  • 23 de maio de 2020 em 20:05
    Permalink

    Com toda essa crise, salários,direitos de imagens atrasados,como o clube contrata uma comissão técnica,pagando salários de 1,2 milhões mensais????
    Desse jeito,vai acabar igual o rival.

    Resposta
    • 24 de maio de 2020 em 12:26
      Permalink

      CUIDADO COM AS REPORTAGENS QUE VOCÊ Lê! LEMBRE-SE QUE QUEM PAGA A GRANDE PARCELA DE SAMPAOLI E SUA COMISSÃO É MRV E BMG. CUIDADO!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *