O mantra atleticano “eu acredito”: é necessário sobre o trabalho de Dudamel - FalaGalo

O mantra atleticano “eu acredito”: é necessário sobre o trabalho de Dudamel

 

 

Cássio Lima
24/02/2020 – 12h03
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

A temporada 2020 para o torcedor atleticano começou turbulenta. Desde o início animador com possíveis mudanças drásticas, a jogos desanimadores e eliminação da Sul-americana após um excelente jogo de volta no Horto. Mas ainda é necessário acreditar no trabalho do técnico estrangeiro Rafael Dudamel.

As recentes decepções com outros técnicos causam incertezas no elenco atleticano. A inovação com a chegada de Dudamel aumentou a expectativa para a temporada atual junto a possibilidade de quem sabe conquistar algum título. Nesse sentido, o campeonato mineiro tornou-se obrigação e é inicialmente parâmetro de obrigatoriedade devido à queda do rival para a série b adjacente a um desmanche do elenco cruzeirense conforme escancarava-se as dívidas e irregularidades.

Dessa maneira, o torcedor esperava que mesmo com um elenco duvidoso, um início de temporada mais forte, sem incertezas quanto a resultados, principalmente na disputa do campeonato mineiro e times considerados mais fracos da Copa do Brasil e Copa Sul-americana. Contudo, vem acumulando resultados duvidosos no campeonato mineiro, um empate melancólico com o Campinense na Copa do Brasil em que foi mais pressionado do que efetivo no ataque e uma eliminação precoce na primeira fase da competição continental para o improvável elenco do Únion, da Argentina.

As contratações esperadas pelo torcedor e também cobradas pelo treinador em diversas oportunidades, vêm acontecendo aos poucos e sem pressa nas negociações de parte da diretoria do Galo. Algumas inclusive, não puderam estar presentes no segundo jogo da Sul-americana, como Jefferson Savarino e Diego Tardelli. Mas apesar disso, o elenco tem se fortalecido, peças no departamento médico estão voltando e oportunidades de novas formações vão surgindo aos poucos.

A dúvida quanto as diversas partidas já disputadas na temporada também fica por conta de Rafael Dudamel. Peças que são desde o ano passado contestadas, por exemplo, Zé Welison e Di Santo, são xodós do venezuelano, que não abre mão do centroavante e até a segunda partida com o Únion não abria mão do volante mais marcador. Então, nesse momento, é hora de enxergar as peças e suas características para melhoria dos esquemas táticos durante as partidas, mas sem deixar de analisar quais as melhores peças disponíveis e não somente as que possuem melhor condicionamento físico, o que impede um entrosamento mais forte entre os considerados titulares e melhores tecnicamente.

Portanto, o trabalho que vem se desenvolvendo demanda tempo para adaptação do treinador, seus esquemas táticos e os jogadores. Além disso, é sabido do torcedor que o Atlético busca ao menos mais duas contratações, contando como já acertado o goleiro Rafael, ex-Cruzeiro. Apesar dos questionamentos e imediatismo do torcedor e do futebol brasileiro, o prazo para acertar o elenco pode demorar mais do que esperado devido ao novo técnico, novo elenco, novas ideias e táticas, treinamentos com entendimento dos jogadores, apoio da torcida, principalmente para fazer valer o “eu acredito”, mas dessa vez, em forma de acreditar em um trabalho que pode ser bem desenvolvido a médio e longo prazo.

 

3 comentários em “O mantra atleticano “eu acredito”: é necessário sobre o trabalho de Dudamel

  • 24 de fevereiro de 2020 em 12:36
    Permalink

    Concordo que é necessário tempo, contudo, ao ver esta insistência com Zé Welison, Di Santo, Ricardo Oliveira com tantas oportunidades e não dar oportunidade a alguns da base neste fraquíssimo campeonato mineiro não vejo nele o técnico que vai utilizar os poucos que se sobressaem na base do clube.

    Resposta
  • 24 de fevereiro de 2020 em 21:18
    Permalink

    Completamente desanimado com esse venezuelano. Afinal, ele que chegou com a promessa de oportunizar a base, insiste com velhos e que além de velhos não dão nenhuma resposta em campo, como Di Santo e Ricardo Oliveira, além da insistência com o novo mas brucutu Zé Welison, demonstrando assim que além de burro é teimoso.
    Cadê Vinícius Alessandro?
    Cadê o Neto?
    Cansado de falsas promessas dessa incompetente diretoria e desses treinadores paus mandados de empresários!!

    Resposta
  • 24 de fevereiro de 2020 em 21:55
    Permalink

    Alguém pode me explicar que novo elenco é esse ?
    80 % da mesma porcaria não é renovação… é mais do mesmo o que temos visto !!!
    E o que aparece de novidade mostra baixíssimo nível técnico.
    Será que minha perspectiva do que está acontecendo é tão diferente da realidade ?
    Os resultados até agora me dizem que não.
    Ah, dar tempo pra este derrotado Sette Câmara não é um pedido razoável.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *