No Uruguai, Galo perde pela Libertadores – Por Jessica Silva

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ignorando os pedidos frequentes da torcida, Levir Culpi optou por entrar em campo com Patric mais uma vez e nós vimos Guga ficar no banco de reservas.

Também ao contrário do desejo da Massa, a formação com três volantes foi mantida. Há quem diga que entrar com Jair e Zé Welison serviria para liberar Elias e deixá-lo jogando como um meia, mas usando de sinceridade, a única liberação aceitável para Elias seria da Cidade do Galo, para bem longe, inclusive.

A fase do Nacional não é das melhores já que o time uruguaio não vem obtendo sucesso no campeonato nacional e, apesar de ter camisa e torcida que pesam em qualquer confronto em Montevidéu, o Galo tinha tudo para fazer valer sua superioridade técnica e construir um bom resultado.

Se a equipe atleticana se dedicasse a sair com velocidade e pressionar o adversário, poderia ter aberto o placar nos primeiros minutos, já que o Nacional parecia ter como objetivo esperar alguma atitude do Atlético, mesmo jogando em casa.

Cazares se posicionou um pouco mais adiantado, acompanhando Ricardo Oliveira. Foi inevitável constatar que sua presença seria melhor aproveitada caso estivesse mais centralizado, tomando conta do meio de campo.

Patric, como de costume, errou um passe e deu origem à chance mais clara de gol dos donos da casa. Para nossa sorte, o time uruguaio não teve tanta qualidade para finalizar.

O Galo teve sua melhor oportunidade com Zé Welison, que mandou a bola na trave, dando a impressão que a equipe alvinegra poderia fazer mais, caso quisesse. O gás do time vinha principalmente de Luan, mas obviamente não era o bastante. Esse parece ser o principal problema do time comandado por Levir Culpi: falta de ousadia dos jogadores, como um todo. Muitos dos resultados ruins obtidos até aqui aconteceram contra equipes inferiores, que certamente não dariam conta do ímpeto do Galo, caso ele existisse.

Na busca por velocidade e mais pressão ao adversário, o treinador atleticano poderia optar por Chará, mas preferiu voltar ao segundo tempo com a mesma formação. O dono da casa estava disposto a esperar as atitudes do Galo no primeiro tempo, mas na etapa complementar foi diferente. Vendo que os comandados de Levir Culpi não faziam tanta questão de ir atrás do resultado, o time do treinador Eduardo Domingues decidiu pressionar o Atlético, mesmo sendo uma equipe inferior, tecnicamente falando.

Foi apenas uma questão de tempo até o Nacional abrir o placar. Em mais uma falha defensiva, G. Bergessio subiu mais que Igor Rabello e mandou a bola para o fundo das redes, aos 27 minutos do 2° tempo. O pior, meu amigos, é que isso não surpreende.

Alterações feitas após o pior acontecer – Alerrandro também foi acionado nos minutos finais, como se fizesse milagres, um time que atrasava a bola de cinco em cinco minutos como se estivesse ganhando a partida e uma displicência enorme durante grande parte da etapa complementar. Com tudo isso, foi difícil acreditar em uma reação, mesmo que fosse almejando um empate.

A impressão é que o Galo não sabe o que está em jogo a cada vez que entra em campo pela Libertadores. O mínimo que se espera em uma competição continental é vontade, a começar pelo treinador. O nosso, aparentemente, não se deu conta de que sua teimosia já ultrapassou todo e qualquer limite, porque vem nos custando caro. Entrar com três volantes e adiantar Elias NÃO FUNCIONA, principalmente com o camisa 7 escalado pela esquerda. O Galo não fica mais ofensivo, não marca gols e não há nada que justifique essa formação. Patric não se posiciona melhor, não tem mais qualidade e nem mesmo mais vontade que Guga, portanto, também não há justificativa para sua permanência no time titular.

Levir só optou por acionar Chará e o próprio Guga quando o resultado já era favorável ao Nacional. O que se passa pela cabeça do nosso treinador? De que adianta prestar socorro depois que a vítima morreu?

É repetitivo, mas é sempre válido ressaltar que Elias, Patric e Fábio Santos reforçam os times adversários, nunca o Galo. À exemplo desses jogadores, Levir também está contribuindo para o sucesso dos concorrentes.

O “saco de pancadas” do grupo E seria o Zamora, fraco time venezuelano. Hoje, após ver a postura do Galo em seus dois primeiros jogos, é possível temer até mesmo este confronto que seria o mais fácil, na teoria.

O Galo não venceu o Cerro, no Mineirão, e o Nacional, no Gran Parque Central, porque não quis. Um pouco mais de esforço e já teríamos pontuado na Libertadores e a situação não estaria tão feia quanto está agora.

Falta ambição, treinamento, deixar a teimosia de lado e, acima de tudo, falta vontade de honrar essa camisa pesada que está sendo tão maltratada. Quem admira toda a trajetória de Levir Culpi no Galo está tendo bons motivos para perder o encanto, já que o treinador atleticano não está agindo como o comandante de uma grande equipe.

O início do Galo na Libertadores é triste, ver Levir esquecendo o que é ser um cara legal também. As derrotas de ontem e da quarta-feira passada têm pesos muito maiores do que parece.

Nos próximos quatro jogos que temos pela frente na fase de grupos da Libertadores, a postura deverá ser totalmente diferente, se é que o time do Atlético tem em mente se classificar.

A próxima partida acontece no Mineirão, contra o Zamora, no dia 3 de Abril. Haverá tempo para que Levir faça melhores escolhas, visando o bem de sua equipe como um todo, não para satisfazer seus caprichos. Que ele entenda que insistir nos mesmos erros após resultados extremamente ruins ultrapassa os limites da burrice. Já chega de Patric na lateral direita, Elias “liberado” pela esquerda, o que vale reforçar, não funciona e, acima de tudo, chega de esforços para perder jogos que seriam facilmente vencidos, caso houvesse algo de que sentimos falta e que sempre fez parte de nossa história: RAÇA!

Sigam o Fala Galo nas redes:
www.falagalo.com
@falagalo13

23 comentários em “No Uruguai, Galo perde pela Libertadores – Por Jessica Silva

  • 13 de março de 2019 em 08:48
    Permalink

    Bom dia Jessica e amigos do Galo. O NOSSO GALO poderia ter obtido resultados positivos em todos jogos da Libertadores, perdeu pela irresponsabilidade do técnico Levir Culpi, que a meu ver não tem mais condições de continuar no cargo. Absolutamente perdido, falando coisas desconexas, insiste em manter no time titular jogadores com baixíssimo nível técnico, como Elias(morcego) suga os colegas em campo, Fábio Santos ( finge que marca ) e Patric, este último nem merece críticas. Fora Levir(burro) e agora sem argumento também. P.S.: Marques, você é o diretor de futebol do CAM, NOSSO ídolo, está se queimando por falta de atitude.

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 08:51
    Permalink

    Peguem o time que ta jogando o Mineiro. Coloquem nele Rever, Igor Rabelo, Luan e Cazares. Peguem o Burro Teimoso Sem Sorte e mandem pra longe. Busquem qualquer um que faça essa mexida, com certeza veremos pelo menos um time com raça e futebol melhor. A entrevista do Rever, F.Santos e Levi no fim do jogo foi surreal eu pensei que eles tavam vendo a Juventus de Turim jogar a única semelhança é a camisa, talvez por causa disso.

    Resposta
    • 13 de março de 2019 em 10:18
      Permalink

      Concordo plenamente, tem que mudar a escalação do time! Ouvi falar que o Levir está com Alzheimer – isso explicaria as entrevistas dele…

      Resposta
  • 13 de março de 2019 em 09:02
    Permalink

    Bom dia, Jessica!
    Parabéns! Mandou muito bem nas letras, sem se omitir!
    Só espero que a equipe do Fala Galo, não venha com outras postagens irrelevantes no decorrer desse dia, pra tirar o foco da indignação atleticana!

    Eu só queria saber uma coisa, o Elias, depois que chegou no Galo, jogou bem de que? De volante ele foi péssimo, de ponta direita, péssimo, de ponta esquerda, péssimo, de zumbi, chupacabra, morcego, excelente. Porque é que essa desgraça não sai do time nem a pau? Ontem o energúmeno treinador(?), sacou “todo mundo” do time, mas ele só não tira essa praga.

    Espero que a Massa compareça no domingo pra apoiar o time B contra o cuei e ao mesmo tempo pra cobrar veementemente contra a diretoria, o sumido Marques e, principalmente, passe o jogo inteiro chamando de burro, o burro, pra pelo menos, quem sabe, ele sair da beira do gramado, e fique lá no banco, porque é irritante ver essa figura estática, imóvel, à beira do campo.

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 09:05
    Permalink

    E o Igor Rabelo, hein? Eu achando que o Galo tinha contratado “o zagueiro”, depois de tanta dificuldade e tanta novela…sei não mas acho que o Leo bem que podia voltar ao lado de Rever.

    Fora Fábio Santos!
    Fora Patric! E que nunca mais volte!
    Fora Elias, bunda de bigorna!!

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 09:13
    Permalink

    Bom dia massa. Eu já espera outra derrota deste timeco de peladeiros ,Ok vejo que não temos presidente e diretor de futebol porque se tivesse o Levir gagá já era para ter ser demitido no Uruguai. Chega de desculpas deste burro sem sorte. Time de pipoqueiro e chacota estes peladeiros não me apresenta. Aonde está o 7 câmera e estagiário do Marques para dizer alguma coisa. Só digo adeus libertadores. Que a torcida vai no Mineirão vair estes peladeiros. Chega. Vai galoooooo.

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 09:21
    Permalink

    Eu falo desde o ano passado que não sou a favor do Galo ir para a Libertadores. Não temos time, é nítido isso, não adianta insistir em uma competição que sabemos que não vamos ganhar. O Galo está nesta Libertadores por pura vaidade!

    Acredito que falta planejamento da diretoria. Esse anos completa 48 anos sem brasileiro. Será realmente que a Libertadores deveria ser o objetivo desse ano? O Galo não tem um time ruim, claro que precisa de reforços, mas o que a diretoria quer para 2019?

    Esse time do Galo renderia muito mais na sulamericana, até na Copa do Brasil dependendo. Será que a diretoria vai desvalorizar títulos que deveríamos ganhar simplesmente pela vaidade de disputar uma libertadores onde temos a noção que não vamos ser campeões???????

    A torcida tem parte dessa culpa. Os planos e objetivos deveriam ser outros. A Libertadores cega os olhos de muita gente. Para ganhá-la não precisa de um time brilhante, mas um time que saiba jogar decisões, o que não é a especialidade do time este ano.

    Acredito que a diretoria, assim como o time e torcida deveriam rever suas prioridades, para o bem da instituição.

    Resposta
    • 13 de março de 2019 em 10:04
      Permalink

      Diego, já pensou se o Galo for eliminado da Libertadores e obrigado a disputar a Sulamericana, que o nosso presidente tanto desprezou? Seria uma bela ironia do destino…

      Saudações Atleticanas.

      Resposta
      • 13 de março de 2019 em 11:12
        Permalink

        Calma, podemos ganhar o brasileiro jogando uma só competição. Melhor ficar em quarto no grupo.

        Resposta
      • 13 de março de 2019 em 14:06
        Permalink

        Eu não iria achar ruim.

        Não sei se chegou a ver a final da sulamericana do ano passado. Tanto o Júnior quanto o Athlético estavam com times horríveis e chegaram na final. Detalhe: O Athlético conseguiu ser campeão com um time inferior e, além do título continental ele vai disputar a Recopa esse ano e começou a Libertadores na fase de grupos, tudo isso ficando atrás do Galo no brasileirão do ano passado.

        Claro que eu quero ganhar Libertadores de novo, mas às vezes é um erro disputá-la sem um planejamento e um time forte.

        Diferente do dinheiro, os títulos ficam para a eternidade.

        Resposta
  • 13 de março de 2019 em 09:25
    Permalink

    Pra que fechar o treino? Pra que esconder a escalação até momentos antes do jogo se todos nós sabíamos que o burro teimoso iria continuar com sua ridícula invenção de 3 volantes (ah..mas o Elias não é volante…essa bosta não é nada!), e nós sabíamos que o time ia entrar sem jogadas ensaiadas e que uns iam correr pelos outros?
    O gol dos uruguaios foi falha do Rabelo, é verdade, mas e o Patric, que não ataca, estava aonde, quando Luan teve que correr feito um louco pra cobrir aquele buraco, aquela avenida deixada por esse pseudo jogador?

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 09:57
    Permalink

    Tem certas atitudes do Levir que parecem ser premeditadas. Vendo o jogo ontem parecia óbvio que o técnico só ia mexer no time depois que tomasse um gol. Dito e feito. Mas não é só isso. Todo mundo sabe que a formação com três volantes não funciona, que o Elias não é um ponta, que o Patric é um zero a esquerda e o Guga é infinitamente melhor. Mas Levir ignora tudo isso, e parece que ele faz de propósito, só pra irritar a torcida. Ou então ele já está completamente cenil e vivendo em um universo paralelo. Até o comentarista do Fox Sports parecia indignado com a burrice e teimosia do nosso treinador. Pois imaginem nós, torcedores, que somos obrigados a viver com isso todos os dias. Aliás, eu tenho dó dos coitados que foram ver o jogo no Uruguai, pagaram passagem, ingresso caro, faltaram no serviço pra ver esse time feio dar mais um vexame. Estou cogitando seriamente não assistir mais nenhum jogo do Galo na Libertadores. O que era pra ser o ponto alto da minha semana, está me fazendo mal.

    Saudações Atleticanas.

    Resposta
    • 13 de março de 2019 em 11:18
      Permalink

      SAUDAÇÕES ALVINEGRAS. Onde eu assino. Concordo plenamente com tudo que diz, sobre pena das pessoas que foram acompanhar o time do coração, e tiveram o desprazer de ter que engolir um time covarde e um treinador senil. Não da mais. estou pensando seriamente em ir ao campo e não ver mais jogos do Galo. Mas isso dói demais, pois esses lixos saem e o Galão da Massa fica. Mas esse momento atual é vergonhoso.

      Resposta
  • 13 de março de 2019 em 10:21
    Permalink

    Parabéns pelo texto Jessica, falou tudo que o torcedor queria falar!

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 10:21
    Permalink

    Bom dia Jessica, um excelente texto ao qual apenas faço uma reparação:
    o futebol que o elenco do Atlético tem apresentado, desde de 2018, não reflete qualquer capacidade técnica. Portanto não enfrentamos ninguém a nós inferior tecnicamente, pois o atual elenco além de limitadíssimo, é um time sem vontade de vencer, sem dedicação, sem comprometimento e ainda conta com burrice, teimosia e incapacidade do treinador e da diretoria. 2019 será tenebroso se nada mudar.

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 10:38
    Permalink

    Prezados, bom dia.

    Somos refém de um elenco limitadíssimo, mas acima de tudo, de um treinador já cansado e sem inspiração, o vestiário está dinamitado, vide o desempenho horrendo dos atletas no retorno para a etapa derradeira.
    Todavia, não sei se a troca de comando seria positiva, até porque, convenhamos, as opções disponíveis são tristes, e aqueles que estão empregados, salvo apenas, o Renato Gaúcho e o Sampaoli.
    No momento, a diretoria deve intervir, contratando pontualmente para suprir as carências do time e que adeque a filosofia do clube (técnica e raça), bem como dando uma dura nos atletas, vemos muita parcimônia, demasiada aceitação as escolhas do Levir, sabendo que peças melhores entregariam mais ao time.
    Por fim, é nítido as maças podres do time, o esquema não é o problema, sim aqueles que não o colocam bem na prática e também não o treinam suficientemente bem, como deveria.

    Abraços

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 10:47
    Permalink

    Ridícula é a paciência da torcida com este maldito treinador que pegou o clube e manda e desmanda e faz o que bem pensa, temos que quebrar o pau e dar um basta neste treinador ridículo, fazer o Fabio Santos arrumar as malas e sumir daqui FDP maltido .O Fabio Santos consegue ser pior que o Patrick e o Levir pior que todos.

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 10:49
    Permalink

    Guerra massaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa cacete,poem o pau para quebrar nessa peste aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii estas pragas vai nos matarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr presidente calça frouxa manda este velho pro inferno porque já passou da hora

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 11:15
    Permalink

    Bom dia Jessica e amigos do Galo. Discordo da maioria. È que o torcedor tem memoria curta ou seletiva.
    Quantos treinadores passaram por aqui ate agora e mantiveram Elias e Fabio Santos como titulares? Todos. Quem é o reserva do Fabio Santos? Não tem. Quem é o reserva do Cazares? Não tem. E ainda acham que vai chegar um mágico e fazer um time limitado jogar mais do que vem jogando? Chará a pouco tempo estava sendo super criticado e com razão. O Levir tentou fechar mais o meio e ter a infiltração de um homem surpresa. O Problema é a qualidade desse homem surpresa. Em minha opinião o unico senão seria a insistencia com Patrick, embora as derrotas não possam ser jogadas só nas costas dele, mas o time tem um plantel limitado de qualidade duvidosa, onde voce tem um time base que pode ganhar ou perder como qualquer outro, mas jogar o que esperam, não vai porque não tem atletas para isso. Voce pega ai umas quatro equipes nacionais, eles tem 3 camisas 10 do mesmo nivel, 3 ou mais jogadores do mesmo nivel nas posições…agora se coloca no lugar do Levi, olha para o Banco e voce tem quem pra mudar o rumo de uma partida? Vinicius? Alerrandro? Chara? Terans?…e é o treinador que não presta. Erra, escala mal, como todo treinador faz, a diferença é que tem treinador por ai que pode escolher quem colocar que o nivel é o mesmo…sem opções de banco, o time fica previsivel e com esse elenco, se não matar o jogo quando tiver chance, não vai ter magico que vai conseguir coisa melhor. Alias´, criticam mas ninguem fala o nome do mágico, se perguntarem só lembram de Cuca, porque ganhou titulo aqui, num time que pra não citar muitos tinha só Ronaldinho Gaucho, Tardelli, Bernard, Jo, todos no auge e o treinador que era bom.

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 11:46
    Permalink

    Mudou o sistema pra 3 volantes. O time piorou e ele insistiu no erro. O que é isso?
    Burrice!
    Burro!
    Burro!
    Burro!

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 11:54
    Permalink

    Com um jumento sem sorte como treinador e um jumento como lateral direito não vamos a lugar nenhum….

    Resposta
    • 13 de março de 2019 em 12:45
      Permalink

      José Antonio ainda temos uma lesma na lateral esquerda e um saco de batatas como volante/meia.

      Saudações Atleticanas!

      Resposta
  • 13 de março de 2019 em 12:42
    Permalink

    E a lateral esquerda? Vamos mesmo ficar o ano inteiro com Fábio, o Santo dos atacantes? E pra repor, temos só o Horrorulk e o crak Carlos César? Esse ano vai ser de matar!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *