No Independência, Galo vence o Santos e respira no Brasileirão

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Jéssica Silva
Do Fala Galo, em Montes Claros
21/10/2019 – 01h13

Pressionado pela sequência de resultados ruins, o Galo recebeu o bom time do Santos no Horto. Considerando ambas as campanhas das equipes no Brasileirão, esperar um empate era o que o mais otimista dos atleticanos poderia fazer. No entanto, a equipe atleticana surpreendentemente se apresentou bem, anulou as ações santistas e venceu com propriedade, controlando o jogo do início ao fim.

Luan comemora o primeiro gol do Galo – Foto: Bruno Cantini / Atletico

Fazer o gol logo cedo é sempre um ponto favorável ao time da casa, que incendeia a torcida ao abrir o placar nos primeiros minutos. Após lançamento de Réver, Luan invadiu a área e marcou para o Galo aos dois minutos de jogo, dando ao time uma postura diferente em relação ao que vimos nos últimos jogos. O VAR demorou a confirmar o tento atleticano, mas no fim das contas validou o gol e fez a alegria da Massa, que compareceu em bom número.

O Santos tentou algumas investidas durante a primeira etapa. É de se esperar do time de Sampaoli um jogo ofensivo, com jogadas trabalhadas, que levem perigo ao adversário. Considerando a fase do Atlético e suas últimas atuações era possível imaginar o Peixe se sobressaindo, mas os comandados de Vagner Mancini apostaram na forte marcação e anularam as ações do visitante.

Aos 22 minutos, Léo Silva ampliou para o Galo após boa bola levantada por Otero, que inclusive fez uma grande partida no Independência. Ver o Galo abrir o placar e conseguir aumentar a vantagem em menos de 45 minutos diante de uma equipe tão competitiva quanto o Santos não é nada menos que surpreendente. A postura covarde dos jogadores atleticanos ultimamente nos tiraram a expectativa por vitórias, fazendo com que um triunfo simples como o de ontem seja mais do que esperávamos.

Léo Silva comemora o segundo gol do Galo – Foto: Bruno Cantini / Atletico

No segundo tempo, o jogo foi menos criativo e o Galo fazia de tudo para não ceder o empate ao Santos. Não houveram muitas chances criadas e as alterações trouxeram preocupação. O problema de haver no elenco jogadores como Maicon Bolt e Zé Welison é que em algum momento eles serão utilizados e poderão comprometer. Ontem, no entanto, não fizeram grande partida, mas também não atrapalharam o nosso reencontro com a vitória.

Não estamos livres da preocupação com a possibilidade de habitar a zona de rebaixamento. O Galo venceu bem, e vale ressaltar o quanto o time do Santos joga bem encaixado, tanto é que está bem colocado na tabela. No entanto, houveram erros que poderiam ter rendido gols adversários e as substituições promovidas por Mancini fizeram com que a possibilidade de sofrer um empate ou uma virada fosse real. O ponto positivo é que o Atlético jogou ciente de suas limitações e das dificuldades que encontraria durante a partida.

Anular as ações de uma equipe como o Santos não é tarefa fácil, principalmente com o plantel que nós temos. Mesmo assim, a estratégia deu certo, o Atlético voltou a vencer e conseguiu a proeza de não sofrer gols. Vitória contra um outro time grande e que está bem colocado na tabela serve para levantar o moral dos atletas e, quem sabe, fazê-los buscar um final de campeonato mais digno, dando a cada torcedor o máximo de tranquilidade possível.

 

Ficha técnica: Atlético-MG 2 x 0 Santos

Campeonato Brasileiro – 27ª rodada

Local: Independência, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA); Jean Marcio dos Santos (RN)
VAR: Heber Roberto Lopes (SC)
Cartões amarelos: Elias, Luan, Otero (Atlético-MG); Lucas Veríssimo, Soteldo, D. Gonzáles, Luan Peres (Santos)
Público e renda: 21.771, R$104.562,00
Gols: Luan, aos 2 minutos; Leonardo Silva, aos 22;

Atlético-MG: Cleiton, Guga, Leonardo Silva, Igor Rabello, Fábio Santos, Réver (José Welison), Elias (Cazares), Luan, Nathan, Otero (Cazares), Di Santo
Técnico: Vagner Mancini

Santos: Everson, Lucas Veríssimo, Luan Peres, Gustavo Henrique, Jorge, Pituca, C. Sanchéz (Evandro), Jean Mota, Soteldo (Tailson), D. González, Marinho (E. Sasha)
Técnico: Jorge Sampaoli

 

LEIA TAMBÉM:

Um réquiem encomendado

 

Em meio ao caos, Sérgio Sette Câmara desaparece

 

R.I.P. Clube Atlético Mineiro

 

 

GOSTOU? Siga nossas redes sociais. Clique nos links abaixo e fique por dentro dos bastidores do Atlético.

Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
YouTube: youtube.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Site: falagalo.com.br
Edição: Jéssica Silva
Edição de imagem: André Cantini 
Edição de texto: Angel Baldo

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

3 comentários em “No Independência, Galo vence o Santos e respira no Brasileirão

  • 21 de outubro de 2019 em 10:37
    Permalink

    Bom dia massa, jogamos e vencemos, jogamos como time e vencemos com o elenco, quem tem machucados, Chará, Blanco, Martines, Victor e Jair mostra que elenco as vezes temos, que falta é saber se colocar em campo, mostrar a força do conjunto time e torcida, temos condições de chegar jogo a jogo, ir pontuando ate o final e chegar nos 62 pontos que sempre imaginei, acreditar que é possível.

    Resposta
  • 21 de outubro de 2019 em 12:07
    Permalink

    Valeu a força do conjunto, obediência tática e disposição dos atletas. As peças escolhidas para o meio, Rever e Nathan, comportaram bem, fazendo o time atuar como equipe compacta com os atletas cumprindo suas funções em seus respectivos setores e ajudando quando possível os outros setores.
    Um voto de confiança para Di Santo. Arrumação que não víamos a muito tempo com muita desorganização e pânico geral quando levávamos um gol. As substituições é que me preocupam muito.
    Os substitutos até que comportaram discretamente, sem acrescentar absolutamente nada, mas sem fazer lambança. José Welisson, Bolt (avacalhando a figura do grande fundista jamaicano), Patrick (irque)
    Geuvânio (atrapalhado) Terans e este lateral que veio assombrar a esquerda, não Têm condições tecnica de atuaram em qqualquer time decente.

    Resposta
  • 21 de outubro de 2019 em 13:49
    Permalink

    Boa Tarde Antonio e demais Atleticanos.Realmente uma bela vitòria,apesar de estar com um pè atràs todo jogo.Acompanho no voto de confiança ao Di Santo,pelo fato de que està jogando sozinho no ataque e como jogador de àrea,tem dificuldades em voltar para receber a bola e tabelar(com quem?).E O ELIAS CONTINUA O MESMO,PEGANDO NA BOLA APOS 22 MINUTOS DE JOGO.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *