Na Vila Belmiro, Galo é superado pelo Santos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Jéssica Silva

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

Valendo a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, o Galo mediu forças com o Santos na Vila Belmiro. A expectativa para o jogo era boa, já que o time atleticano vinha de uma ótima partida contra o próprio Peixe, pela Copa do Brasil. Infelizmente, o Galo de ontem foi muito diferente do que se classificou na competição de mata-mata.

Já nos primeiros minutos só deu Santos. É comum que a equipe comandada por Jorge Sampaoli se imponha já no início das partidas que faz em casa, sufocando o adversário. O Galo, por sua vez, adotou uma postura defensiva e mal passou do meio de campo.

Com as chegadas perigosas da equipe santista, principalmente com Soteldo, que deu trabalho a Patric, o Galo precisaria apertar a marcação para evitar que o Peixe fosse tão superior, mas não foi o que aconteceu. Em boa parte da partida, o Atlético se limitou a esperar o Santos.

A estratégia atleticana era clara; esperar o Santos se lançar em busca do gol para aproveitar as brechas e sair em contra-ataque, mas Sampaoli fez com que seus comandados atacassem com cautela, justamente para que a história da última quinta-feira não se repetisse.

Chegando insistentemente e se aproveitando da maior deficiência do Galo, a bola parada defensiva, o Santos saiu na frente e reafirmou a sua superioridade no primeiro tempo.

O Peixe ampliou ainda nos primeiros 45 minutos, em cobrança de pênalti. Levando em consideração que houve o toque de mão na bola do lateral Fábio Santos, a marcação foi correta. O que incomoda é a maneira como o árbitro fez o uso do VAR, já que o lance do pênalti foi analisado após o juíz dar escanteio ao time atleticano. Fica também a dúvida se a arbitragem se dedicaria assim a analisar um lance a favor do Atlético, mesmo que tardiamente.

O Galo ficou em grande desvantagem para o segundo tempo, mas isso foi só o reflexo de seu comportamento na primeira etapa. Sem criatividade no meio de campo, ofensividade para buscar o gol e assistindo ao Santos jogar, ser superado era o único resultado possível.

Saber se defender é importante, mas é necessário que haja um equilíbrio. Sequer tentar passar do meio de campo faz com que o adversário goste do jogo e, consequentemente, ganhe confiança para atacar. Esperar o Santos poderia ser uma boa estratégia apenas para os primeiros minutos da partida, mas o Galo acabou sendo dominado por muito tempo.

A cautela do Galo foi um tanto quanto exagerada e a dificuldade da equipe em chegar lá na frente fez com que esse Atlético não se parecesse em nada com aquele que jogou no meio da semana, contra o mesmo Santos.

É comum justificar o jejum de gols de um centroavante com a falta assistências, de possibilidades de marcar o tento. No entanto, a atual situação de Ricardo Oliveira vai muito além disso. O camisa nove vem recebendo algumas oportunidades de ajudar a equipe com seus gols, mas as desperdiça frequentemente, como aconteceu ontem.

Alerrandro vem pedindo passagem há um bom tempo, principalmente pelo bom momento que vive, atraindo gols por onde passa. Ontem, entrando no segundo tempo, assim como Geuvânio, foi essencial para uma mudança na postura do Atlético.

Mal pisou no campo e o jovem centroavante já se aproveitou da assistência de Patric para diminuir o prejuízo do Galo. Além do gol, a presença de Alerrando em campo movimentou o jogo e fez parecer que o time atleticano teria chances de chegar pelo menos ao empate.

Ficou claro que as alterações promovidas por Rodrigo Santana visaram dar um ânimo ao time, o que aconteceu com as entradas de Geuvânio e Alerrandro. O Galo passou a chegar mais tentando alcançar, no mínimo, um segundo gol.

Infelizmente, quando o momento era favorável ao Galo, indicando a possibilidade de uma igualdade no placar no finalzinho, o Santos ampliou sua vantagem com um belo gol de Carlos Sánchez e liquidou a fatura, jogando um balde de água fria no Galo e mostrando que às vezes o futebol é cruel.

O placar final refletiu a superioridade do Santos em grande parte do jogo e evidenciou o quanto o Galo pecou em esperar o adversário ao invés de se posicionar também no ataque, sem priorizar por completo o setor defensivo.

Levando em consideração o bom momento de Alerrandro e sua ótima movimentação em campo, não é difícil imaginar que sua presença no jogo desde o início poderia ter nos levado por um caminho diferente.

É claro que um jovem jogador não é o salvador da pátria, mas utilizar um atacante como Alerrandro em tempos de Ricardo Oliveira passando por uma má fase somente nos ajudaria.

Futebol é feito de história, mas também de momento. Considerando o momento de Alerrandro, sua titularidade é mais que merecida, por mais que a história do Bom Pastor mereça respeito. Ricardo Oliveira não marca desde a nossa estreia no Brasileirão, portanto, sua fase é ruim, o que acaba prejudicando o restante do time.

Como o jogador experiente que é, não se espera que Ricardo Oliveira se irrite frente aos torcedores e colegas de equipe por uma simples substituição, principalmente porque ao analisar seu atual momento não há razão alguma para fazer isso.

Titularidade ou a permanência em um jogo por 90 minutos são resultados de um trabalho duro, eficiente e que acrescente qualidade à equipe como um todo. Como nada disso vem de Ricardo Oliveira atualmente, o jogador deveria dar graças a Deus por ainda ter chances no time titular e nunca reclamar ao ser substituído.

No futebol, assim como em qualquer outro meio, há uma hierarquia que deve ser respeitada. O esperado é que Rodrigo Santana banque suas escolhas, opte pelo que é mais eficiente para o time e claro, tenha o respeito dos seus comandados para trabalhar com o elenco atleticano da melhor maneira possível.

Deixamos pontos importantes na Vila Belmiro, mas vale ressaltar que enfrentamos uma outra grande equipe e jogamos fora de casa, então o revés está dentre os resultados ruins aceitáveis em um Brasileirão. O problema é que o Galo não jogou como quem defendia a vice-liderança, foi inofensivo e teve a derrota como saldo. O que mais incomoda é saber que o time tinha capacidade para ser muito melhor do que foi, mas não o fez.

Visando ficar bem posicionado na tabela durante a parada para a Copa América, o
Galo enfrenta o São Paulo, em casa. Se trata de uma outra grande equipe, mas o Atlético deve se aproveitar do fator casa para vencer o jogo e pontuar novamente, a fim de permanecer dentre os primeiros colocados.

Que o jogo contra o tricolor paulista possa ser a recuperação da derrota do último domingo e que o revés contra o Santos sirva para que comissão técnica e jogadores aprendam com seus erros, a fim de não permitir o fim da nossa evolução na temporada.

FICHA TÉCNICA: SANTOS 3X1 ATLÉTICO

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Jorge; Diego Pituca e Jean Lucas; Marinho (Carlos Sánchez, aos 20min do 2ºT), Jean Mota (Felipe Jonathan, aos 37min do 2ºT) e Soteldo; Eduardo Sasha (Uribe, aos 39min do 2ºT)
Técnico: Jorge Sampaoli

ATLÉTICO
Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Nathan, aos 39min do 2ºT) e Elias; Luan, Cazares e Chará (Geuvânio, aos 12min do 2ºT); Ricardo Oliveira (Alerrandro, aos 22min do 2ºT)
Técnico: Rodrigo Santana

Gols: Eduardo Sasha, aos 38min, e Jean Mota, aos 49min do 1ºT; Carlos Sánchez, aos 36min do 2ºT (SAN); Alerrandro, aos 25min do 2ºT (ATL)

Cartões amarelos: Fábio Santos, aos 46min do 1ºT; Zé Welison, aos 34min do 2ºT (ATL)
Motivo: oitava rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Vila Belmiro, em Santos-SP
Data: domingo, 9 de junho de 2019
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Hélcio Araújo Neves (PA)
VAR: Rafael Traci (SC)
Público: 5.794
Renda: R$ 199.730,00

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

4 comentários em “Na Vila Belmiro, Galo é superado pelo Santos

  • 10 de junho de 2019 em 08:31
    Permalink

    Apesar do péssimo jogo dos pipoqueiros Fábio Santos e Ricardo Oliveira estou em trégua com os pipoqueiros e não vou criticar até o fim do ano.
    Na minha opinião o objetivo do primeiro semestre foi satisfatório e podemos alcançar voos maiores no segundo semestre.
    Fábio Santos e Ricardo Oliveira naturalmente vão perder suas posições pois seus substitutos estão melhores.
    Um Volante e Um camisa 10 devem chegar e tudo leva a crer que com essas mudanças o time vai melhorar e vamos brigar forte tanto na Sul Americana quanto na Copa do Brasil.
    É o que eu espero, vamos Galão!!
    Obs: Na minha opinião o Brasileirão desse ano não vai ter a menor graça, na minha opinião o Brasileirão já está definido e o Palmeiras vai ser campeão com os pés nas costas.
    É foco total na Sul Americana e Copa do Brasil.

    Resposta
  • 10 de junho de 2019 em 10:35
    Permalink

    bom dia massa. ainda bem que não iludo com este time. aliás se fosse decidido as 8 de finais da copa do Brasil na vila Belmiro nós tinha sido eliminado. quero parabenizar esta diretoria amadora que deixou o pipoqueiro do Ricardo Oliveira a completar 7 jogos e não negociou agora vamos ter que aguentar até 2020.ontem mostrou como este pastor pipoqueiro manda no time saiu com cara de poucos amigos. aliás ontem voltou tudo a normal Fábio Santos pessimo. patrick sempre Patrick. Elias péssimo.cazares foguete molhado joga quando quer.luan perdido no campo. só falta o galo ressuscitar o São Paulo. acorda diretoria reformulação e reforços pontuais para ontem. vai galooo.

    Resposta
  • 10 de junho de 2019 em 10:36
    Permalink

    Prezados Atleticanos! o jogo de ontem devolveu o espirito de time 7C – que primeiro tempo horroroso. Mesmo considerando a lógica nefasta e burra de assinalar como penalte o lance do segundo gol do Santos, altamente discutível, restou evidente que o Atlético mereceu perder, pois quem não atua com determinação e gana pela vitoria durante toda partida merece perder; e não deu outra: derrota.
    Infelizmente o elenco atual não permite ao torcedor ter confiança e nem esperar que o Atlético atualmente tenha chances de conquistar algum campeonato. o time salva raríssimas exceções apresenta-se em parte ou durante toda a partida a postura de time acomodado, sem comprometimento, sem ousadia e até desinteressado pelo resultado.
    Enfim, já estamos com quase dois anos de gestão 7C e o enredo continua seguindo sua trilha da mesmice desde quando entrou: time altamente limitado; futebol sem comprometimento como padrão na maioria das partidas; técnico interino; carência de bons jogadores e erros grotescos no meio campo e defesa. Isso demonstra que a gestão 7C caminha para um período de escassez estrema de títulos – ZERO. Enquanto isso, como anda as finanças do clube? Será que essa gestão, péssima em termos de gestão do futebol, também não está com a mesma competência administrando as finanças do clube?

    Resposta
  • 10 de junho de 2019 em 12:39
    Permalink

    Bom dia !

    Por mais que perder seja péssimo, até assimilo a derrota para o Santos na Vila, pois ganhar lá realmente são para poucos, ou algo fora da curva ! Inadmissível foi a falta de vontade de jogar do Galo no 1º Tempo ! O que mais me preocupa e se realmente essa diretoria está dando apoio necessário ao Rodrigo Santana. Por quê nos todos sabemos que existem feudos, igrejinhas,panelinhas,grupinhos dentro do Atlético, que quando não mexem com eles o ambiente fica tranquilo, agradável. Mas basta uma substituição para os ” MESMOS DE SEMPRE” começarem. Ai começa dar chute em garrafas de água, xingando o treinador em substituições, tirando a autonomia do treinador em rede nacional, e o pior ! Não estão jogando bost….. nenhuma né seu Pastor. Diretoria não deixem o filme se repetir ! O Thiago Largui foi aniquilado por péssimos profissionais que o ampararam. Diretor e, Gerente de futebol são pagos para isso não acontecer! Não é só para ficarem dando entrevista lero lero, dizendo que estão atento ao mercado.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *