Conheça o Deportivo La Guaira, adversário da estreia na Libertadores

Foto: AFP / @DvoLaGuaira

 

Por: Hugo Fralodeo

Sonhando com a reconquista da América, o Galo retorna à Libertadores após 2 anos e começa nesta quarta, na Venezuela, a caminhada rumo ao reinado do continente. Apontado como favorito à classificação no grupo H e já sabendo o caminho a percorrer, o Atlético encontra nesta primeira partida um desconhecido, joga “no escuro” com o Deportivo La Guaira, atual campeão venezuelano, mas, até pela falta de tradição do futebol no seu país, apesar de clara evolução, chegando a exportar bons valores, como nosso atleta Savarino, o Deportivo não gera tanta preocupação como os outros adversários mais tradicionais no grupo e é apontado como o azarão entre Atlético, América de Cáli e Cerro Porteño.

LEIA TAMBÉM:

“Spoilers Saudáveis” – Atlético terá manto com preto predominante

O périplo de Cuca: no lugar errado e na hora errada!

Diego Tardelli: renovação ou não será discutida quando o contrato estiver próximo do fim

“Negociações absurdas, mas o Atlético pagará os valores corretos”. Agente cobra mais de 40 milhões do Galo

Fundado em 2008, na região de La Guaira em Vargas, litoral banhado pelo mar do Caribe, ainda como Real Esppor Club, tem criação com base nos imigrantes espanhóis e portugueses da região e começou a se desenvolver a partir de 2014, quando, já com o atual nome, se sagrou campeão da copa venezuelana, título que também conquistou em 2015 e, a partir de 2016, com uma campanha de destaque, para um time com seu tamanho e pretensões, na copa sul-americana, onde chegou às oitavas de final, eliminando equipes mais consolidadas como o Deportes Tolima e o Emelec, parando no San Lorenzo. A partir daí, acreditando que poderia alçar voos maiores, apostando sobretudo em suas canteras, passou a ter campanhas de mais destaque no campeonato venezuelano, chegando às fases preliminares da Libertadores em 2019, eliminado o Real Garsilaso na primeira fase, mas parando no tradicional Atlético Nacional na fase seguinte, entregando uma classificação difícil aos colombianos. O trabalho seguiu e em 2020 veio a glória máxima para La Guaira. A conquista do campeonato venezuelano deu a vaga na fase de grupos de 2021 para encontrar o Galo e tentar representar seu país, que vive situação difícil no presente momento.

Com a paralisação do futebol na Venezuela, o Deportivo chega para enfrentar o Atlético com apenas um jogo neste ano, o empate em casa contra o Aragua na estreia do campeonato venezuelano no último dia 11. Contra o Galo, vai mandar o jogo em Caracas, capital venezuelana, relativamente próxima de La Guaira e vem com uma equipe reformulada até certo ponto, em relação ao time campeão em 2020. Conta com o bom goleiro Carlos Olses, de apenas 20 anos, figura constante nas seleções de base vino tinto, que passou um tempo emprestado ao Racing de Avellaneda e retornou no ano passado para assumir a meta do Deportivo. Junto a Olses, um pouco mais velho, já com 25 anos, mas mostrando que a grande aposta de La Guaira é nos jovens, Carlos Cermeño chegou do Deportivo Táchira para acrescentar qualidade ao meio campo, sendo um volante interessante, com boas características defensivas, mas com qualidade para construir e chegar na outra área. O atacante Ocanto, que já teve passagem no Brasil, no Juventude em 2014, já mais experiente, tende a ser o jogador mais perigoso dos venezuelanos e a reserva técnica de seu time. Além de Peña, principal jogador do título de 2020, o grande construtor do time a partir do meio-campo.

Certamente sem ritmo de jogo e entrando pela primeira vez numa nova realidade, o treinador Daniel Farías, com experiência de fase de grupos da Librtadores, que buscava organizar seu time de forma mais dinâmica e veloz dentro do campo, tende a se preservar mais e apostar em buscar uma maior solidez defensiva e especular em contra ataques contra os adversários mais cascudos que encontra agora na Libertadores. Tendo apenas um jogo neste ano, se reformulando e buscando uma nova forma de jogo, a análise se torna difícil, mas tende a mandar seu time a campo com um 4-3-3, que vira 4-5-1 sem a bola e não seria surpresa variar para uma primeira linha defensiva com 5 jogadores, algo que está acostumado a fazer, tentando bloquear as ações do Atlético e sair com velocidade pelos lados. De toda forma, até por ser o primeiro jogo, é natural que os venezuelanos se resguardem contra a teórica principal força do grupo.

Deportivo La Guaira – Caracas, Venezuela
Estádio: Olímpico de la UCV
Treinador: Daniel Farías
Principal jogador: Ángel Peña – Meia venezuelano
Atual campeão venezuelano (único título) debuta na fase de grupos da Libertadores e conta com uma participação nas fases preliminares em 2019.
Em 2021: 1 jogo – 1 empate – nenhum gol marcado – nenhum gol sofrido
Time base: Olses; Aramburu, La Mantía, Pernía e Cumana; Arles Flores, Cermeño e Pena; Ocanto, Darwin González e Ortíz.