Inesperado: Galo da vexame no Mineirão e rival sai na frente

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

 

Por Jéssica Silva

Muito do que se espera de uma partida de futebol é reflexo do momento de ambos os times que a disputarão, suas formações e, acima de tudo, do desempenho que apresentam em campo. Porém, há um tipo de jogo que pode surpreender em termos de resultado, por se tratar praticamente de um evento: o clássico.

Antes da parada para a Copa América o Galo estava entrando nos eixos. Sob o comando de Rodrigo Santana, a equipe atleticana vinha ganhando corpo, cada jogador deixava o seu melhor em campo e imaginar uma temporada mais proveitosa após dias conturbados não foi difícil para a Massa. Em contrapartida, o rival vinha fazendo jogos ruins, não alcançava os resultados necessários e também lidava com escândalos nos bastidores.

Cravar uma classificação alvinegra há mais ou menos um mês era fácil. É claro, se tratando de um jogo atípico, carregado de muita história, nada pode ser dado como certeza. Mesmo assim, o caminho mais óbvio seria apostar no Atlético, mas a parada e o “longo” período sem jogos era visto como um possível fator que prejudicaria o trabalho de Rodrigo Santana. Apesar de saber que parar por um tempo pode acabar com o ímpeto de um time que vive um momento de constante evolução, isso de maneira nenhuma pode servir de justificativa para o vexame dado pelo Galo ontem, no Mineirão.

A má fase do rival e a sua necessidade em aliviar a pressão que o envolvia há bastante tempo poderia ser o motivo de duas derrotas no confronto e, consequentemente, uma desclassificação. No entanto, tudo isso foi somado a um Atlético omisso, desanimado e alheio a uma partida importante como é um clássico, o que resultou em um efeito totalmente contrário.

Olhando apenas o placar final seria possível deduzir que tivemos uma partida impecável do time de Mano Menezes, mas não foi o caso. O resultado acachapante veio muito mais dos erros do Galo que de qualquer outra coisa. Prova disso é que o Atlético teve maior posse de bola, mas por não saber o que fazer com a redonda ninguém realmente prestou atenção nisso. Todos nós estávamos preocupados em não ver a defesa atleticana sendo vazada de novo e de novo, pois era exatamente isso que parecia estar prestes a acontecer durante todos os noventa minutos.

Por experiência própria, o Galo deveria saber que a estratégia do time rival seria esperar suas ações para apostar nos contragolpes e se fechar ainda mais após alcançar tal objetivo, mas com jogadores completamente desligados e uma equipe sem o espírito de guerra que pede um clássico, o Atlético caiu no jogo de Mano Menezes e entregou um baita resultado ao adversário.

Imagem: Globoesporte

Nos primeiros minutos o rival esperou o Atlético, que poderia ter se mantido firme na partida, pois tinha a real obrigação de fazer isso. Após praticamente achar seu primeiro gol, o time de Mano Menezes viu o Galo se desestabilizar e soube que poderia ampliar a vantagem. Não se espera que um time recuado marque o gol em seu único chute com perigo, mas é inaceitável que uma equipe de profissionais e repleta de jogadores experientes aja como se uma bola na rede fosse o suficiente para mandar 90 minutos de uma decisão pelo ralo, sem apresentar qualquer reação.

Muitas foram as ocasiões em que nós apontamos erros individuais como justificativas para um resultado ruim, no entanto, ontem o Atlético foi omisso por completo e se apresentou como uma equipe que ainda estava em recesso, sem mostrar ter consciência da importância de um clássico contra o seu maior rival, valendo vaga nas semifinais da Copa do Brasil.

Jogadores experientes como Victor e Rever agiram como meninos em início de carreira, cometendo erros bobos e se apequenando diante de situações que poderiam ser perfeitamente contornadas. Cazares, que deveria ser a cabeça pensante no meio de campo, jogou mais pela esquerda e passou praticamente o jogo inteiro se escondendo da partida. Confesso ter ouvido o seu nome apenas no momento da sua substituição, que inclusive foi o ponto alto da sua noite no Gigante. Ambos os laterais estavam alheios ao jogo o tempo todo, dando a impressão de que não serviam para reforçar a defesa, tampouco para apoiar o ataque, e talvez realmente não sirvam.

Luan, que costuma ser o responsável pelo gás do Atlético em campo, fez uma partida inacreditavelmente ruim, não obteve sucesso na criação de jogadas, errou muitos passes e conseguiu a proeza de ficar mais perdido que todos os seus companheiros. O Menino Maluquinho foi facilmente marcado pelos jogadores rivais e, por mais que não haja nenhum nome atleticano para ser enaltecido, o de Luan talvez seja o que mais tenha trazido decepção. É difícil vê-lo tão perdido em campo.

Elias, que vinha se apresentando de maneira mais decente nas últimas partidas do Atlético, voltou a fazer uma partida desastrosa na companhia de Zé Welison e deixou claro que não é possível defendê-lo por muito tempo. Duvido que após seu desempenho no clássico haja alguém sonhando com a renovação do seu contrato, mesmo que isso pareça imediatismo.

Fato é que não é possível apontar um único nome para sofrer com as merecidas críticas. O Atlético foi ineficiente por completo, incluindo seu treinador. Não acredito que o simples fato de ser agora técnico efetivo tenha feito Rodrigo Santana mudar a postura, isso aconteceria de qualquer maneira. Nenhum dos jogadores se comportou como quem saiu de casa para jogar um clássico, o jogo que movimenta Minas Gerais, a guerra que acontece dentro das quatro linhas. O espírito de decisão que leva uma equipe a buscar apenas a vitória não esteve presente ontem em nenhum representante do Clube Atlético Mineiro, e foi aí que o desastre começou.

O Galo parecia ter como proposta de jogo manter a posse de bola, mas a maneira frouxa de conduzir a redonda o fazia perdê-la muito facilmente. Ao ver a vantagem do mandante ser construída em lances simples, qualquer esperança em ver o Galo reagir, diante de sua postura decepcionante, desapareceu. A situação parecia poder ficar pior a cada minuto. Era o Atlético ressuscitando um adversário em crise e se enrolando com seus próprios erros mais uma vez.

Quem esperava um jogo vistoso e disputado viu apenas duas equipes que não apresentaram um futebol de alto nível. De um lado, um time que se permitiu errar demais, do outro, um que jogou no erro do adversário, não precisando fazer lá muito esforço para marcar três gols em três chutes.

O preço pago pelo Galo por não ter entrado em campo a fim de vencer, por errar e se deixar levar pelas ambições do treinador rival e por não tomar conhecimento do que significava esse clássico para o time de lá é muito alto. A vantagem a ser revertida é complicada demais, até para o time das viradas impossíveis.

A partida da volta será um “Deus, nos acuda”. Talvez os jogadores atleticanos caiam em si e tentem correr atrás do prejuízo, mas se a estratégia rival para o jogo de ontem já foi se defender, agora com a vantagem e o regulamento debaixo do braço, não será diferente. O Galo permitiu ao adversário sair na frente com sobras quando decidiu jogar contra si mesmo, por isso terá que lidar com as consequências. Nada é impossível e um resultado tão surpreendente quanto o de ontem pode acontecer no Independência, na próxima quarta-feira. Porém, para isso é extremamente necessário que o Atlético reaja, volte da parada para a Copa América (onde está o time em constante evolução?) e entre em campo para jogar um Atlético x Cruzeiro como se deve, agindo como o maior detentor de vitórias em clássicos que é e impondo o respeito que sua torcida merece.

FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO 3×0 ATLÉTICO

Motivo: quartas de final da Copa do Brasil (ida)
Data/Hora: 11/07/2019, às 20h (de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse (SP) e Danilo Simon Manis (SP)
VAR: Alício Pena Júnior (BR)
GOLS: Pedro Rocha, 12’1ºT (1-0), Thiago Neves, 26’1ºT (2-0), Robinho, 9’2ºT (3-0)

CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero, Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Ariel Cabral; Thiago Neves (David), Robinho (Fred) e Marquinhos Gabriel; Pedro Rocha (Jadson). Técnico: Mano Menezes.

ATLÉTICO: Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Jair), Elias; Cazares (Geuvânio), Chará, Luan (Otero); Alerrandro. Técnico: Rodrigo Santana

 

VEXAME: PÓS-JOGO COM WILDER MAECOS E BETINHO MARQUES 

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR DENTRO DOS BASTIDORES DO ATLÉTICO
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

Angel Baldo

Mineiro de nascença, Paulista de criação! Fanático pelo Galo e pelo Fala Galo! Apaixonado pela minha família e Deus, o resto é mimimi!

25 comentários em “Inesperado: Galo da vexame no Mineirão e rival sai na frente

  • 12 de julho de 2019 em 06:47
    Permalink

    Mas os imexíveis não saíram. Impressionante isso! Saí Cazares, saí Luan, sai a pqp mas eles continuam lá, Fábio Santos, Elias e Patric.
    O alerta já deveria ter sido ligado quando o time levou 5 gols em duas partidas contra times insignificantes, mas diriam os imbecis: “treino é treino”.
    Um sistema defensivo mais eficaz não pode ter Elias e José Welison em campo. A história recente do Galo está cansada de mostrar isso. Larghi parecia ter enxergado isso ao sacar o bunda grande pra colocar Blanco, e o time melhorou absurdamente, mas infelizmente Blanco se machucou e Larghi foi obrigado por “forças malignas” a voltar com a oeste pro time. O resultado foi que o pobre analista se enterrou. Pelo visto o treinador da Urt vai pelo mesmo caminho. E ainda tem gente no Galo querendo renovar contrato com essa lástima. E tem torcedor que ainda defende esse inútil. Só pode ser um feitiço. Quando vamos nos livrar desse mal?

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 07:20
    Permalink

    Treinador que diz que o gol sofrido foi desproposital e não foi culpa do goleiro porque o atacante adversário é destro e chutou com a perna esquerda, não merece permanecer, tem que ser demitido com urgência é mais um enganador que quer fazer o torcedor de idiota.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 07:51
    Permalink

    Vergonhoso.
    Simplesmente inacreditável.
    Temos que baixar a cabeça e aceitar a zoação dos cruzeirenses.
    Time do Galo não mostrou nenhuma raça.
    Levaram o primeiro Gol… e nada… o segundo gol… e nada.
    Tem que ter raça…. eu sei que futebol é Assim… as vezes ganhamos e as vezes perdemos…. mas perder jogando com raça e amor é uma coisa. Entrar em campo para entregar o jogo igual fizeram ontem…. é um absurdo.
    Vergonhoso.
    Outra coisa… tirar o Luan e o Cazares que são uns dos que mais correm o jogo todo… ajudando na marcacao e no ataque… simplesmente inacreditável.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 07:54
    Permalink

    Dizem que a certeza da invencibilidade está na defesa, mas a possibilidade de vitória, no ataque. e assim somos hexa, rumo ao hepta. Na realidade o Mano deu um nó n adversário.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 08:00
    Permalink

    TORCEDOR QUE DEFENDE A PERMANÊNCIA DESSE TRASTE DO ELIAS EM CAMPO NÃO PODE SER ATLETICANO.
    ESSA MISÉRIA ENTREGOU O JOGO ONTEM.
    COMO PODE UM TIME JOGAR SÓ COM UM VOLANTE.??? NÃO DÁ.
    SEMPRE DISSE QUE RODRIGO SANTANA NÃO TEM CAPACIDADE NEM EXPERIÊNCIA PARA COMANDAR UM TIME DA GRANDEZA DO GALO. ONTEM , TOMOU UMA AULA DE MANO MENEZES.
    ENQUANTO O ELIAS , BUNDA DE TANAJURA E F.SANTOS , PERNA LISA ESTIVEREM EM CAMPO EU NÃO ASSISTO MAIS JOGO.
    DEPOIS DE 30 DIAS NO SPA DESCANSANDO RODRIGO SANTANA DISSE QUE VAI “POUPAR ” OS TITULARES CONTRA A CHAPECOENSE. SE ISSO ACONTECER , ESSE SUJEITO VAI DEMONSTRAR O SEU MAIS COMPLETO DESPREPARO , IMCOMPETENCIA E IRRESPONSABILIDADE.
    ELIAS E F.SANTOS NUNCA MAIS.
    CAMBADA DE ………………

    Resposta
    • 12 de julho de 2019 em 11:03
      Permalink

      Paulo,no se comentàrio de ontem jà compartilhamos da mesma opiniao e no de hoje nem vou comentar nada!SO ACRESCENTO QUE TEM GENTE DE FORA ESCALANDO CERTOS JOGADORES!

      Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 08:06
    Permalink

    Infelizmente concordo com o Paulo. Efetivou o cara já começa a fazer burrice. A copa do Brasil já era, ou alguém acredita que com esse futebol medíocre vai fazer 4 gols. Aí vem com esta novidade de time alternativo. Vai começar a entrei no BR19.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 08:10
    Permalink

    Treinador que diz que o gol sofrido foi desproposital e não foi culpa do goleiro porque o atacante adversário é destro e chutou com a perna esquerda, não merece permanecer, tem que ser demitido com urgência é mais um enganador que quer fazer o torcedor de idiota. O problema de Igor Rabello não é trocá-lo de lado do campo, é técnico, a bola ser redonda.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 08:15
    Permalink

    Vamos ver se o Rodrigo Santana dura até o fim do mês????
    Os erros são sempre os mesmos troca o técnico mas os PIPOQUEIROS ficam o que ganhamos depois que Elias, Fábio Santos, Cazares chegaram??? resposta um mísero Mineiro em 2017.
    ELES PIPOCAM E ENTREGAM TODO JOGO GRANDE SERÁ QUE SÓ EU VEJO ISSO???
    Time que quer ser campeão tem que começar pelo técnico, olhem a diferença do Mano Menezes para o Rodrigo Santana, o Mano é mil vezes melhor o Rodrigo precisava ser auxiliar de algum grande técnico para pegar bagagem, aí cometem o mesmo erro que cometeram com o Larghi ano passado, o Rodrigo não dura até o fim do ano pode anotar aí.
    Patric não pode ser reserva do Guga, eu já sabia.
    Rever e Igor Rabelo não podem inverter de lado, eu já sabia.
    Zé Welison não pode jogar no Galo é muito ruim e caneleiro, eu já sabia.
    Fábio Santos, Elias e Cazares são pipoqueiros, eu já sabia.
    Luan centralizado é uma bosta, eu já sabia.
    Victor não faz mais milagre, eu já sabia.
    Estamos cansados de saber os problemas do time e do elenco isso não é de hoje tem 3 anos que estamos aguentando esses bunda moles e PIPOQUEIROS até quando isso???
    DIRETORIA OMISSA E COMISSÃO TÉCNICA FRACA

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 08:19
    Permalink

    Maria, eu sei que você treme!

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 08:20
    Permalink

    Jéssica só para te lembrar antes da parada da Copa o time já vinha caindo perdemos para o Santos na Vila e empatamos com o São Paulo em casa, com a traulitada ontem já são 3 jogos sem vencer, 7 gols tomados e 2 feitos.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 09:08
    Permalink

    É, com esse presidente mulambento, diretor de futebol Rui lero lero, jogadores sem alma, sem compromisso, compromisso apenas com o salário no final do mês, time de péssima qualidade, é só vexame e a maior culpa é desse sujeito que eventualmente ocupa a presidência.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 09:19
    Permalink

    Infelizmente eu sou Galo doido mas esse time não merece nem discutir, comentar. Vai gostar de ressuscitar defunto lá no inferno. O time e a instituição C.A.M não merecem a torcida que tem. E bobo é aquele que fica brigando com outros torcedores sobre o time, e defendendo.
    Nunca vi gostar de sofrer gols bobos, voltando bola do meio de campo para defesa, tocando e virando jogo no meio, isso tem que treinar e ter competência pra fazer. Iguais às equipes europeias fazem.
    Sinceramente, não sei o que os técnicos que chegam para io Galo, ficam treinando no CT.
    Vão se lascar todos! Time medíocre, covarde, fanfarrão.
    Se a torcida tivesse vergonha na cara, não iria quinta que vem ao Independência, em protesto. Mas também é uma cambada de atoas.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 09:38
    Permalink

    Mesmo assim, que seja um bom dia!

    Radiografia perfeita Jessica, sobre o que foi o jogo de ontem. Não acredito na classificação a próxima fase da copa do Brasil, e a analise é simples: O adversário é tecnicamente superior e seu treinador, mesmo com sua arrogância que lhe é peculiar, também é muito melhor e experiente. A quase dois anos estamos aqui neste e outros espaços aonde nós, os atleticanos debatem, falando dos mesmos personagens , das mesmas situações, e nada muda. Me sinto um babaca que se ilude com as mentiras vendidas por diretorias e comissões técnicas, esperando por um atlético que nunca virá. Posso até aceitar uma derrota, mas não posso concordar com um time medíocre que se quer esboçou vontade por uma reação.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 09:39
    Permalink

    Daqui a pouco a torcida volta a cantar que Patric é seleção e é só o Elias fazer um golzinho inútil que a torcida volta a ovacioná-lo
    E essas bostas vão ficando no Galo.
    E o Rui Bosta está atento ao mercado.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 10:12
    Permalink

    Foda! Inesperado foi para nós, pela crise que vivemos, achavamos que iriamos tomar um sacode, mas as falhas de vocês complicaram.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 11:18
    Permalink

    O Guerra do palmeiras que joga no Galo com uma perna,foi para o Bahia!impresionante a falta de competencia da diretoria em trazer reforços.EU DISSE REFORÇOS,VIU RUI?o treinador, a maioria dos Atleticanos deste blog pediram um outro tècnico pois este que està è so mais um covarde,pau mandado que entrega as camisas.aposto que volta com o pastor dos infernos no proximo jogo.E PELA MILÈSIMA VEZ:O GALO È O UNICO TIME DA SÈRIE A QUE JOGA COM UM VOLANTE(E È MEIA BOCA).e è duro ver o Geuvanio no banco e o cazares ainda jogando.o Guga saiu do time para servir a seleçâo e nâo por questôes tècnicas mas mesmo assim foi para o banco.E O VITOR JÀ ESTÀ ACEITANDO TUDO QUE VAI AO GOL.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 11:23
    Permalink

    Sou CEC, mas as falhas complicaram o time de vocês, se não fosse isso, seria 1×0! Sorte a nossa.

    Resposta
  • 12 de julho de 2019 em 14:46
    Permalink

    Srtª uma boa tarde! Esperado seria o título apropriado para a crônica em questão. Desse bando de tanga frouxa não se pode esperar outra postura que não seja a ineficácia e consequentemente o vexame que se tornou a marca registrada desta diretoria de engravatados amadores. Enquanto o time impunha à sua torcida[torcida apenas,a Massa morreu quando ainda no final da década 90/2000] mais uma vergonha, o mandatário estava onde,no campo? Nada! Só ler os jornais nos cadernos esportivos para constatar onde estava e o que fazia. Enquanto à Instituição CAM, era exposta a mais um dos muitos fiascos que vêm
    acumulando desde que a entregaram nas mãos de auxiliares de mecânico da fórmula 2,os quais acham que futebol se faz esmurrando parafusos e gaxetas. Enquanto estes engravatados que não entenderem que o CLUBE é maior que o ego inflado deles, vão passar vergonha atrás de vergonha. Ainda não acabou, estes tangas frouxas ainda irão provar que deles pode se esperar tudo, menos fazer algo a mais que sua limitação. SAN

    Resposta
  • 13 de julho de 2019 em 15:09
    Permalink

    Não torco mais para time nenhum. Tchau futebil., mafia, covardes, mercenário.
    Continuarei CAM mas sem torcer mais.
    Sou destes que desistem de tanto ver merda.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *