Galo vence o La Equidad e avança na Copa Sul-Americana

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Jéssica Silva
Do Fala Galo, em Montes Claros
28/08/2019 – 01h55

Jogando no estádio El Campín, em Bogotá, o Galo venceu o La Equidad novamente, dessa vez com mais propriedade, e confirmou sua presença nas semifinais da Copa Sul-Americana de 2019.

Após 21 anos, o Atlético eliminou um adversário fora do Brasil vencendo a partida. A última vez havia sido pela Copa Conmebol de 1998, quando eliminou o Jorge Wilstermann, na Bolívia, ao vencer por 1 a 0.

O objetivo de Rodrigo Santana era esperar. O time atleticano tinha a vantagem, já que venceu o jogo de ida, no Independência. Dar a bola ao adversário para se aproveitar de possíveis contra-ataques foi a estratégia do comandante alvinegro e considerando o placar elástico a favor do Galo, mesmo que o dono da casa tenha ficado mais tempo com a bola, está mais que confirmado que o Atlético agiu de maneira inteligente e eficaz.

 

Geralmente, um torcedor apaixonado por futebol prefere ver seu time jogando para frente, sem “covardia”. Porém, é necessário levar em consideração todo o contexto de uma partida. No início do primeiro tempo, o Galo já deu indícios de que esperaria o La Equidad, o que se mostrava ser uma estratégia nada arriscada, já que o dono da casa não levava perigo ao gol de Cleiton, nem mesmo criava boas oportunidades.

Com certeza existiram pedidos para que o Galo fosse mais ofensivo e corresse mais riscos. Mas com sua boa leitura de jogo, Rodrigo Santana fez com que sua equipe jogasse tranquilamente, sabendo que independente de ter a posse de bola ou não, o La Equidad jamais seria um perigo, pois esbarrava em seus próprios erros e em sua falta de qualidade, sem muito produzir.

Aproveitar qualquer chance de furar a defesa colombiana era o que esperava o Galo, e isso não demorou. Aos 20 minutos, após escanteio de Cazares, a defesa do La Equidad afastou mal, a bola explodiu em Réver e entrou no gol de Novoa. Era mais uma boa partida do eterno Capitão América sendo coroada com um gol de zagueiro-artilheiro.

Mesmo jogando fora de casa, ver o Galo saindo na frente não foi uma surpresa. O time atleticano foi mais seguro, se garantiu na marcação e aproveitou a bola parada para ampliar a vantagem que havia conquistado semana passada, em Belo Horizonte.

Nos primeiros momentos da etapa complementar, o La Equidad se mostrou um pouco mais ofensivo. De cara mandou uma bomba rumo ao gol de Cleiton, mas a bola não entrou. Na sequência, Mier recebeu livre nas costas de Elias e finalizou forte da entrada da área. Vendo o time da casa empatar a partida, o Galo resolveu ir ao ataque e chegou ao gol novamente pela bola parada. Cobrando escanteio, Cazares mirou Jair, que desviou, e Chará apareceu para balançar as redes do goleiro colombiano.

A essa altura, o Galo já mostrava que vinha fazendo o que bem entendia. Deixou que o dono da casa ficasse com a bola porque sabia que não correria riscos e chegou poucas vezes, mas com eficiência, comandando as ações da partida. Talvez esperar o adversário não seja exatamente o que se chama de futebol bonito, mas foi eficaz e nos fez ampliar a vantagem que já era nossa desde o jogo de ida, disputado no Horto.

Com a nova derrota por 2 a 1, o La Equidad viu sua vida se complicar ainda mais e não conseguia penetrar a defesa atleticana, que ganhava todas no alto. O prejuízo dos colombianos, que já era grande, ficou ainda maior quando Rodrigo Santana levou à campo Zé Welison, no lugar de Chará, deixando Elias mais ofensivo. Foi assim que o Galo fechou a conta.

Em boa tabela de Patric e Geuvânio, a bola foi lançada para Ricardo Oliveira, que encontrou Elias livre, pronto para se redimir da falha no gol adversário. O volante mandou a redonda para o fundo das redes do La Equidad e marcou um belo gol, acabando com as esperanças – se é que ainda havia alguma – dos poucos torcedores presentes no El Campín.

O Galo é mais time que o La Equidad e sua superioridade foi vista em campo nas duas partidas, mesmo que Rodrigo Santana tenha adotado estratégias diferentes em cada uma delas. Na noite de ontem, o comandante alvinegro mostrou saber lidar com as circunstâncias, levando em conta a altitude, a vantagem que já havia sido construída e o estilo de jogo adversário.

O Atlético chegou poucas vezes à área do time da casa, mesmo assim, deixou Bogotá com três gols marcados e uma classificação pra lá de merecida, pois foi mais objetivo que costuma ser e agiu como o grande time que é, sem permitir que uma equipe como o La Equidad (limitada, em termos de técnica) fizesse frente ao seu futebol.

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Chará, que fez novamente uma partida abaixo do esperado, e Elias, que falhou no gol adversário, compensaram suas respectivas ausências com gols. Que isso se repita e cada jogador que hoje representa o Atlético possa compensar seus erros com acertos decisivos, fazendo com que suas falhas sejam insignificantes e não interfiram no nosso caminho rumo ao título.

Com a classificação, o Galo enfrentará o Colón, da Argentina, na semifinal. O primeiro jogo acontecerá em 18 ou 19 de setembro, em Santa Fé. O duelo da volta, em 25 ou 26 de setembro, será disputado no Mineirão.

Mais uma vez, o Atlético estará frente a frente com uma equipe que pode ser superada sem grandes sustos e Rodrigo Santana terá novamente suas estratégias colocadas à prova. Decidindo em casa contra um time argentino, o que se espera é que o Galo garanta a classificação e vá forte para a final da Copa Sul-Americana, que é a competição que pode nos proporcionar um alívio financeiro, uma vaga na Libertadores do ano que vem e um título internacional que nos trará prestígio e o principal: a alegria de ver o Galo forte e vingador conquistando a América mais uma vez.

 

FICHA TÉCNICA: LA EQUIDAD 1 X 3 ATLÉTICO

La Equidad:
Diego Novoa; Walmer Pacheco, Danilo Arboleda, Jáider Riquett e Amaury Torralvo; Pablo Lima, Vargas, Stalin Motta (Mier, aos 25/1°T) e David Camacho (De Alba, aos 20/2°T); Barona (González, aos 34/2°T) e Carlos Peralta
Técnico: Humberto Sierra

Atlético:
Cleiton; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Jair e Elias; Chará (Zé Welison, aos 27/2°T), Vinícius (Geuvânio, aos 20/2°T) e Cazares (Otero, aos 39/2°T); Ricardo Oliveira
Técnico: Rodrigo Santana

Gols: Réver, aos 19/1°T; Mier, aos 2/2°T; Chará, aos 5/2°T; Elias, aos 30/2°T

Cartões amarelos: Chará, aos 32/1°T; Vinícius, aos 15/2°T; Riquett, aos 42/2°T; Jair, aos 44/2°T; Pacheco, aos 46/2°T

Motivo: jogo de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana
Local: Estádio El Campín, em Bogotá, na Colômbia
Data e horário: terça-feira, 27 de agosto, às 21h30 (horário de Brasília)

Árbitro: Esteban Ostojich (URU)
Assistentes: Gabriel Popovits (URU) e Martín Soppi (URU)
VAR: Leodan González (URU)

 

Siga nossas redes sociais e fique por dentro dos bastidores do Atlético.

Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
YouTube: youtube.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Site: falagalo.com.br

Revisão: Jéssica Silva
Edição: André Cantini 

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

10 comentários em “Galo vence o La Equidad e avança na Copa Sul-Americana

  • 28 de agosto de 2019 em 07:03
    Permalink

    bom dia massa. grande Vitória do galo mas com os pés no chão pegamos uma equipe que parece um mequinha piorado.o galo tinha obrigação de ganhar deste equipe pos o salário do pastor pipoqueiro deve pagar o ano todo os salários dos jogadores colombianos. agora nas meias finais vamos jogar com uma equipe mas cascuda tem que abrir os olhos contra os argentinos. vai galooo.

    Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 07:26
    Permalink

    Bom dia amigos do Galo. Bom resultado, jogo para o time ganhar mais confiança, evoluir taticamente e melhorar muito na marcação e transição da defesa para o ataque.
    Sem essa de time misto no Brasileiro, só seis pontos nos separam do líder.

    Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 08:34
    Permalink

    Bom dia Atleticanos. Ao ver o jogo de ontem e comparando com os demais que assisti do time neste ano, percebo que a atual composição do elenco e comissão técnica é seguir a trilha com solavancos.
    as limitações da equipe não permitem ao torcedor um expetativa de ver o Atlético atacando e aniquilando com suprema autoridade os adversários por mais modestos que sejam. para compensar esse problema a Comissão Técnica tem de montar uma esquema tático eficiente, jogar com inteligência e o time manter pegada e jogar com raça e espirito de vitória. No jogo de ontem isto aconteceu em boa parte da partida, mas houve momentos de descuido, em um deles resultou no gol do time colombiano.
    Com os pés no chão e com a consciência de o Atlético ter um time limitado, não crio expectativas muito otimistas, mas realistas diante das possibilidades no brasileirão e sulamericana. No brasileirão, penso que o Atlético não tem a mínima possibilidade de conquistá-lo; porém é possível terminar no G4 caso haja melhoras significativas que são possíveis no futebol do time. Quanto a sulamericana a probabilidade de título é relativamente boa. contudo o fantasmas de acontecer um desempenho medíocre numa partida tal como fora as que o time do Atlético jogou contra grêmio, parmeiras, o paraguaio Cerro Portenõ, Goiás e Fortaleza é um problema que assombra o torcedor e pode acabar com uma real chance de conquista de título em 2019.
    Ainda não tive a oportunidade de ver o Atlético campeão brasileiro e minha esperança é que aconteçam mudanças radicias para melhora geral dentro do clube, com diretoria profissionais e competentes, e assim possa criar a estrutura e um time capacitado para dar ao torcedor a alegria de mais um título brasileiro que creio mais da metade da torcida ainda não viu ou pode comemorar. Saudações Atleticanas.

    Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 08:44
    Permalink

    Meu irmão essa Sul Americana é a nossa copa do mundo, é o que temos por tanto é o título mais importante do mundo.
    Precisamos desse título não vai ser fácil, afinal esses ‘pipoqueiros” gostam de complicar, pode ser jogando feio, gol de canela, meio a zero, o que importa é trazer esse título.
    Ganhando esse título da para fazer um planejamento competente de reformulação do grupo e focar nos grandes títulos Brasileiro e Libertadores.
    Feliz demais com a vitória e torcendo com os dois pés no chão, não confio nesses PIPOQUEIROS até que eles provem o contrário.

    Resposta
    • 28 de agosto de 2019 em 13:54
      Permalink

      kkk, LIXÃO.

      Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 11:40
    Permalink

    O LA EQUIDAD É UM TIME PEQUENO , SEM TORCIDA QUE É LANTERNA DO CAMPEONATO COLOMBIANO, PORTANTO GANHAR DO FRAQUÍSSIMO LA EQUIDAD NÃO PASSOU DE UMA OBRIGAÇÃO.
    O SALARIO DE R.OLIVEIRA E ELIAS PAGAM TODA A FOLHA DO LA EQUIDAD.
    NÃO DÁ MAIS PARA CONSEGUIRMOS INSISTINDO COM R. OLIVEIRA E ELIAS , POIS SÃO OS NOSSOS DOIS PONTOS MAIS FRACOS. NUNCA RENDERAM NADA NO GALO.
    VINÍCIUS TAMBÉM NÃO É JOGADOR PARA SER TITULAR NO ATLÉTICO.
    CAZARES O NOSSO MELHOR TALENTO TAMBÉM NÃO PODE FICAR ISOLADO NA PONTA.
    BRASILEIRÃO EM PRIMEIRO LUGAR , POIS É UM TÍTULO QUE NÃO GANHAMOS HÁ QUASE 50 ANOS.
    “” E NADA DE POUPAR JOGADORES “”. CHEGA DE REPETIR SEMPRE OS MESMOS ERROS.
    QUEREMOS O BRASILEIRÃO.

    Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 12:08
    Permalink

    Bom dia!
    Não que eu enxergue sempre o copo meio vazio, mas fosse uma equipe mais qualificada, não tenho certeza se o galo suportaria 90 minutos mais acréscimos, com esta estratégia adotada. Falo isto porque o time do galo é limitado tecnicamente e na voluntariedade de suas peças, mesmo que diretoria e comissão técnica tentem nos vender outra imagem do time. É preciso melhorar muito pra que a confiança de nós torcedores volte, por hora é jogo a jogo pra ver como fica…!

    Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 13:07
    Permalink

    Boa tarde massa, temos que parar de só criticar o time, temos as nossas limitações técnicas em algumas posições, mas quem não tem? A Equipe La Equidad não havia perdido em casa na Sula, então vamos comemorar e respeitar os adversários, agora uma equipe Argentina na fria Santa Fé. Temos time e elenco para chegar a final da Sula, mas temos um adversário muito forte que somos nós mesmo, avante galo contra todos .

    Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 13:35
    Permalink

    EVERTON , MELHOR JOGADOR DO BRASIL , ESTÁ LÁ , DANDO VITÓRIAS E TÍTULOS AO GRÊMIO.
    SOMOS MENORES QUE O GRÊMIO.???
    PORQUE NÃO SEGURAMOS ROGER GUEDES???
    PORQUE PAGAR 500 MIL A ELIAS E R.OLIVEIRA , SE NADA GANHAM PARA O TIME.????
    PORQUE PAGAMOS 27 MILHÕES EM CHARÁ.??
    ORA , ESSES ERROS FAZ PARTE DA PÉSSIMA ADMINISTRAÇÃO DO GALO.
    A MENTALIDADE “VENDEDORA” JÁ CONTAMINOU ATÉ ALGUNS TORCEDORES QUE SÓ PENSAM EM “VENDER”.
    QUEREMOS TIME.
    QUEREMOS TÍTULOS.
    MINEIRÃO SEMPRE FOI A NOSSA CASA.
    CHEGA DE APEQUENAR A NOSSA TORCIDA EM UM MINÚSCULO ESTÁDIO.
    BRASILEIRÃO É O NOSSO PRINCIPAL OBJETIVO

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *