Formação inédita, vitória no fim e pressão

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Por Maxi Pereira / Revisado por Malu Precioso 

O Atlético utilizou uma formação inédita e coube aos reservas entrar em campo no primeiro confronto depois do fiasco diante do rival, o que, obviamente, é componente de pressão.

Entre vontade de ganhar, convencer, mostrar que podem pleitear a titularidade, sentir a pressão dos holofotes e virar um placar contrário desde os 30 segundos, os jogadores do Atlético buscaram propor o jogo, assumiram a posse da bola e finalizaram mais, mas oscilaram no emocional várias vezes, transparecendo em vários momentos um sentimento de impotência, facilmente confundido com apatia. Otero é o exemplo maior nesse quesito.

Como integrantes de um grupo machucado, seja pela postura humilhante e totalmente equivocada dos titulares diante do time azul ou pelo drama vivido pelo volante Adilson, quase nunca se viu leveza no time atleticano, cujos jogadores não conseguiam sorrir: nem a virada foi suficiente para trazer alegria ao grupo. As comemorações dos gols foram sintomáticas, com alguma dose de catarse e descarrego.

O gestual de Maidana ao comemorar seu primeiro gol com o manto sagrado e a mão estendida para o céu de Ricardo Oliveira na comemoração do gol de Vinícius Goes mostra a medida exata do conturbado espírito atleticano.

Não dá para analisar em profundidade e, tampouco, de maneira definitiva, os dois gringos estreantes que se comportaram exatamente como eram: dois estranhos no ninho. Em nada foram brilhantes, mas também não comprometeram. Ambos podem mostrar muito mais. É preciso entender e dar aos dois o tempo e as condições para se adaptarem e se sentirem mais seguros e identificamos com o grupo e com o clube.

O Atlético mereceu vencer, embora não tenha sido brilhante e tenha encontrado muitas dificuldades táticas e emocionais.

Muito trabalho tem que ser feito e o Galo precisa ainda de algumas contratações pontuais, porém, sem fazer as habituais e cruéis caças às bruxas.

Rodrigo Santana é um capítulo à parte. Está correndo sérios riscos de fracassar e todo cuidado é pouco.

 

GALO VAI AO MERCADO EM BUSCA DE VOLANTE, CONFIRA:

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR DENTRO DOS BASTIDORES DO ATLÉTICO
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *