Na série #GaloEmCasa, Rafael Menin contou como surgiu o sonho da Arena MRV - FalaGalo

Na série #GaloEmCasa, Rafael Menin contou como surgiu o sonho da Arena MRV

 

 

Betinho Marques
25/03/2020 – 19h21
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

 

 

GRUPO DE NOTÍCIAS DO FALA GALO, CLIQUE AQUI:

Live do GALO conta como surgiu o sonho da Arena MRV – “Não conheço ex-atleticano, atleticano é tudo doido” – Rubens Menin

A Live contou o início do sonho, falou sobre a expectativa de início, grama sintética, capacidade do empreendimento, naming rights, licenças, possibilidade de aumentar a capacidade após a construção e informalidades de um programa atípico de aniversário em quarentena.

Num formato novo, em função da adaptação para contenção do COVID-19, a Live do Atlético está fazendo transmissões diárias, sempre às 16h. Desta forma, o clube no dia do seu aniversário propiciou um diálogo mais informal entre os principais atores que estão à frente do projeto Arena MRV. A transmissão da TV Galo contou com os convidados: Bruno Muzzi (CEO da Arena), Sérgio Sette Câmara (presidente do Galo), Rubens Menin (fundador da MRV) e Rafael Menin (presidente da MRV).

O objetivo do bate-papo foi elucidar a torcida para as atualizações do processo de licenciamento, além de ponderar algumas questões técnicas sobre o empreendimento. Já no início, Rafael Menin descreveu quando o sonho iniciou.

 

Começou após o Mundial de 2013

“Começou após o mundial de 2013, voltando de Marrocos, pensamos em como ajudar o Atlético, comparando com outros times, pensamos em exemplos como o Inter pelo número de sócios e pensamos em ter a própria casa para que o Atlético se colocasse como um dos que disputaria sempre nas primeiras posições”

O papo correu de maneira amistosa e com um tom de realidade da vida dos lares. Ao longo da conversa, houve cachorro latindo ao fundo, brincadeiras e até o Rubens Menin comendo bolo ao vivo. Passadas as descontrações algumas ponderações do gestor da Arena, Bruno Muzzi valem destaque:

  • Estádio projetado para 46.000 espectadores;
  • Da parte técnica será melhor a utilização da grama sintética – (logo em seguida o presidente Sette Câmara endossou);
  • A supressão arbórea faz parte da atividade fim e já é parte da obra, mesmo que sem máquinas;
  • Licença de terraplenagem e contenções – Infelizmente saiu licença na segunda e corona na terça. Estamos aptos para começar. Precisamos só ver também o tempo de mobilização da empresa contratada para a etapa. A expectativa é agora para início na segunda quinzena de abril. Vamos observando a situação de contenção da doença para entrarmos na terraplenagem;
  • Os cálculos concebidos não permitem aumento da capacidade do estádio após a construção;
  • Teremos uma cobertura acústica (qualidade de som) que não prejudicará quem estiver fora e melhorará o som para quem está dentro do evento.
  • Acessos – O acesso para o gramado conta com seis bocas, Mineirão só tem duas. Temos estrutura com banheiros, bares, camarins, cozinhas para artistas, estas coisas diminuem as adaptações para quem quer fazer eventos diversos. Aumenta a eficiência para montagem dos shows para diminuir a montagem de 36h médias para 12h.

 

Uma obra que entregará muitos benefícios

Muzzi resumiu na entrevista o tamanho do seu desafio:  “Faremos a reconstrução de uma nova UBS, três passarelas na região, Centro de Línguas Integradas, Academia da Cidade e muitas coisas boas que serão deixadas pela cidade. Desconsidero na minha vida de engenharia uma obra que tenha contribuído tanto para a cidade como a Arena fará. ”

 

Naming Rights

O presidente Sérgio Sette Câmara em resposta ao questionamento do repórter Fabio Pinel relatou que o clube colocará cláusulas para as emissoras de tv, para que as mesmas respeitem o naming rights, ou seja, haverá um esforço para que o estádio do Atlético seja conhecido como Arena MRV em todos os lugares através de parceiros e anunciantes, de todo que tenham vínculo com o Galo.

Finalizando a Live, Rubens Menin reafirmou que a Arena propiciará empregos para a cidade e emendou:

“Teremos um estádio com 1/3 do custo em comparação das outras, isto é engenharia. Teremos logística para montar os shows com maior agilidade. Fazer a alegria de milhões de pessoas é o que me move. A filantropia está no meu DNA. Fazer tanta gente atleticana feliz não tem preço”

 

2 comentários em “Na série #GaloEmCasa, Rafael Menin contou como surgiu o sonho da Arena MRV

  • 26 de março de 2020 em 18:57
    Permalink

    Vamos para a prateleira de cima!
    Deixaremos de ser meros participantes em vários torneios, para sermos protagonistas. Temos que pensar alto sim, agora com Sampaole e Alexandre Matos e amanhã com nossa arena!
    Enfim acordamos!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *