Entre Patric e Guga – Por Denilson Rocha

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Desde o início da temporada, a cada semana vem aumentando os pedidos para que Guga assuma a titularidade na lateral direita em lugar do contestado Patric, que muitos questionam até mesmo a permanência no elenco. Nem precisa ser grande entendedor de futebol para saber que a posição já tem dono: Guga. Até o treinador “burro com sorte” sabe disso. Mas, nesse caso, não é burrice nem a cabeça dura do técnico que tem mantido Patric no time, é a experiência e o conhecimento do Levir Culpi.

Quantas vezes já perdemos títulos e conquistas por técnicos que não sabiam conduzir “o vestiário”? Em 2009, com Celso Roth, o time vinha bem e perdeu o rumo… A “estrela” Roger Machado é muito elogiada por ser estudioso e conhecer das táticas do futebol, mas que não consegue conduzir o grupo. É assim no futebol como é em outros ambientes. Não adianta ser apenas bom tecnicamente – e Guga é MUITO melhor tecnicamente que Patric –, é necessário relacionamento, conquistar o grupo (e posso dizer que não foi fácil aprender isso…).

Coloque-se na seguinte condição: você trabalha há anos na empresa, tem uma origem pobre e ralou para conquistar a posição que ocupa. Além disso, é muito querido pelos colegas. Você tem um colega de trabalho com história semelhante. Esforçado, batalhador, que supera problemas familiares e está sempre colaborando com o grupo. Este colega é, também, muito querido. Um dia, chega um novato e ocupa o lugar deste seu colega tão querido. Precisa dizer quem será o próximo?

Ou seja, inicialmente, o que o técnico Levir Culpi está fazendo é gerenciar o grupo. Dá as oportunidades ao Patric, mostra que ele teve muitas chances, mas que não soube aproveitar. Daí, os próprios colegas vão reconhecer a superioridade do Guga e vão pedir que seja titular.

Outro ponto, Levir Culpi falou que não inscreveu Hulk para a Copa Libertadores por falta de maturidade e experiência. Mas ele é apenas um ano mais novo que Guga. A diferença está em um atleta que foi titular em um time menor e jogou toda a série B – o que nos indica que Hulk deveria ser emprestado para ganhar experiência, mas não é esse o ponto… Marcos Rocha foi vaiado nos primeiros jogos no time. Mais recentemente, Emerson foi questionado, especialmente após cometer um erro que nos custou uma derrota para o Flamengo. Se o Guga é colocado como titular logo nos primeiros jogos e comete um erro, como seria a reação da torcida? E se comete um erro nestes jogos eliminatórios da Copa Libertadores? Poderíamos ser eliminados e o jogador ficar marcado pelo resto da carreira. Podemos dizer que Patric comete muitos erros, inclusive na Libertadores… mas o cara já está calejado de ser criticado e isso não vai mudar a carreira dele. Então, não sente a pressão.

Enfim, por mais que eu também participe do coro que pede Guga imediatamente titular na lateral direita, consigo entender o que o técnico Levir Culpi vem fazendo. Vamos ficar p. da vida por mais alguns dias, vamos xingar, vamos reclamar… Mas, como já disse Romário, “mal chegou e já quer sentar na janela?”, ou como disse Robinho, “já jogou onde?”. Isso tem valor no vestiário e precisar ser entendido e respeitado. O grupo vai percebendo um técnico que dá oportunidade a quem já estava ali, que respeita a “senioridade”.

Acho (e é só um palpite) que Guga somente assumirá a titularidade do time na Copa Libertadores quando chegarmos à fase de grupos. Ali, o risco de cometer um erro é menor. Dá chance de recuperação. A pressão por resultados é menor e o jovem pode jogar sem medo. Até lá, Levir vai colocá-lo aos poucos, quando os jogos já estiverem decididos e ele puder entrar com tranquilidade. Deve ser assim na próxima terça-feira.

Uma coisa é certa: nosso titular já é Guga, e Levir sabe disso.

Sigam o Fala Galo nas redes:
falagalo.com.br
@falagalo13

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

4 comentários em “Entre Patric e Guga – Por Denilson Rocha

  • 12 de fevereiro de 2019 em 12:37
    Permalink

    Salve massa!

    A questão da torcida clamar por Guga, é justamente porque a torcida já não aguenta mais as bizarrices de Patrick. Dizer que o Burro com sorte está administrando elenco dando chance ao Patricão é uma imoralidade, já que este jogador mesmo esforçado, vem prejudicando o time há 03 ou 04 anos, então quantas chances ainda o cara precisa? Quanto ao Hulk, as raras chances que teve foi ridículo, e a ele não é dada nenhuma mais porque literalmente não passa confiança. Ai temos que aguentar F. Santo de lateral. Aff!!!!
    Enfim vamos pro jogo hoje sabendo que a emoção estará garantida pela raiva que nos fazem, com o triunvirato de pestes que queremos ver fora do clube, saudosamente invocado abaixo.

    Té + e FORA ELIAS, FÁBIO SANTOS E PATRIC!!!!

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2019 em 14:14
    Permalink

    Q piada essa resenha!
    É cada advogado!
    Paticqrie taqui desde mil novecentos e Kafunga, por essa lógica ele NUNCA vai sair da janela.
    Deus do Céu, Cara, ñ brinca assim, ñ.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 07:49
    Permalink

    E ainda tem a questão do interesse de clubes de fora do Brasil. Se põe o Guga de titular em todos os jogos, desde o segundo jogo do time na temporada, ele certamente iria ser assediado e talvez até vendido, dependendo do valor. Daí, conseguir uma peça de reposição seria osso!

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 08:13
    Permalink

    Vai me desculpar meu caro, mas é muito “se” nessa sua resenha ridícula!
    São 10 anos que esse péssimo jogador tem atrapalhado a vida do Galo. Chega! E você também, vai aprender a fazer outra coisa em vez de escrever bizarrices! É cada uma!
    Fora Patric!
    Fora Elias!
    Fora Fábio Santos!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *