Em casa, Galo perde pela Libertadores – Por Jéssica Silva

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Volta oficial à Copa Libertadores da América, estreia na fase de grupos e reencontro com o Mineirão. Tudo isso parecia contribuir para um feliz final de carnaval para qualquer atleticano que curtiu a folia com a cabeça no jogo entre Galo e Cerro Porteno-PAR. Porém, alguém jogou água no chopp do atleticano: o próprio Atlético.

Na última partida contra o Defensor, quando nos garantimos na fase de grupos da Libertadores, o Galo não fez um grande jogo e adotou uma postura nada ofensiva, mas houve quem relevasse, já que o objetivo havia sido alcançado.
Ontem, contra o Cerro, já pela fase de grupos, novamente tivemos uma partida digna de preocupação e já que não alcançamos o objetivo desta vez, fica claro que o desempenho da equipe, sendo avaliado à longo prazo, não é tão bom assim.

Levir Culpi optou por entrar com três volantes novamente: Adilson, Jair e Elias. Como na quarta-feira passada, a ideia do treinador alvinegro parecia ser deixar Elias mais solto, mas levando em consideração o desempenho do volante em toda sua trajetória com a camisa atleticana, esperar dele o diferencial seria otimismo demais.

No início da partida nós até tivemos a ilusão de ver o Galo pressionando o adversário, jogando acelerado, mesmo sem tanta organização. Luan foi bem, mesmo escalado na esquerda, e Cazares ditou o ritmo e teve mais um bom início de jogo. Logo aos 08 minutos, o equatoriano cobrou boa falta para o Galo e a bola parou no fundo das redes. O bandeirinha até confirmou o gol, mas o árbitro anulou o tento atleticano e nós voltamos à estaca zero.

A postura pilhada do Galo continuou, comandada principalmente pelo próprio Cazares e Ricardo Oliveira. O primeiro estava ali para organizar a partida e criar as oportunidades, o outro para aproveitá-las, mas isso ficou só na teoria, já que não chegamos ao gol. Do outro lado, o Cerro deixava claro que veio ao Mineirão para se defender, já que sua última preocupação era sair para o jogo e que a prioridade era cuidar de sua defesa. Aos poucos, o ritmo da equipe alvinegra foi diminuindo, o jogo tornou-se previsível e o time paraguaio passou a marcar o Galo com mais facilidade.

O problema do Atlético na primeira etapa foi não aproveitar os lampejos de boas oportunidades quando as teve e deixando tudo para depois acabou sendo prejudicado por sua própria incompetência.

No segundo tempo o Galo perdeu o gás, com exceção de alguns lances. Cazares teve uma baita chance aos 17, quando recebeu a bola no meio, driblou o zagueiro e chutou tirando tinta da trave. Uma pena não ter sido assim o tento atleticano, porque seria um GOLAÇO! Mais tarde, Patric acertou um cruzamento (talvez o único em toda sua vida) ao colocar a bola na cabeça de Ricardo Oliveira, mas o Bom Pastor desperdiçou, fazendo a única coisa que nunca deve ser feita por um centroavante: perder um gol decisivo.

Vem sendo comum ver o time de Levir Culpi diminuir o ritmo quando volta do intervalo, principalmente jogando em casa. Nós percebemos, os adversários também e é aí que está o problema. O Galo não tem a opção de jogar pelas laterais, como deveria ter. Muito se fala do desempenho de Patric e sua titularidade (que deve sim ser questionada), mas o problema mora do lado oposto do campo também. Fábio Santos não joga bem há muito tempo e não acredito que seja falta de qualidade, o que falta ao lateral esquerdo atleticano é uma ameaça, uma sombra. Sua preguiça e descaso com a camisa alvinegra vem muito mais de comodismo que de qualquer outra coisa e isso explica o porquê de tanta cobrança por um jogador que brigue com ele pela vaga.

Com meia hora de bola rolando no segundo tempo, quando já se via atleticano lamentando um empate sem sal dentro de casa, o Galo fez questão de mostrar que nada estava tão ruim que não pudesse piorar.

Aos 32 minutos o Cerro chegou ao gol com Churín. No lance o atacante recebeu a bola de seu companheiro, Ruíz, em impedimento. Minutos mais tarde o Galo também balançou as redes em impedimento, com Ricardo Oliveira, porém, nosso gol foi anulado. Falha grave da arbitragem, mas olhando para o desempenho do Atlético durante toda a partida, jogar a culpa do mau resultado para cima da turma do apito não fica muito bonito. Infelizmente, foi o que Levir Culpi fez.

Na coletiva pós-jogo, o treinador atleticano bateu na tecla “arbitragem” diversas vezes, como que para desviar o foco do que realmente importa: no fim das contas, o desempenho deve ser analisado acima de qualquer resultado. Não adianta alcançar objetivos aos trancos e barrancos, como foi feito na semana passada. O presságio de uma boa temporada vem de um bom comportamento em campo, o que o Galo não vem tendo. Levir poderia justificar sua insistência em Patric e Elias. Poderia explicar o porquê de optar jogar com três volantes em casa e, no fim do jogo, acabar sem nenhum. À propósito, Nathan jogando como volante é tão ruim quanto em qualquer outra posição, o que deixa claro o quão perdido está nosso técnico tanto na escalação inicial quanto nas substituições.
Se a arbitragem tivesse anulado o gol dos paraguaios ficaríamos no 0x0. O resultado seria um pouco melhor, mas as críticas ainda seriam justas, pois o Galo não fez um bom jogo. O Atlético fez uma estreia pra lá de frustrante na fase de grupos da Libertadores, tirou o brilho da sua volta ao Gigante da Pampulha e, de quebra, deu um peso muito maior ao seu próximo jogo, contra o Nacional-URU.

Sendo otimista, talvez a pressão de ter que fazer um bom resultado fora de casa, na próxima terça-feira, faça o Galo demonstrar mais vontade em Montevidéu.

Buscando alcançar algum objetivo (e com isso digo títulos, não apenas vitórias em partidas aleatórias), o Galo precisa priorizar bom desempenho acima de resultado, porque um só vem acompanhado do outro. Para isso, Levir Culpi deve deixar sua teimosia de lado (a grande maioria da torcida não pode estar completamente errada, professor!), os jogadores devem jogar com raça, compensando a qualidade que às vezes pode faltar e a diretoria deve suprir as carências que ainda temos. Sendo assim, caso o Atlético chegue às oitavas, poderá ter novos inscritos na competição e mais opções no seu banco de reservas.

Às 21:30 da próxima terça o Galo volta à campo pela Libertadores. No Uruguai, contra o Nacional. Resta ao time de Levir compensar a derrota de ontem com um bom resultado e um bom desempenho, antes de mais nada.

Antes disso, às 16:30 de sábado, visitamos o Patrocinense para defender a liderança do Campeonato Mineiro.

Sigam o Fala Galo nas redes:
falagalo.com.br
@falagalo13

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

19 comentários em “Em casa, Galo perde pela Libertadores – Por Jéssica Silva

  • 7 de março de 2019 em 07:02
    Permalink

    Bom dia Jessica e amigos do Galo. Não há surpresa no resultado de ontem, afinal das contas todos nós sabemos que o time do Galo está sendo mal escalado, que o Patric é muito ruim, que o Fábio Santos não marca e entrega, que o Elias não deu liga no Galo e que o Levir se tornou um covarde. Sem surpresa, se 2019 for igual ou pior que 2018, a prioridade é vencer, vender, vender.

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 07:21
    Permalink

    Salve massa!

    E finalmente o dogma do burro com sorte foi por água a baixo, a sorte foi embora e ficou somente o burro, põe na conta dele esta derrota. O jogo de ontem foi o prenúncio de uma história que todos já sabiam, mas nós como atleticanos e fervorosos em nossa crendice não queríamos aceitar. Nosso time é limitado e fraco. Falar que Elias novamente foi horrível, que Patric fez suas patricadas e F. Santos (lembram da última bola do jogo?) foi um lateral de merda, é chover no molhado. Mas eles talvez são os menos culpados disto tudo, pois os verdadeiros culpados têm nome e endereço: Diretoria e Comissão técnica. E o que falar da entrada de Natan que é reserva dos reservas e pior jogando de volante? Agora é juntar os cacos e correr atrás, mas sabendo que depender dos jogadores que temos e do idiota do burro da sorte estamos nas mãos de incompetentes, aliás por falar em mão, São Vitor desta vez fez a sua contribuição pra toda merda de ontem. Tenha dó!

    Té + e FORA triunvirato ELIAS, FÁBIO SANTOS E PATRIC!!!!

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 07:26
    Permalink

    Bom dia Jéssica pra falar verdade não gosto de técnico Levi culpe,ou seja e um técnico utrapassado, medroso,não tem esquema de jogo nenhum,na hora das entrevistas sempre tira o foco e a culpa das escalações bisonha dele,outra coisa onde que o Vitor tava na hora do gol não estáva Mineirão não só pode que saída do gol totalmente fora do ritimo do jogo deixo aqui minha indignação muito obrigado pelo espaço

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 07:55
    Permalink

    Prezados Atleticanos, o resultado de ontem é mais do que a confirmação de que o Atlético não tem time de futebol com qualidade para disputar quaisquer títulos de grandeza. Não adianta ter supertécnicos se o elenco é um show de horrores como é o atual elenco do Atlético. Me apontem uma única partida de bom nível que este elenco produziu desde 2018, já que poucas mudanças de jogadores aconteceram desde lá.
    Ontem, diante dos resultados fiz até um paralelo entre o PSG que perdeu uma classificação das mais tranquilas e fáceis que poderia-se imaginar e o Atlético que perdeu para um time paraguaio bem limitado, tanto que está na quarta posição de seu campeonato. Achei os seguintes pontos em comum:
    a) futebol de aquém do esperado;
    b) falta de capacidade de finalização;
    c) presença de jogadores no time que mais atrapalham do que ajudam.
    Será que depois das desastrosas partidas que esse time que o Atlético coloca em campo fez, há quem acha que teremos bons resultados doravante? Que esse time ainda pode melhorar qualitativamente?
    Certamente, 2019 será duro e sofrível para nós Atleticanos.

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 08:23
    Permalink

    Olha eu disse que dava tempo de mandar o Levir embora enquanto havia tempo, talvez agora seja tarde demais, para sofremos menos talvez seja a hora de agendar para ver algum filme repetido no Netflix, porque o Atlético fora de casa já sabemos o que o Levir fará, restando saber se será empate ou derrota, lamentável…

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 08:29
    Permalink

    Todo atleticano sensato sabe que o time é limitadíssimo e que na fase de grupo iria azedar…
    A pré-libertadores foi sofrível… não se impôs contra times fracos (tomou sufoco)
    Continuo batendo na tecla: O presidente não tem comando e não gosta de futebol (ele mesmo disse), não há retorno sem investimento em bons jogadores, temos uma diretoria medrosa e que gasta demais em jogadores fracos… O presidente concorda passivamente que o Atlético seja um mero coadjuvante no futebol brasileiro… estamos f…

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 08:44
    Permalink

    Prezados, bom dia.

    Não enxergo técnico algum com perfil do atlético, exceto o Cuca, não acredito que seja a solução mudar o comando. O perfil de jogadores contratados é pífio, fogem em largo da filosofia do clube, atletas morosos, parcimoniosos, vide Chará, 30 milhões, absurdo.
    O atlético tem em seu DNA, a técnica e a raça coadunados, algo que não vemos a muito tempo, é preciso rever algumas coisas, a diretoria precisa se fazer presente, apontar erros do Levir e agir de maneira condizente as premissas da agremiação.
    Ontem, meus caros, o problema não é o esquema, sim dos jogadores, o elemento surpresa Elias nunca veio pra cá, parou de jogar em 2015, no Flamengo, as laterais ganharam liberdade, mas cadê a ultrapassagem, linha de fundo?
    Vamos rever meus caros, está muito complicado.
    Abraços

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 08:51
    Permalink

    Bom dia!
    Tão horrorosa quanto a apresentação do Galo no Mineirão, foi a entrevista do engraçadinho burro com(?) sorte. Não falou nada com nada e não quis admitir que seus comandados foram mal escalados, mal treinados, bem como suas substituições desastrosas. Muito triste! Um cara que até hoje não sacou que Elias, Fábio Santos e Patric não são jogadores para o Galo e ainda acreditar que Nathan e Vinícios poderiam mudar os rumos de uma partida, significa definitivamente que esse sujeito não conhece os seus comandados ou então esses caras arrebentam nos treinos, porque no campo de jogo a Massa já sabe a muito tempo que não se pode esperar nada desses inúteis jogadores.

    Infelizmente, ainda assim, depois de tantas partidas pífias com esses pseudo jogadores, posso até adiantar a escalação para o próximo jogo:
    Victor, Patric, Rever, Rabelo e Fábio Santos; José Wellison, Jair e Elias; Luan, Cazares e Ricardo Oliveira.
    Isso porque esse burro é um burro empacador. No caso dele não basta ser burro, tem que ser teimoso e pirracento.

    Fora Elias!
    Fora Fábio Santos!
    Fora Patric!

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 08:52
    Permalink

    Lamentável o que na entrevista este ex-treinador disse que a torcida gosta da vitória e não do bom futebol,errado gostamos dos dois e você Levir gosta de tirar a paz de quem a tem,fato. Em todos as clubes que você passou,você perdeu e não aprendeu,brigou com grandes jogadores para se passar de grande líder e sempre foi um fracasso como está sendo agora,falar mal desse ou aquele jogador não adianta. É só você ouvir um pouco a massa e colocar no seu maldito percentual mal calculado que diga ao Elias,Fabio Santos e Patrick que são as cabeças mais pedidas que você mudará seu modo de pensar.Não gosta de medalhões, para babar o maldito Elias e este tal de Fabio Santos.

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 09:28
    Permalink

    Continuo batendo na mesma tecla.

    O foco PRECISA ser em ganhar o brasileirão novamente. Não adianta ficar no desespero em disputar a Libertadores para dar vexame.

    O jejum tá batendo na porta. Time que tem Adilson, Elias, Patric e Fábio Santos não tem como disputar de frente numa competição igual a Libertadores e ainda me vem o Levir dizendo que não precisa de reforços.

    Resposta
    • 7 de março de 2019 em 20:53
      Permalink

      Diego, com esse time ridículo não ficamos nem entre os dez primeiros.

      Saudações Atleticanas!

      Resposta
  • 7 de março de 2019 em 09:29
    Permalink

    Como o estadual é enganoso,hein moça?! A trinca de volantes quando bem treinada é até legal,o problema é que a bola deles,dos volantes é curta, junta-se os laterais que não existem e o velocista para puxar as bolas rápidas “habla”, o resultado não poderia ser outro, entrou contando com a sorte e saiu puxando o burro. Quando o elenco é fraco, o mais fácil é culpar a arbitragem,desculpa antiga para esconder a incompetência. SAN

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 09:31
    Permalink

    Caros,
    Levir foi um erro crasso…sinto pelas viúvas. Ñ tem vontade, nem disposição, ñ enxerga…
    Levir, é certo, ñ terá outra chance de provar q é um treinador de 1ª. Por mais q ele se ache, e algumas das suas viúvas, o Comédia é um treinador meia boca. Procópio, Jair Pereira, Roth, Vantuir, Leão são do nível dele prá melhor… Levir se esforça prá ser medíocre e, em dias de Bozo, deita e rola, tem adeptos, eis o ponto. Com um time limitado, recusa cobrar da direção reforços alegando ser mais importante manter salários…q q o Burro tem com isso? É ele quem paga? É treinador, entregador de camisa ou imprezáriu? Ontem, pressionado por Abras, do únicos q perguntou por reforços, disse tá atento ao mercado. Na mesma balada tinha dito q ñ conhece o futebol dos adversário do grupo, apenas q são “difíceis”, “ñ tem ninguém bôbo”. Como pode alguém tá atento ao mercado e ñ conhecer os “bôbos” do grupo? Tá perdido e muito, muito pouco humilde, parece q ficou surpreso com a derrota, pois acreditava no empate…
    Era prá ser um dos dinossauros, sem dúvida. Há pouco tempo a maioria desses ultrapassados com trânsito na lavanderia tava dando sopa. O Galo nos trás justamente o mais limitado deles prá montar time (q é o precisamos), o mais conivente com medíocres. Mas ele é bom sujeito, bem humorado e nonsense…Tem até a cara do Galo, dizem os comediantes detratores.
    O TIME: nosso time ñ aguenta pressão, temos apenas o miolo da zaga, q é de responsa, Cazares, q é craque e se perde em meia a uma terrível mediocridade e NADA MAIS! Time fraco, treinador perdido!

    Obs.: 7, fi, mais uma vez pedimos, REFORÇA O PLANTEL! Cuidado com a panela dos Igrejeiros SEM VERGONHA. Derrubam presidentes, também!
    https://www.foxsports.com.br/blogs/view/114909-kalil-revela-que-luxemburgo-foi-derrubado-por-jogadores-do-atleticomg
    “Vanderlei foi traído e derrubado pelo elenco. Depois, chamei os jogadores e perguntei: ‘Agora vocês vão me derrubar?’. Aí eles levantaram e falaram olhando para mim: ‘Agora nós não vamos cair’. Não sabia que isso existia no futebol”, afirmou o dirigente.
    GALO SEMPRE!

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 09:37
    Permalink

    Bom dia aos amigos do blog.
    Entendo que o piadista escalou muito mal o time. Acho que ele quer fazer mais graça do que tudo. Porém o elenco do Galo é fraquíssimo! Olhem os titulares que começaram o jogo ontem, que não tem condições de jogar com a camisa do nosso time: Patrick, Fábio Santos, Elias, Adílson, Jair. São quase meio time! Aí, olha pro banco: Chará, Nathan e Vinícius. Na boa, todos fraquíssimos! O tal Nathan não resolveu nada até agora, e vai continuar não resolvendo. É limitado. O valor gasto nesse Chará é um absurdo! Digamos que o Guga estivesse jogado. É bem melhor que o Patrick, mas sozinho não vai resolver. Talvez o tal Bolt mereça ser titular, já que o Chará não faz nada em campo. Mas só isso? O elenco do Galo é muito ruim. Não tem um jogador que entre e chame a responsabilidade. A bola tava queimando nos pés dos jogadores. Infelizmente a diretoria preferiu não investir. Esse elenco não é qualificado nem pra ganhar o Mineiro. Então, é com esse show de horrores que teremos que torcer na Liberta. Galo, sempre!!!

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 10:52
    Permalink

    Foi,està sendo e vai continuar este festival de horrores.o principal culpado,levir,possivelmente nao vai cair e continua com sua birra com a torcida.o time alèm de mal escalado nao tem esquema nenhum.quase a totalidade da torcida jà temia por coisa ruim ao saber a escalaçao.eu nao tenho nenhuma esperança de titulos este ano se continuar com este tècnico.e como escrevi ontem,TROCA DE TÈCNICO QUE AINDA DÀ TEMPO DE SALVAR O ANO.

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 12:05
    Permalink

    Bom dia atleticanos e atleticanas, dentro do possível!
    Esperneamos, esbravejamos e gritamos a pleno pulmões por mudanças, mas elas não virão. A diretoria não quer o técnico não quer…! É visível a estratégia da diretoria sobre contratações, a conta gotas, tipo: se classificar pra a fase de grupos a gente vê…, se passar de fase a gente contrata… e por ai vai, enrolando o patrimônio maior que somos nós o torcedores. Tudo bem que dizem não ter grana, mas pelo menos não iluda o torcedor com papinho de sempre: estamos de olho no mercado, e contratando jogadores medíocres que não entregam mais dos que aqui já estão. Fiquei em cima do muro quando o Levir veio, pois a minha maior preocupação se materializou, resgatou o Patric como titular absoluto! Este imbecil deve ter participação no passe do Patric e do Elias, não tem outra explicação. Sem falar que o cara tá perdidaço, não diz coisa com coisa. Será que este cara fica a beira do campo imaginando o próximo livro e esquece do jogo? Porra que vá ser escritor e deixe o futebol!
    Falta-nos levar nossa indignação para o estádio, e exigir de diretoria e comissão técnica respeito ao torcedor, antes que o filme se repita novamente.

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 14:10
    Permalink

    Com certeza no próximo jogo pela Libertadores estarão em campo, Elias, Patric e Fabio Santos. Confesso que não acredito em outro resultado que não a derrota. Será que aí o burro vai acordar? Aí eu não tenho certeza!

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 20:19
    Permalink

    Olá, Jessica. Bons comentários. Apesar de concordar, acho que as coisas não são tão simples- Elias está mal, fora do time- porém imagino que o Atlético queira negociá-lo no meio do ano e tem que botar o cara para jogar. O time é limitado mesmo, 2 laterais já “velhos”, ultrapassados por qualquer pontinha mais veloz ou driblador; além disso, não conseguem criar jogadas de linha de fundo.Falta habilidade. Como se não bastasse , Fabio Santos é medroso- não disputa bolas divididas, podem reparar.Adilson é trombador, vive levando cartão,além de não enxergar jogadas em profundidade- nunca lança. Elias tem esse futebolzinho mesmo, nem cria nem defende bem.Como disseram ontem, parece que o time não treina jogadas onde alguns se oferecem como alternativa de passe para os outros. Temos que esperar que alguém enxergue essas coisas e mude o rumo, pois o barco já está começando a fazer água.

    Resposta
  • 7 de março de 2019 em 21:17
    Permalink

    Time FDP, técnico BURRO e diretoria OMISSA! Até quando vamos ter que aguentar esse tipo de coisa?

    Levir deve estar gagá. Pra ele o time tá melhor que o Barcelona , a culpa é sempre da arbitragem, Patric é craque e a torcida que não gosta de ver o time jogando bem… PQP!!!!! Na boa Levir, se não gosta de ser criticado, pede pra cagar e vá pra casa do capeta! Se quer morrer abraçado com Patric e Elias, ótimo. Mas antes pense nos milhões de apaixonados que são obrigados a assistir e apoiar esta merda desse time e que pagam o seu salário inclusive. Não dou um mês para o “fora Levir” começar. E o presidente 171 que não gosta de futebol deve estar achando tudo ótimo.

    Saudações a todos os Atleticanos e Atleticanas que como eu estão p da vida com esse time. Desculpem meu desabafo, mas eu cansei de ser desrespeitado!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *