Einsten já havia avisado!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Por: Matheus Wallace 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

Informação sobre Miguel Trauco: www.youtube.com/watch?v=iTnfbtF7HHA

 

Não fui eu, não foi você, muito menos o Sette Câmara, o Lásaro. Foi Albert Einstein, que disse, que o tempo é relativo. 4 meses e 24 dias. São 144 dias. É uma medida de tempo, e o tempo, é relativo. Depende do estado do observador.

Mas quanto vale o tempo para o Atleticano? Vale muito ou pouco? Depende do ponto de vista do observador! Contra o Tijuana, no Independência, ele valia pouco. Já contra o Newell’s e Olímpia, ele valia muito.

No atual momento, onde somos todos meros observadores, quanto vale o tempo? Estamos quase no meio da temporada e não temos um técnico definido, não temos um time completo, não temos reforços e, a muito pouco não teremos campeonato para disputar, além do Campeonato Brasileiro. Ninguém tem certeza de nada. Acredito que nem os próprios dirigentes do clube. Erros que se repetem anos após anos. Se o Galo fosse um País, eu chamaria de Brasil.

Demoramos mais de 100 anos para reconstruir o Galo. Foram milhares e milhares, gerações e gerações de pessoas, torcedores, que se dedicaram em pró desse clube e, quem está à frente precisou apenas de 5 para tentar acabar com ele de novo. É, o tempo é relativo!

Não fui eu, não foi você, muito menos o Sette Câmara, o Lásaro. Foi Clarice Lispector, que disse, que quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe. E nós não vamos deixar esse clube caminhar sozinho, independente de quem estiver à frente dele. Quando a gente partir dessa para uma melhor, a missão ficará para as nossas próximas gerações. Por que não fui eu, não foi você, muito menos o Sette Camâra, o Lásaro. Foi João pessoa, que disse que:

“Um Galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará sempre de outros Galos.
De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro; de um outro Galo
que apanhe o grito de um Galo antes
e o lance a outro; e de outros Galos
que com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de Galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os Galos.”

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

2 comentários em “Einsten já havia avisado!

  • 24 de maio de 2019 em 07:01
    Permalink

    Bom dia temos um único campeonato a ser disputado esse ano: o de não ser rebaixado. Não se pode esperar mais de um time que não tem diretoria, não tem treinador, não tem jogadores e só tem torcida.
    E o poema citado, Tecendo o amanhã, é do João Cabral de Melo Neto., eis a continuação:
    E se encorpando em tela, entre todos,
    se erguendo tenda, onde entrem todos,
    se entretendendo para todos, no toldo
    (a manhã) que plana livre de armação.
    A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
    que, tecido, se eleva por si: luz balão”.

    bom fim de semana a todos

    Resposta
  • 24 de maio de 2019 em 08:43
    Permalink

    Bom dia!

    Bela reflexão! Irônico se não fosse trágico a comparação: se o galo fosse um pais seria o Brasil. Dura realidade, somos a essência do existir do atlético, pelo menos na teoria, mas somos os únicos que menos tem importância no contexto, pelo menos é assim que se desenha o galo dos últimos anos. E no Brasil não é diferente, a população é o que menos importa. O discurso prega o bem do povo, mas a prática é totalmente inversa, e assim, vamos tentando acreditar que algo vai mudar e que seremos ouvidos…!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *