CPF na nota? Galo vence o rival!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Por Jéssica Silva

Envolvendo o adversário, o Galo venceu o rival pela 13ª rodada do Brasileirão, no Independência, e alcançou a marca de quatro jogos sem sofrer gols.

Imagem: Denis Dias / Gazeta

A lembrança do último jogo do Atlético contra o maior rival não era muito prazerosa. O Galo havia vencido por 2×0, mas o placar não foi o suficiente para nos classificar na Copa do Brasil e o triunfo teve um gosto amargo de derrota. Ontem, no entanto, a vitória pelo mesmo placar nos manteve na parte de cima da tabela e deixou o segundo time de Minas na zona de rebaixamento.

É comum que o time de Mano Menezes deixe os adversários com maior posse de bola e aposte em contra-ataques, mas ontem foi o dia em que o treinador retranqueiro provou do seu próprio veneno. Rodrigo Santana optou por deixar o rival com a bola na maior parte do tempo, a fim de fazê-lo sair para o jogo e proporcionar espaços para que o Galo pudesse chegar à sua área mais facilmente, o que funcionou exatamente como o esperado.

Ultimamente tem sido comum ver o Galo dominando as partidas, criando muitas oportunidades, mas não sendo muito objetivo. No clássico, quando decidiu não priorizar a posse de bola e sim a efetividade de suas ações, o Atlético fez com que o rival sofresse com lances de perigo.

À medida que ficava com a bola e ainda assim via o Galo ser mais efetivo, o rival se comportava como quem não sabia o que fazer. O jogo do 17° colocado do Brasileirão normalmente é o contrário do que foi ontem no Independência, e isso mostrou que os comandados de Mano Menezes não sabem lidar com partidas em que conseguem ficar com a redonda nos pés.

Vinícius, que vive grande fase e vem se aproveitando das suas chances como titular, brilhou novamente e orgulhou a Massa. O camisa 29 inaugurou o placar no Horto, aos 45 minutos do 1° tempo, após receber de Ricardo Oliveira (que não marca, mas serviu para dar assistência) e não foi só isso. Vina deu trabalho ao rival, distribuiu bem a bola, buscou por ela durante todo o jogo e foi o nome do time mais uma vez, fazendo com que a noite atleticana fosse embalada pelo “Vuc Vuc”.

Na etapa complementar, o adversário já estava no prejuízo e tentava converter sua posse de bola em boas oportunidades para chegar ao empate, mas como já era esperado, novamente não soube jogar comandando as ações do jogo e foi pouco efetivo. Foi o Galo quem marcou novamente, dessa vez com Nathan, que apostou em contra-ataque e marcou nos acréscimos do segundo tempo, liquidando a fatura.

É certo que o comportamento do Galo foi de pura inteligência, já que mudou seu estilo de jogo para envolver o adversário. Apesar de ter desperdiçado chances de matar o jogo o quanto antes, dar a bola a um time que sempre jogou se esquivando dela para priorizar sua defesa foi uma tacada de mestre. Rodrigo Santana se aproveitou da maior fraqueza de Mano Menezes, o que nos faz lamentar apenas o fato de isso não ter acontecido antes, pela Copa do Brasil.

Fica também a ressalva de que o placar poderia ser mais elástico e só não o foi por conta da arbitragem. É verdade que o goleiro Fábio fez boas defesas, uma delas em belo chute de Cazares, mas os pênaltis não dados ao Galo, mesmo após as análises do VAR – que em nada nos foram úteis – demonstraram que Vuaden não tinha a melhor das intenções. A cada dia fica mais difícil lidar com a despreparada arbitragem brasileira sem perder a paciência, já que a mesma faz mau uso de uma ferramenta que deveria impedir injustiças no futebol e se perde em lances simples.

Mesmo sem a sua maior referência no gol, a defesa atleticana vem funcionando bem, o que explica a marca de quatro jogos sem sofrer gols. Cleiton vem mostrando a cada partida que não é apenas um substituto para Victor, mas sim um arqueiro que merece a titularidade pelo bom trabalho feito e por estar mais preparado hoje em dia. Na melhor chance do adversário no jogo, fez grande defesa em chute de Henrique e impediu o que seria um gol certo do rival. Mesmo quando Victor estiver à disposição, o mais correto é que Rodrigo Santana mantenha o camisa 40 no time titular, por uma questão de justiça. A história do Santo ninguém apaga, mas futebol é momento e os medalhões devem entender isso sem questionar as escolhas do seu comandante.

O Atlético de Rodrigo Santana vem mostrando não priorizar apenas o resultado, mas também o desempenho. Em suas últimas partidas, faltou ao Galo uma maior objetividade quando estava com a bola, mas ontem, mesmo sem tê-la por muito tempo e jogando de uma maneira diferente, agiu de forma efetiva e alcançou a vitória. Isso demonstra evolução, que é exatamente o que precisamos agora para fazer a temporada 2019 valer a pena.

Se manter bem no Campeonato Brasileiro, afundar o rival na zona de rebaixamento e fazer com que o treinador adversário prove do seu próprio veneno não tem preço. O Galo contribuiu para que a crise que se instalou no Barro Preto aumentasse e poderia estar melhor colocado na tabela, caso não tivesse perdido alguns pontos bobos até aqui contra times como Fortaleza e Goiás.

Intensidade, disputa pela bola até o último momento, jogo inteligente e poucas falhas: foi assim que a equipe atleticana venceu mais uma no Brasileirão, manteve a freguesia do rival e mostrou que o clássico das Minas Gerais tem dono: o Galo!

Ficha técnica
Atlético-MG x Crüzeiro

Motivo: 13ª rodada do Brasileirão
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 4 de agosto de 2019 (domingo)
Horário: às 19h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa/GO) e Neuza Ines Back (Fifa/SP)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Gols: Vina – 45’/1ºT (1-0); Nathan – 46’/2ºT (2-0)

Cartão amarelo: Elias, Jair (Atlético-MG); Luis Orejuela, Thiago Neves, Fred (Crüzeiro)

Atlético-MG
Cleiton; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Jair, Elias, Vina (Nathan) e Juan Cazares (Geuvânio); Yimmi Chará e Ricardo Oliveira (Rafael Papagaio).
Técnico: Rodrigo Santana.

Crüzeiro
Fábio; Orejuela, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral (Robinho), Thiago Neves (David) e Marquinhos Gabriel; Pedro Rocha (Sassá) e Fred.
Técnico: Mano Menezes

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

12 comentários em “CPF na nota? Galo vence o rival!

  • 5 de agosto de 2019 em 07:21
    Permalink

    Bom dia Atleticanos, o resultado de ontem foi ótimo, pois serviu para manter o Atlético nas primeiras posições da tabela e principalmente para dar um cala boca nos torcedores do rival.
    A questão que o torcedor do Galo quer que seja resolvida é a regularidade de bons resultados, o que até aqui não aconteceu – o time vem alternado entre bons e maus resultados- comportamento típico de uma função senoidal.
    Torço para que enfim o time mantenha a pegada e consiga ter a regularidade de desempenho esperada para ter uma campanhha digna e apagar os insucesso das campanhas nos torneiros disputados desde 2017. Saudações Atleticanas

    Resposta
    • 5 de agosto de 2019 em 14:20
      Permalink

      Boa tarde amigos do Galo. Não faltou garra e nem vontade de vencer, por isto vencemos. Quero destacar o posicionamento do Vinicius que sente orgulho de estar no Galo e está honrando a camisa do CAM.

      Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 10:02
    Permalink

    Bom dia!!!
    Terremoto em BH!!😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂

    Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 10:06
    Permalink

    ÓTIMA VITÓRIA ONTEM , APESAR DE ESTARMOS JOGANDO COM DOIS A MENOS : R.OLIVEIRA E ELIAS.
    JAIR ESTÁ SAINDO EXAUSTO TODO JOGO , POIS TEM QUE CORRER SOZINHO PARA SUPRIR A INOPERÂNCIA DE ELIAS , QUE NADA FAZ EM CAMPO.
    CLEITON – MUITO BOM.
    PATRIC – SUPER ESFORÇADO.
    RÉVER – BOM.
    RABELO – MELHOROU . MUITO.
    F.SANTOS – REGULAR.
    JAIR – O MELHOR DO TIME.
    ELIAS – PÉSSIMO.
    VINÍCIUS – MELHOROU.
    CHARÁ – PRECISA MELHORAR MUITO.
    R.OLIVEIRA – PÉSSIMO.
    CAZARES – REGULAR.
    COMO SE VÊ OS NOSSOS PONTOS FRACOS SÃO R.OLIVEIRA E ELIAS , E A MANUTENÇÃO DESSES DOIS PODE NOS CUSTAR MUITO CARO.

    Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 11:38
    Permalink

    SAUDAÇÕES ALVINEGRAS.
    Futebol é momento, e o momento do Cleiton é infinitamente superior ao Victor. Que merece todo nosso respeito e reverência, mas nada dura para sempre e Cleiton é um dos responsáveis direto pelos 4 jogos sem sofrer gols, ou alguém acha que o Victor em sua atual elasticidade comprometida pegaria a bola do Henrique, todos sabemos que não , o santo não voa mais na bola daquele jeito tem tempos e bolas rasteiras as que vão entram. Cleiton tem o privilégio de trabalhar todo esse tempo com Victor e ter o santo no banco pode ajudar muito ainda. Mas Cleiton não pode mais sair do time.
    Bica bicudo.

    Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 13:14
    Permalink

    boa tarde massa. grande Vitória colocamos as caloteiras e freguesas no lugar delas. para melhorar falta tirar do time. Elias. pastor pipoqueiro e Fábio Santos. vai galooo.

    Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 13:25
    Permalink

    Tomara que esse time tenha tomado gosto pelas vitórias e principalmente não pipoque nas decisões principalmente na Sul Americana e traga esse título.
    Nas várias decisões desde 2017 esse time pipocou em todas, vem de duas vitórias nos clássicos mas perdeu justamente as duas que não podia perder.
    Por isso enquanto esse time não provar que deixou de ser pipoqueiro e levantar o caneco vou continuar torcendo mas com os dois pés no chão pois esses PIPOQUEIROS AINDA NÃO PROVARAM NADA.

    Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 15:20
    Permalink

    Esta historia de feguês, infelizmente, nao funcionou neste ano e no ano passado. Ganhou ontem, com certeza! Excelente resultado! Mas até hoje ainda não aceitei e digeri aquela pipocada monstra na copa do Brasil. Jogadores acomodados e preguiçosos. Não quero só comemorar eventuais vitórias em cima das maria e sim títulos. Ps: não sou maria. So acho que não temos muito o que comemorar. Meu sonho era ver uma tuitada desse projeto de presidente nos seguintes termos: “para o bem do Galo e da massa, eu renuncio”. Seria o maior reforço da temporada.

    Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 16:10
    Permalink

    Adauto = MARIA.

    Pare de reclamar e saiba valorizar o que está bom no momento. Deixe para cornetar no momento certo.

    Resposta
    • 5 de agosto de 2019 em 16:35
      Permalink

      Você é um iludidozinho
      Desses que passam pano nessa diretoria medíocre. Deve ser por isso que nem Mineiro o Galo ganha mais. A hora de cornetar é enquanto o Galo está vivo nas competições. Para de repente tebtsr abrir os olhos dos iludidos feito você. Depois não adianta chorar, jovem.

      Resposta

Deixe uma resposta para Ricardo Divinopolis Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *