Com gol no fim, Atlético empata com o Fluminense no Maracanã

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Jéssica Silva
Do Fala Galo, em Montes Claros
16/11/2019 23h55

Sendo dominado pelo Fluminense no primeiro tempo, o Galo viu o dono da casa sair na frente em uma lambança da defesa atleticana, protagonizada por Réver e Patric. Na etapa complementar o alvinegro se adiantou e Franco Di Santo marcou o gol que amenizou o resultado ruim, mas não a partida feia que fez o Atlético.

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Com a volta do volante Jair e as presenças de Marquinhos e Bruninho desde o início do jogo, a escalação mudou em relação a dos últimos jogos. Mesmo assim, o Galo cometeu muitos erros de passe, optou por não adiantar sua marcação, o que deu uma maior liberdade ao Fluminense, e pouco conseguia ficar com a bola.

O Fluminense vive um momento pra lá de ruim e é uma das equipes que luta contra o rebaixamento. É importante considerar que a fase atleticana também não é das melhores, mas se deixar dominar por um adversário como o tricolor carioca não deixa de ser vergonhoso. A superioridade técnica do adversário foi percebida durante toda a primeira etapa, e isso não porque a equipe do treinador Marcão é qualificada, mas porque o Galo não fez questão de entrar em campo como quem busca um resultado positivo.

Aos 15 minutos, em falha amadora da defesa atleticana, o Fluminense chegou ao gol. Em um corte mal feito por Réver, que não tem licença alguma para errar assim, apesar de sua história, a bola sobrou para González finalizar. O rebote parou em Patric, que parece ter esquecido por um momento que time defendia, e o lateral mandou a bola para o fundo das redes de Cleiton, fazendo a alegria dos tricolores. O gol do adversário não poderia ter sido diferente; a incompetência atleticana foi esfregada na cara do torcedor, já que o time de Vagner Mancini fez o gol que o próprio Fluminense talvez não fosse capaz de fazer. O time da casa se viu satisfeito com o placar simples e apenas administrou o resultado contra um inofensivo Atlético no restante do primeiro tempo.

Na etapa complementar a falta de qualidade de ambas as equipes se fez presente no Maracanã. Vagner Mancini tentou dar um maior ânimo ao time atleticano com as entradas de Cazares e Geuvânio, mas só no final é que o Galo realmente entrou no jogo de maneira efetiva. Pressionando o Fluminense, o Atlético chegou ao empate com Di Santo. Em boa jogada de Cazares para Marquinhos, a bola foi parar nos pés do camisa 26 alvinegro e ele finalizou para amenizar a tristeza da noite dos atleticanos. Marquinhos ainda chegou bem perto de virar o placar, mas sem sucesso.

Nenhum erro da arbitragem justifica a partida abaixo da média que fez o Atlético, principalmente no primeiro tempo. No entanto, quando há o recurso do VAR disponível para ser utilizado, por que não checar lances que poderiam acabar influenciando o resultado da partida? O incômodo é maior quando os lances ignorados são sempre a favor do Atlético, o que nos faz pensar que a arbitragem brasileira conseguiu estragar até mesmo uma ferramenta que foi feita para fazer do futebol um esporte mais justo. Mão na bola, bola na mão: se isso acontece em uma jogada que poderia favorecer o Galo, o senhor com o apito na boca deixa de lado toda a preciosidade ao analisar o lance.

É verdade que a postura atleticana mundo no segundo tempo, o que nos garantiu o empate. Mesmo assim, as atenções devem se voltar ao desempenho fraco do Galo na primeira etapa. Por que deixar para jogar bola, de fato, somente quando o pior já aconteceu? O adversário era o Fluminense, um pouquinho mais de empenho e respeito pelo trabalho teria feito com que os atletas do Atlético chegassem a uma boa vitória, sem sufoco. O jogo do Maracanã ilustra bem a temporada deplorável que fez o Galo, deixando tudo para um último momento, quando não há tempo para mais nada.

Como saldo positivo – se é que podemos chamar assim – fica o fato de o Galo não perder há quatro jogos. Porém, o desempenho muito abaixo do esperado, principalmente contra equipes limitadas tecnicamente, segue sendo o grande motivo de preocupação, não só para o fim desta temporada, mas para o que nos espera mais a frente.

 

FLUMINENSE 1 X 1 ATLÉTICO

Fluminense
Marcos Felipe; Gilberto, Nino, Digão e Orinho (Igor Julião, aos 24/1°T); Yuri, Allan, Daniel e Ganso (Dodi, aos 33/2°T); Yony González (Wellington Nem, aos 31/2°T) e Marcos Paulo
Técnico: Marcão

Atlético
Cleiton; Patric (Geuvânio, aos 22/2°T), Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Zé Welison e Jair (Vinícius, aos 31/2°T); Luan, Bruninho (Cazares, aos 15/2°T) e Marquinhos; Franco Di Santo
Técnico: Vagner Mancini

Gols: Patric (contra), aos 15/1°T; Franco Di Santo, aos 43/2°T
Cartões amarelos: Réver, aos 28/1°T; Marcos Felipe, aos 3/2°T; Jair, aos 23/2°T; Igor Rabello, aos 23/2°T; Digão, aos 23/2°T

Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: estádio Maracanã, no Rio de Janeiro
Data e horário: sábado, 16 de novembro, às 19h

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

 

GOSTOU? Siga nossas redes sociais. Clique nos links abaixo e fique por dentro dos bastidores do Atlético.

Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
YouTube: youtube.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Site: falagalo.com.br
Edição: Jéssica Silva
Edição de imagem: André Cantini 
Edição de texto: Angel Baldo

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

7 comentários em “Com gol no fim, Atlético empata com o Fluminense no Maracanã

  • 17 de novembro de 2019 em 12:12
    Permalink

    bom dia massa. 1 ponto já foi milagre. no primeiro tempo fomos engolidos pelo flu.patrick como sempre entregando. falta 5 pontos para estes peladeiros nos tirar da degola. o problema é chegar os 5 pontos. e está zaga furada mais uma vez entregou o jogo. até hoje não acredito que pagou milhões para o Igor rabelo fraco e mediano. chega.

    Resposta
  • 17 de novembro de 2019 em 15:11
    Permalink

    De novo tenho que falar do péssimo Zé Wellison… Ele não participa das jogadas ofensivas, erra passe de 3 metros, não desarma… Fica difícil ter volume de jogo com um cabeça de área dos anos 30… Se a base não tiver ninguém melhor, pode fechar as portas. Acho que não caímos mais, mas, analisando o time, a diretoria fez tudo por merecer a segunda divisão.

    Resposta
    • 17 de novembro de 2019 em 20:15
      Permalink

      Concordo c vc André, esse Zé Wellinson é muito ruim…..o time fica sem saida de bola, pode observar q o time adversário sempre deixa ele sem marcação, pq sabem q ele vai entregar…Meu Deus!!! SAN

      Resposta
  • 17 de novembro de 2019 em 17:47
    Permalink

    Concordo com o André, este Igor Rabelo Não vale o que foi pago por ele. O ano já está perdido há tempos. Técnico fraco, sem condições de levar o galo a algum lugar. O galo não cai porque tem time mais incompetente abaixo.

    Resposta
  • 18 de novembro de 2019 em 10:09
    Permalink

    Bom dia massa…. A culpa é desse ou daquele (s) jogadore(s)…. Não É!!!!! O jogo contra o fluminense foi horrível…. time apático, jogando na retranca (primeiro tempo), com medo de ganhar de um time que quase caindo para a segundona…. O técnico tem este medíocre elenco atual como peças para os jogos. Culpa é da DIRETORIA que, quando teve oportunidade de vender/emprestar Patrick e Ricardo Oliveira para o São Paulo, omitiu-se!!! Culpa da DIRETORIA em trazer jogadores com altos salários e nem sequer estão jogando ou tem competência para jogar no CAM. Culpa da DIRETORIA em não punir quem chega atrasado por causa da farra e não tem peito de tirar o cara e botar treinar com o time reserva…. DIRETORIA não tem moral …. Rumo aos 45 pontos…

    Resposta
  • 18 de novembro de 2019 em 10:31
    Permalink

    Um time titular com Patric, Fábio santos e Zé welison conseguir somar pontos já é algo incrível!!!

    Resposta
  • 18 de novembro de 2019 em 14:09
    Permalink

    O TIME TODO É MUITO RUIM.
    HORROROSO , VERDADEIROS CHUTADORES DE TIJOLO.
    UM BANDO DE PERNAS DE PAU.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *