Carpe Diem!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Por: Silas Gouveia 

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

A vida é cheia de momentos. Instantes que passam e nos ajudam a crescer, ser felizes, nos entristecer, nos apaixonar e, por vezes, nos deixar irados. Mas todos são momentos e a cada um, devemos dar-lhe a devida importância e valor. Não mais, não menos. O justo! O suficiente!

Somos uma torcida apaixonada, uma nação que já foi reverenciada até mesmo por jogadores de times rivais e por muitos cronistas esportivos. Somos das poucas torcidas que têm um nome, a MASSA! Temos nossa camisa de torcedor, eternizada pelo clube, a de número 12 e nenhum jogador pode vesti-la, pois ela está encorpada pelo eterno espírito da MASSA.

Por vezes, em nossa vida, os momentos ruins nos deixam enxergar apenas o lado negativo das coisas, por mais que a vida nos ensine que tudo nela é passageiro, é fugaz. O que nos fere, o que nos causa dor, tem sempre um local de destaque em nossa memória, em nosso sentimento. Supervalorizamos uma dor, um machucado, uma perda. Pouco comemoramos um abraço, uma ajuda, um sucesso alcançado, as vitórias mínimas que conseguimos, uma amizade espontânea. É da natureza humana!

Pois bem! Com o Galo parece que vivemos uma extensão de nosso cotidiano. Enxergamos e sabemos muito bem, os percalços e as falhas de nosso time, os erros na condução de nosso clube, as derrotas em todos os sentidos, dentro e fora de campo. Mas estamos ficando muito tempo no limite das lamúrias, das lamentações, das críticas e da supervalorização do fracasso. Estamos olhando cada vez mais para o chão e menos para o alto. Por mais acertos que se possam ter, sempre temos um pingo de cobrança por algo melhor. “O time jogou bem, MAS ainda faltam algumas peças para poder chegar e vestir a camisa de titular”.  “O técnico montou bem o time, MAS continua errando nas estratégias e nas substituições”. “A diretoria está conseguindo pagar as dívidas acumuladas, MAS se não gastar em novas contratações, não vamos a lugar algum”. O contraponto e os PORÉNS aos diversos sucessos, está ficando cada vez mais frequente entre nós, torcedores. E na maioria das vezes, nem nos damos conta disto.

Eu proponho uma pausa. Uma trégua! Que tal valorizarmos cada coisa com seu devido valor? Não mais, não menos. O justo! Que tal nos esforçarmos para, além de criticarmos ou xingarmos, também elogiarmos, parabenizarmos a quem tenha feito por merecer. Sem os contrapontos, sem as comparações, sem as condicionantes. E se, talvez ainda necessitemos de tudo isto, que elas sejam para o lado positivo, que levante o moral, que invoque o orgulho de ser Atleticano, de vestir esta camisa. Permita-se mudar. Permita-se viver o novo, ou de novo. Se sempre foi um crítico, sempre enxergou as coisas pelo que elas podiam ser, permita-se mudar de opinião e passar a enxergar o lado positivo de tudo. Acredite, ele existe mesmo. E se sempre foi um apaixonado, um positivista inveterado, mas que esteve perdido no mundo das críticas por um tempo, permita-se voltar ao que era. Qualquer que seja você, permita-se ser apenas um torcedor.

Pois o time tem mostrado evolução. Não enxerga quem não quer. Alguns jogadores têm mostrado mais que futebol, têm demonstrado a tão cobrada e exigida raça. O técnico tem feito um excelente trabalho, independentemente de ser ainda jovem e, por vezes, cometer alguns erros. Faz parte de um crescimento. Aprendemos muito mais nas derrotas do que nas vitórias e isto irá nos fazer mais fortes. Mas temos de jogar juntos! Time, direção e torcida, precisam estar em sintonia, caminhar no mesmo sentido. Afinal, somos reconhecidos talvez mundialmente, pelo nosso mantra do “Eu Acredito!”

Vamos deixar as desculpas e as justificativas de lado. Vamos resgatar o espírito de sermos Atleticanos. Vamos apoiar, torcer, vibrar e cantar a plenos pulmões, nossa alegria de sermos simplesmente, atleticanos. Porque sempre foi assim e sempre será! E é isto que nos diferencia das demais torcidas.

O time está bom. O treinador tem feito um excelente trabalho. A diretoria tem se esforçado em acertar. Não importa o “MAS”. Não busquemos as muletas da covardia. Sejamos aqueles que ajudam a camisa número 12 a ser de fato o décimo segundo jogador. Vamos voltar a lotar os estádios, não importando qual seja ele, até que tenhamos nossa própria casa. Vamos levar este time nos ombros, não nos importando com os “MAS” sobre o Cazares, Patric, Elias e tampouco o Pastor. O que importa é o conjunto. E nós fazemos parte deste conjunto.

Carpe diem, quam minimum credula postero.” Aproveite o momento e preocupe-se o mínimo com o futuro!

Vamos Galo! Estaremos sempre juntos!

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Youtube: youtube.com.br/falagalo13

 

Revisado por: Betinho Marques

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

7 comentários em “Carpe Diem!

  • 12 de junho de 2019 em 08:43
    Permalink

    “Carpe diem, quam minimum, credula postero” (Horácio Flaco – “Odes”, uma das mais importantes obras da literatura universal)

    Resposta
  • 12 de junho de 2019 em 09:57
    Permalink

    Bom Dia.E por causa de certos jogadores que o conjunto nao funciona bem como deveria.nao podemos defender o pastor,fabio santos e elias quando sao exatamente eles que comprometem.a tal evolucao poderia ser muito melhor se estas pecas,que ha muito tempo vem atuando mal,dessem mais um pouco de raca.como defender um centroavante,de 40 anos,ganhando 500 paus por mes e que esta ha 9 jogos sem marcar um golzinho.o Alerrandro merece uma chance.so nao ve quem nao quer.

    Resposta
  • 12 de junho de 2019 em 09:59
    Permalink

    Quando que as MARIAS, vão entender que os seus títulos, legítimos ou não, só tem valor pra elas? E, ou vale menos do quê um centavo pra Massa?
    Quando entenderão que a paixão pelo Galo, transcende até a razão do Atleticano?
    Quando conseguirão se livrarem da síndrome de Estocolmo?
    Quando conseguirá viver sem pensar no Galão da Massa?
    Quando aceitarão que o nome de Minas, está na essência do Atleticano e não somente no escudo?
    Quando e como saberá que sem sofrimento o mérito é quase nulo?
    Quando,quando, quando….

    Resposta
  • 12 de junho de 2019 em 10:00
    Permalink

    Bom dia Silas e Atleticanos! O problema das criticas que venho acompanhado e fazendo ao time advém de sua postura descompromissada e às vezes sem empenho para com a busca de vitorias. O Atlético não é um clube onde se pode aceitar jogadores temendo adversários ou jogando sem vontade de vencer. Estes são os grandes problemas da atualidade do time. Veja o que aconteceu nos jogos contra o limitado Cerro Porteno, contra Grêmio e palmeiras; o time jogou sem vontade de vencer; jogou de forma covarde e acabou colhendo derrotas vergonhosas e um desempenho pífio.
    O exemplo gritante foi contra o Santos: quando o time jogou com vontade de vencer – venceu; mas na outra partida, a apatia e falta de vontade marcaram mais uma derrota para um time que não é melhor que o Atlético.
    Portanto as críticas não são por derrotas, mas sobre como elas aconteceram e pela postura nada positiva do time em campo.
    Quanto à gestão 7C prefiro nem comentar, os resultados que conhecermos dizem por si. Abraços

    Resposta
  • 12 de junho de 2019 em 11:15
    Permalink

    SAUDAÇÕES ALVINEGRAS. Que belo texto, a tempos não me arrepiava com alguma leitura sobre o Galão da Massa e hoje me emocionei novamente. O ser humano está caminhando para um pessimismo cada vez maior, as críticas são sempre acentuadas e cruéis sem se importar se vão machucar ou não outro ser humano. Estamos na era virtual, onde todos são os melhores no que fazem e nunca nunca erram, ou seja, estamos vivendo um mundo de pessoas perfeitas onde a imperfeição reina. Por isso eu tento sempre ver o copo meio cheio e confio muito que nosso Galão da Massa ainda nos dará um titulo esse ano. Eu acredito sempre, pois eu Torço contra o vento minha vida toda.
    Bica Bicudo. Aqui é Galo

    Resposta
  • 12 de junho de 2019 em 16:15
    Permalink

    Boa tarde!
    Prefiro a realidade à utopia! Gato escaldado tem medo de agua fria. Não começou ontem e nem termina amanhã. As cobranças e o pessimismo são fruto de temporadas medíocres deste 2017. Contesto sua fala, porque sei que não existe sequer um único atleticano que não cobre apenas postura dentro de campo, pois a vitória quase sempre é fruto da atitude. O atleticano cobra e reclama, não porque é de sua natureza ser pessimista, mas porque o que está sendo entregue não corresponde ao tamanho de nossa paixão. Quer aplausos, me emocione…!

    Resposta
    • 13 de junho de 2019 em 10:16
      Permalink

      Sempre vou amar o meu Galo e não preciso de espetáculo para que eu o aplauda. Essa é a grande diferença de um atleticano raiz que tem o amor ao Galo acima de tudo, vc se mostra um torcedor exigente que se não der show e ganhar tudo sempre não tem seu apoio, ou seja, só apoia na boa, e isso condiz mais com o lado fresco da lagoa, aqui é galo aqui é amor, forjado na dor e na alegria, e pelo meu amor o galo sempre terá meus aplausos. Pena de quem necessita dos seus aplausos, pois não faço questão nenhuma deles. Galo é amor. Aprenda isso. Torcedor modinha é do outro lado.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *