Com a falta de gols da dupla Di Santo e Ricardo Oliveira, Felipe Felício, jovem promessa, segue aguardando uma oportunidade no ataque alvinegro - FalaGalo

Com a falta de gols da dupla Di Santo e Ricardo Oliveira, Felipe Felício, jovem promessa, segue aguardando uma oportunidade no ataque alvinegro

 

Ángel Baldo
22/02/2020 – 18h16
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

Os centroavantes do Atlético vêm passando por uma crise de gols sem fim. Ricardo Oliveira e Franco Di Santo atravessam momentos tenebrosos com o manto alvinegro. Nos últimos 25 jogos de cada, foram apenas 5 gols marcados, 4 do argentino Franco Di Santo e 1 do experiente Ricardo Oliveira.

Dudamel chegou ao Atlético com a missão de potencializar a utilização da base, porém pela necessidade de resultados rápidos, uma vez que logo em fevereiro o clube teria duas decisões, as oportunidades foram discretas. Apenas o volante Adriano Júnior, que atuou em duas partidas e o atacante Bruno Silva, que também atuou em duas partidas, tiveram oportunidades. Claro, isso sem contar o goleiro Michael, que já estava no elenco profissional e hoje é titular absoluto.

Bruno Silva, inclusive se lesionou em um momento “errado”, não que exista um momento para isso, mas era o “seu” momento e o jovem de 19 anos poderia facilmente ser esse “homem-gol” de mobilidade que Dudamel tem em mente. Após marcar um lindo gol contra o Tupynambás, o atleta sentiu uma fisgada no posterior da coxa e segue em tratamento, mas sem um prazo para retornar.

Diego Tardelli foi contratado na última semana e deverá assumir esse papel de “homem-gol” móvel (é importante lembrar que no Grêmio, Tardelli não quis atuar na função). Porém, fisicamente o ídolo alvinegro está bem abaixo dos demais companheiros e não é uma opção disponível no momento.

 

DIAMANTE ESPERANDO UMA CHANCE

Enquanto Di Santo e Ricardo Oliveira vivem um jejum interminável de gols e Bruno Silva segue lesionado, o jovem Felipe Felício, de 17 anos, segue treinando e vivendo a expectativa de receber uma única oportunidade. Goleador na base, Felipe é um centroavante moderno, que sabe fazer bem o pivô, tem habilidade e mobilidade para fugir da marcação. Felipão vem sendo relacionado para os jogos, mas mesmo com a crise ofensiva, segue sem receber oportunidades.

 

5 comentários em “Com a falta de gols da dupla Di Santo e Ricardo Oliveira, Felipe Felício, jovem promessa, segue aguardando uma oportunidade no ataque alvinegro

  • 23 de fevereiro de 2020 em 07:05
    Permalink

    No galo é assim mesmo, os valores da base só são utilizados na tal preservação de jogadores e mesmo assim não têm direito a errar, um jogo apenas e só. São sacados do time e os improdutivos continuam com chances e mais chances. Não é só o Felipe e Guilherme Castilho, Alerrandro Vinícius, Neto, Calebe, Zagueiro Leonardo. Quando terão as mesmas oportunidades? Nem quando estes treinadores do sub 20 assumem o time isto acontece.

    Resposta
  • 23 de fevereiro de 2020 em 10:18
    Permalink

    No Galo a impressão que se tem,é que empresários e a imprensa paga ditam a regra do jogo.Jogador da base só entra em fogueira para ser vaiado por uma sofrida torcida que já não suporta mais tantos vexames.Está história se repete a anos e não acontece não um fato novo para mudar este estado de coisas.As pessoas que comandam são do mesmo grupo.

    Resposta
  • 23 de fevereiro de 2020 em 11:53
    Permalink

    ENTÂO ESTÀ CLARO QUE SÂO OS EMPRESÀRIOS QUE ESCALAM O TIME!NESTA SUA LISTA ACIMA,VI O NETO E ACHO QUE JOGA MAIS QUE ESSES VOLANTES JUNTOS.E NÂO CONSIGO ENTENDER COMO FICA O PASTOR DE 40 ANOS E OS MENINOS DA BASE NEM JOGAM.DÀ REVOLTA!

    Resposta
  • Pingback:Após maratona de jogos, Atlético inicia preparação para o confronto contra o Afogados - FalaGalo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *