Atlético pode trocar fornecedor de material esportivo.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Atlético pode trocar fornecedor de material esportivo.

A temporada já começou, o patrocínio Master foi trocado e outra substituição pode acontecer para até o início do Brasileirão 2019. Adiantado o assunto na Live do Fala Galo de ontem, 21/02/19, se trata de um novo fornecedor de material esportivo.

O Atlético vem enfrentando problemas com a Topper que tem contrato até o final de 2020, e esses transtornos têm deixado a diretoria atleticana incomodada.

O descaso da fornecedora é grande, começando ali no início do ano, na apresentação de reforços com adesivos mal colados tampando o patrocínio antigo.
Essas imagens correram o continente, inclusive no site da Conmebol que destacou o retorno do capitão da conquista da Taça Libertadores em 2013, Réver.

A gota d’água final parece ter acontecido no Uruguai. A Conmebol escolheu o terceiro Uniforme (Black) para o jogo, porém com irregularidades, não pode ser utilizado.

Nas redes sociais, o torcedor sonha em ver Nike ou Adidas no Galo, porém o desinteresse é enorme, em todas as propostas feitas pelas duas, não forneceriam materiais para as categorias de base.

A reportagem do Fala Galo apurou ainda ontem que a possibilidade de ter um fornecedor inédito é muito provável neste momento.
Reportado também pelo ge.com, a Francesa Le Coq (O Galo – em francês) é uma das empresas que estão de olho no Atlético, a outra poderá ser a Italiana Kappa.
Nos próximos dias, a marca Italiana poderá fazer contato com o Atlético para iniciarem conversas.
Já a Le Coq, que tem seu o símbolo e nome representado por um Galo quer voltar ao mercado Sul-americano e um time tradicional que disputa a Copa Libertadores seria uma boa porta de entrada.

Por: Ángel Baldo, Lucas Tanaka e Betinho Marques

15 comentários em “Atlético pode trocar fornecedor de material esportivo.

  • 22 de fevereiro de 2019 em 08:48
    Permalink

    Todo ano a mesma ladainha problema com a fornecedora de material esportivo que nunca dão conta de entregar conforme a demanda.
    O Atlético é gigante e a torcida apaixonada e compra muito os produtos do time.
    Ou seja para solucionar esse problema somente Adidas ou Nike que “ainda” não entenderam o tamanho do Atlético porque estão vendo de fora.
    Fazendo um contrato com a Nike ou Adidas talvez em um primeiro momento nãos seja tão vantajoso financeiramente mas com certeza resolveria o problema de entrega e essas empresas passariam a conhecer o GIGANTE CLUBE ATLÉTICO MINEIRO.
    Essas empresas conhecendo o Galo e a sua torcida com certeza vão nos propor contratos melhores e resolver esse problema de vez.
    Fechar com a Kappa ou a Le coq pode até piorar pois são empresas fracas no Brasil.

    Resposta
    • 22 de fevereiro de 2019 em 11:32
      Permalink

      Mas o problema é que não dá pra deixar a base sem material pra “mostrar valor”. E tem mais, se você for gerente em uma empresa média, aceitaria voltar a ser estagiário em uma multinacional esperando eles verem o seu valor?

      Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 09:39
    Permalink

    Bom dia Betinho & Cia e amigos do Galo. Lembro que em 2016 tivemos problema parecido com a empresa canadense DryWorld, na época falou-se em processo e possível acionamento judicial por parte do NOSSO GALO pedindo indenização. Agora, apenas dois anos depois deste ocorrido parece que o CAM volta a passar por situação parecida com a de 2016. Estes contratos não preveem multas? Como ficou a situação Galo/Dryword ?

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 09:42
    Permalink

    Bom dia! Se a Topper, que é uma empresa forte no mercado nacional, passa dificuldade em fornecer e entrar com o material esportivo do Galo nas lojas para atender a grande demanda, imagina essas duas empresas, que quase não tem representatividade, não só no Brasil, mas em toda América Latina! Tomara que passem longe da Cidade do Galo, senão vai ser outra Dryworld da vida…
    Que a diretoria pense a médio/longo prazo, pois Adidas, Nike, New Balance, Puma, são muito superiores e com boa entrada no mercado nacional. Abraço!

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 10:17
    Permalink

    A Le Coq seria muito bacana, até pelo seu símbolo que é um galo, além de ser uma marca muito tradicional e diferente, algo mais exclusivo. A Le Coq já está no mercado sul americano, ela patrocina o Gimnasia y Esgrima da Argentina. Meu sonho seria a Adidas, poderiam tentar um modelo de contrato onde o clube assinaria por um pouco menos, mas com um percentual maior na venda dos materiais, tenho convicção que uma marca como a Adidas aumentaria significativamente a venda de materiais.

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 10:30
    Permalink

    Que tal imaginar-se uma forma de o Galo produzir e distribuir seu próprio material? Há muitas e muitas malharias que topariam a parceria…

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 10:40
    Permalink

    Bom dia,

    Material esportivo faz parte da imagem do clube, não podem nunca desvincular o mesmo da sua imagem.
    Vimos no mercado equipes de menor expressão utilizando as marcas Adidas e Nice, talvez devido a se sujeitar as regras impostas por estas marcas.
    Possuo uma coleção de camisas do Galo, e a qualidade entre as empresas é realmente grande, deixado de lado a tecnologia ou mesmo a evolução dos tecidos.
    Para mim a mais linda é exatamente a da marca Lupo, que ninguém sabia se conseguiria atender bem o galo e o fez com competência em todos os aspectos e também deu muita sorte para o nosso galo.
    O pior é ver jogadores como Patric, Fábio Santos e Elias vestir qualquer que seja a nossa camisa.
    Geralmente o nosso uniforme é lançado em março, então, aguardamos os próximos dias para vermos as novidades, certamente sendo qual for eu irei comprar. Aqui é sempre galo!

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 11:27
    Permalink

    Mas o CAM não estava pensando em investir numa marca própria? Agora! Pensando pelo lado “””consumidor””” de produtos oficiais, um galo vestindo o Galo,seria surreal e um acerto monstro desta gestão! Pena q ficaremos apenas na casa dos sonhos e como sonhar não custa nada, prá cima deles Galo!!!! SAN

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 12:31
    Permalink

    CAZARES É CRAQUE.
    O PIOR É VER ELIAS PASSEANDO EM CAMPO , APONTANDO O BRAÇO PRÁ LÁ E PRÁ CÁ , ATRAPALHANDO O TIME E NINGUÉM FALA NADA.
    AQUI É GALO.

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 13:55
    Permalink

    O problema é que empresas como Nike e Adidas só visam o merchandising de suas marcas. Pagam uma merreca para os times brasileiros que querem estampar essas marcas. As outras mesmo piores em termos de qualidade pagam mais. A maioria dos Clubes quando escolhem uma determinada marca falam em parceria, investimentos e nada disso é a pura verdade. O GALO quando teve a LUPO uma das maiores marcas em termos de qualidade de seus produtos foi detonada e a empresa cumpriu o acordado mesmo sendo sua primeira experiência. Além da Lupo cito a Diadora, Penalty e Umbro como boas fornecedoras e bons produtos. Agora é torcer para ser uma escolha boa, infelizmente as empresas brasileiras estão também ruim das pernas com essa crise econômica por qual atravessa o Brasil.

    Resposta
    • 22 de fevereiro de 2019 em 17:37
      Permalink

      “O GALO quando teve a LUPO uma das maiores marcas em termos de qualidade de seus produtos”

      Onde você viu isso? A Lupo mal conseguiu atender a demanda do Galo. Não teve absolutamente nada além do uniforme de jogo. A Lupo já chegou a ficar sem fornecer número para suas camisas. A Lupo tinha que dar é dinheiro o resto da vida para o Galo por ter sido a fornecedora no título da Libertadores.

      A marca que mais valorizou o clube foi a Puma. Nunca faltou nada e sempre criou camisas e produtos diferentes além das camisas de jogo.

      Umbro e Penalty tiveram as camisas mais bonitas, mas nada além disso.

      Resposta
      • 22 de fevereiro de 2019 em 21:57
        Permalink

        falou tudo. Puma so faltou a regara. o resto foi completo.

        Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 17:33
    Permalink

    Todo ano é a mesma coisa. Vi uma matéria no “Mantos do Futebol” que o Galo foi o clube que mais trocou de fornecedora.

    Isso prova mais ainda o quanto a incompetência reina dentro do clube. Os dirigentes ficam leiloando a instituição para qualquer um. Por isso tantos patrocínios, tantos fornecedores. Isso pra mim é o cúmulo do amadorismo.

    E me dá uma preguiça danada ver torcedor pedindo Nike e Adidas. As duas fornecedoras estão horríveis. A Adidas não fornece material direito para o Figueirense, Ponte Preta e Sport e tenho certeza que ela não faria diferente aqui. A Nike vai querer colorir a camisa do Galo igual ela faz com os times europeus, além de ficar reaproveitando resto de pano e templates antigos.

    Resposta
    • 22 de fevereiro de 2019 em 19:24
      Permalink

      Tudo que e dito aqui voce e do contra. Se quer ser oposicao va la pra sede e tenta tirar o 7C. A opiniao e minha se nao esta satisfeito, oh dia, oh tarde, oh noite.

      Resposta
  • 22 de fevereiro de 2019 em 21:20
    Permalink

    ESTOU PREOCUPADO È COM O FUTEBOL.QUALQUER QUE SEJA O FORNECEDOR,TEM O ESCUDO DO GALO.O DURO È SABER QUE O LUCRO SERVIRÀ PARA PAGAR OS SALÀRIOS DO PATRICK,ELIAS E FÀBIO SANTOS.E O ROGER GUEDES ESTÀ INDO PARA O SAO PAULO.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *