Uma vitória e vários pontos a serem observados

Foto: Flickr oficial Atlético 

 

 

 

Carol Castilho
31/07/2020 – 06:00
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Clique e siga nosso Facebook

Vitória: Ok!

Classificação: Ok!

Freguês desclassificado: Ok!

Mesmo sem sua torcida presente fisicamente, o Atlético fez festa no Gigante da Pampulha. A equipe de Sampaoli goleou a Patrocinense e garantiu a noite da torcida atleticana.

Vamos saber o que as mulheres do Galo têm a dizer sobre a classificação do alvinegro. Hoje nossa coluna conta com as participações das torcedoras Aline Cristina, Angélica Sheila e Regiane Santos. Vem com a gente em mais uma edição da ARQUIBANCADA FEMININA.

 

Disputa entre interior e capital

A torcedora Angélica Sheila analisa o 1° tempo do Galo: “Avassalador seria a palavra para definir, muitos gols feitos e perdidos também. O Atlético dominou a partida e não deu chance para o adversário, claro que temos que fazer uma análise mais fria, porém, apesar dos gols perdidos, que é uma sina, o placar foi totalmente satisfatório”.

MELHORES E PIORES EM CAMPO: “Vou falar de coletividade, sem citar nomes, funcionou bem, sem destaque para o pior ou o melhor”.

A torcedora Regiane Santos analisa o 2° tempo do Galo: “Na segunda etapa o Galo atacava bastante e pressionava o time da Patrocinense com boas chegadas de Nathan e Marrony. Foram muitas chances desperdiçadas, até que aos 17 minutos da segunda etapa, com uma entrada forte pra cima do adversário, Alan Franco, que entrou no segundo tempo no lugar de Hyoran, recebeu vermelho direto, obrigando o técnico Jorge Sampaoli a administrar a partida. Mesmo com um a menos, o Atlético não abdicou da bola. Porém, a intensidade caiu, muito em função do desgaste físico dos jogadores, que ficaram mais de quatro meses sem disputar partidas oficiais”.

MELHORES EM CAMPO: “Nathan e Marrony buscando o gol durante todo tempo”.

PIORES EM CAMPO: “Pior em campo fica por conta da expulsão o Alan Franco, que se é em outra situação ou outro adversário poderia ter complicado a vida do Galo no jogo”.

A torcedora ainda analisou as atuações dos questionados HYORAN e NATHAN:

Hyoran: “Todos que acompanham os treinos do Atlético na Cidade do Galo afirmam que ele está treinando muito bem. Talvez venha daí essa titularidade aparentemente incontestável.  Porém, creio que se ele continuar apresentando o futebol demonstrado até agora, Sampaoli vai entender que treino é treino e jogo é jogo.  Espero…”

Nathan: “Eu questionei a compra do Nathan, achei caro para um jogador mediano. Mas ele tem sido decisivo nos dois jogos do retorno pós-pandemia. Fez gols, teve oportunidades e parece ser um homem de confiança do treinador. Hoje eu não questionaria o Nathan mais, tem demonstrado ser bastante útil e adaptável as circunstâncias do jogo. Bom jogador até agora”.

A torcedora e ex- árbitra de futebol, Aline Cristina, analisa o lance de Alan Franco e para ela “a regra é clara!”. Confira: “Em relação à expulsão de Alan Franco, o árbitro levou ao pé da letra a regra 12 do futebol. O jogador usou de força excessiva no lance, cabendo sim a aplicação de cartão vermelho. Óbvio que a partida estava tranquila e o atleta adversário não se machucou, o que poderia levar ao árbitro a uma interpretação diferente, somente advertindo o jogador atleticano. No meu ponto de vista quem errou foi o volante equatoriano, que fez uma falta boba no meio de campo com o time ganhando de quatro a zero. Fica a lição.”

 

ARQUIBANCADA FEMININA

Horas antes da partida, o atacante Keno teve o nome publicado no BID e estreou como titular no Mineirão. O que achou de ele começar como titular?

Angélica Sheila: “Opção do treinador, que foi ousado e certeiro. Tem que colocar o cara para jogar, deu passe para Nathan marcar o gol, foi bem, mais ainda é cedo para análises concretas.”

Em coletiva, Sampaoli aprovou a chegada de Mariano. O que você achou da escolha do jogador?

Regiane Santos: “Apesar de ser um desejo do técnico Jorge Sampaoli, o lateral Mariano, que foi anunciado logo após a partida, é um jogador relativamente experiente para a função de lateral-direito, porém, o passado condena. Mariano já teve uma passagem pelo Galo em 2008 e, naquela ocasião, o jogador foi dispensado pela diretoria por indisciplina, mas foram outros tempos que talvez tenham servido de aprendizado. Que ele possa agregar ao elenco.”