O fim da era “Menino Maluquinho” no Galo

 

Bruna Vargas
18/12/2019 – 07h27
Clique e siga nosso Instagram
Clique e siga nosso Twitter
Clique e siga nosso YouTube

Luan Madson é natural de São Miguel dos Campos (AL), nascido no dia 11 de agosto de 1990, atua como ponta direita. Com passagens pelo Atlético Sorocaba e Ponte Preta, o jogador atraiu a atenção do clube mineiro, que em 2013, adquiriu 60% dos seus direitos e com um contrato inicial de quatro temporadas, era o novo atleta do Atlético.
O meia estreou pelo Galo no dia 13 de fevereiro de 2013, na vitória de 2×1 sobre o São Paulo, pela Copa Libertadores.

O MENINO MALUQUINHO:

O jeito de jogar do camisa 27 conquistou a torcida logo de cara, já na sua primeira partida pelo alvinegro, na Libertadores. Sua vontade, raça e loucura dentro de campo deu ao jogador o apelido de “Menino Maluquinho”, personagem das histórias em quadrinhos do cartunista Ziraldo.
Luan ganhou seu espaço e não demorou muito para virar uma espécie de xodó da torcida. Raça em campo e entrevistas engrandecendo o clube fora dele, faziam do jogador um representante do torcedor dentro das quatro linhas.

CONQUISTAS:

Vestindo a camisa do Galo, Luan teve um caminho vitorioso e esteve presente nas principais conquistas do alvinegro nos últimos anos. Com 305 jogos, o camisa 27 está atrás, no atual elenco, apenas de Victor e Leonardo Silva, no quesito atuações com a camisa alvinegra. São 153 vitórias, 68 empates e 84 derrotas, e 49 gols marcados.
Além ainda das conquistas do Campeonato Mineiro de 2013, 2015 e 2017, a épica Copa Libertadores de 2013, Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil em 2014, sendo nesta última, um dos principais jogadores da competição. Luan marcou o gol que levou o alvinegro a decisão, nos acréscimos, na goleada por 4×1 contra o Flamengo, no Mineirão. E na decisão, contra o arquirrival Cruzeiro, o Menino Maluquinho também deixou a sua marca. Com o gol na partida de ida, o Galo venceu por 2×0, no Independência, e ainda derrotou o rival tranquilamente no segundo jogo por 1×0, sacramentando o título da Copa do Brasil.

ALTOS E BAIXOS:

Remanescente da equipe vitoriosa de 2013/14, o meia vem vivendo altos e baixos no alvinegro e a sua relação com a torcida foi se estreitando com o passar do tempo.
As constantes lesões em 2016/17, e, consequentemente, a queda do desempenho em campo foram as principais razões da instabilidade na relação com a torcida. Além ainda de insatisfações e reclamações quando o jogador foi colocado no banco pelo técnico Thiago Larghi, em 2018, o que para a torcida, rachou elenco e acabou na saída do treinador. As atuações abaixo do esperado e a parte física deixando a desejar também foram outro ponto “baixo” do atleta nas últimas temporadas, e só raça e “carrinho”, parecem não ser mais suficientes para sustentar o jogador no Atlético. Já que negociações envolvendo o jogador quase foram concluídas e o meia já chegou bastante perto de defender o Corinthians nas últimas temporadas.

 

DE SAÍDA:

Apesar de campeão pelo Galo e xodó da torcida, ciclos se encerram e ao que tudo indica, o de Luan no Atlético também chegou ao fim. Com mais de 6 anos de clube, o Menino Maluquinho terá o Japão como casa em 2020. O atleta jogará no V-Varen Nagasaki, clube da segunda divisão japonesa. Luan viajou na última quarta-feira (11), para acertar os detalhes da transferência. O contrato inicial é de quatro temporadas e os valores não foram revelados.