Análise Arquibancada Feminina: Botafogo 2 x 1 Atlético

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Carol Castilho
Do Fala Galo, em Belo Horizonte
10/09/2019 – 11h25

Quando me lembrei que o nosso jogo da 18° rodada do Campeonato Brasileiro 2019 seria contra o Botafogo, pensei: ”jogo fácil, mamão com açúcar”. Afinal de contas, nos últimos dois jogos, ambos disputados pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, vencemos muito bem. O time do Botafogo é ridículo, para não falar coisa pior.

A confiança se tornou decepção. Só mineiro vai entender esta gíria, mas o alvinegro estava “panguando” em campo. Foi totalmente o contrário das nossas expectativas. Um dia destes estávamos em 4° lugar no Brasileirão, hoje já descemos para 8° (só ladeira abaixo) e não devemos nos acomodar e esquecer do Campeonato Brasileiro.

Enfim… Com a cabeça fria e depois de a raiva já ter ido embora dos nossos corações, vamos tentar entender o que aconteceu no Rio de Janeiro. Para tentar explicar esta partida, tive o prazer de trocar uma ideia com duas torcedoras apaixonadas: Angélica Sheila e Cecília Oliveira.

Curta mais uma edição da ARQUIBANCADA FEMININA! CONFIRA!

 

A torcedora Angélica Sheila, de 31 anos, faz uma análise da partida: “Inicialmente o Galo parecia buscar mais o jogo que o time do Botafogo, apesar de poucas chances de gols, estava tudo sob controle. Com a saída de Jair e a entrada de José Welison, o meio de campo ficou vulnerável. Logo após o pênalti e a expulsão de Igor Rabello o time desandou, passou a jogar com medo em certos momentos e de maneira displicente em outros. O Botafogo não veio com sangue nos olhos, mas veio disposto a vencer. Não achei que jogou tanto ao ponto de demonstrar raiva pela eliminação, aliás, a história do jogo poderia ter sido outra se o juiz não tivesse expulsado o Igor Rabello e marcado um pênalti que, ao meu ver, foi inexistente”.

MELHORES EM CAMPO: “Réver e Wilson”

PIORES EM CAMPO: “Cazares e José Welison”

A atleticana Cecília Oliveira, de 34 anos, também opina sobre a partida: “O Galo começou bem o jogo, mas… É interessante como essa frase está repetitiva em análises de jogos do Galo. Realmente, mais uma vez vimos o time dominando o início do jogo, com mais posse de bola, mais finalizações, melhores jogadas, anulando completamente o adversário, mas então acontece algo que muda o jogo completamente para o Galo. Ontem foi a entrada do Zé Welison. A dinâmica do jogo se alterou completamente e ele entrou desligado, em outro ritmo. Começou a dar tudo errado exatamente em um lance dele, onde ele perdeu a bola no ataque e, na sequência, aconteceram os lances que resultaram nos cartões para os dois zagueiros, além do pênalti para o Botafogo. Não achei pênalti, mas não vou dizer que a derrota do Galo foi culpa desse erro da arbitragem. Por mais que tenha criado chances e tido boas oportunidades, o time do Galo não merecia fazer um gol no primeiro tempo. Foi um time desinteressado em campo, sem pegada e sem raça.

Por mais que a fase não seja boa e o jogador pareça desinteressado, Cazares é o jogador que mais tenta e é  quem pode fazer a diferença numa jogada. Vina também tentou bastante, como sempre. Jair, pra variar, era o melhor enquanto esteve em campo. No mais, todos abaixo da média”.

A professora acredita que o Galo se esqueceu completamente do Brasileirão 2019: “Infelizmente. Poderíamos estar brigando no G4 se o Galo não tivesse tido esses tropeços tão questionáveis. Acho realmente que o time deixou, mesmo que não oficialmente, o Brasileirão em segundo plano. Acredito que seja arriscado, pois temos pela frente um time argentino pela semifinal da Sul-Americana e time argentino nunca é fácil. A final é em jogo único, ou seja, não se pode errar. Então, acho que desnecessariamente o time colocou um peso maior na Sul-Americana” finalizou.

 

ESTREIA DO GOLEIRO WILSON

Foto: GE

Angélica: “Muito boa, fez ótimas defesas e não comprometeu o time, mostrou-se seguro”.

Cecilia: “Não achei ruim, apesar dos dois gols. Antes do pênalti ele tinha feito uma ou duas boas defesas, mas não veio pra disputar posição, isso é claro. Veio apenas pra fechar um buraco com a lesão do Victor”.

 

ARQUIBANCADA FEMININA

Carol Castilho: O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) determinou que atitudes homofóbicas em estádios, como o grito de “bicha” no tiro de meta, são passíveis de punição e podem custar três pontos na tabela . Vocês acham que o futebol está ficando chato?

Cecilia: “Sim, o futebol está ficando chato. Vi alguém no Twitter dizer que daqui a pouco será proibido fazer gol, pois isso ‘machuca’ o adversário. Vejo essa ‘lei’ como uma linha muito tênue e perigosa.   Será que quando os torcedores se irritarem com o árbitro e o mandarem tomar no ** será algo considerado homofobia?! E com a CBF?!  E quando falam mal de veado?! É realmente esse tipo de ação que vai combater a homofobia?! Realmente acho que existam medidas muito mais eficazes para tal. E outra, quem define que tipo de grito é homofóbico?! O juiz?! Porque o que apitava o jogo do Vasco parou a partida, mas outros, não. Não existe um padrão, parece ser interpretativo pelo árbitro. Ou seja, uma linha tênue e perigosa.”

Angélica: “Polêmico isso. Se analisarmos pelo politicamente correto seria certo, querendo ou não, gritos homofóbicos denigrem e atingem a imagem de quem sofre, a questão é o clube perder pontos em razão de torcedores que não respeitam, é uma punição que atinge a todos, infelizmente.

Isso é o de menos para dizer que o futebol está ficando chato, acho que primeiramente passa pelas federações que proíbem coisas como bandeira, mascote, crianças entrando com jogadores, etc. O chato vem de proibir espetáculos, proibir preconceitos acho justo, somente a punição que não sei se está sendo feita do modo correto.”

 

Siga nossas redes sociais e fique por dentro dos bastidores do Atlético.

Facebook: facebook.com.br/falagalo13
Instagram: instagram.com.br/falagalo13
YouTube: youtube.com.br/falagalo13
Twitter: twitter.com.br/falagalo13
Site: falagalo.com.br

Revisão: Jéssica Silva
Edição: André Cantini 

Angel Baldo

Mineiro de nascença, mas Paulista de criação. 30 anos, Administrador e Engenheiro Mecânico. Atualmente residindo na cidade de Uberlândia.

11 comentários em “Análise Arquibancada Feminina: Botafogo 2 x 1 Atlético

  • 10 de setembro de 2019 em 12:47
    Permalink

    Na verdade o Galo està totalmente sem controle.o entregador de camisas veio da base e como bem disse ontem o Amigo Galo Roberto ele nâo utiliza nenhum garoto da base no time!inexplicavel.ou entâo tem alguèm escalando o time(o que eu acredito).o Neto joga mais que todos os volantes do time e nem no elenco profissional està.o cazares apronta e nem chamado atençao è.jogadores com atuaçôes regulares sâo retirados do time enquanto o pastor,elias e fsantos nunca saem.na minha opiniâo o Geovânio jogando no meio è melhor que o cazares ou qualquer outro do elenco.nâo falo dos meninos da base pois eles nunca jogam,entâo nâo tem como avaliar.o Di Santo merece uma chance iniciando uma partida.em 45 minutos jogando fez um gol;o pastor fez o mesmo nùmero de gols em 900 minutos!e achei,pela movimentaçâo,toque de bola e posicionamento,vai nos ser ùtil.

    Resposta
  • 10 de setembro de 2019 em 14:09
    Permalink

    Minha avaliação é o seguinte: O time titular é limitado e os reservas muito fracos.
    Ex disso é a saída do Jair e teve que entrar o horrível Zé Welison no ataque se juntar tudo não da um, é um pior que o outro.
    É sonhar com o título da Sul Americana mas torcendo com os dois pés no chão, é nossa copa do mundo se for campeão vou ficar muito feliz e perder vai ser mais uma DECEPÇÃO DESSE BANDO DE PIPOQUEIROS QUE DESDE 2016 NÃO GANHAM PRATICAMENTE NADA.

    Resposta
  • 10 de setembro de 2019 em 15:44
    Permalink

    Parabéns pela analise do jogo, mas o galo esta jogando assim já faz algum tempo, esperando o adversário atacar para ai roubar a bola e fazer o lance de ataque, vale ressaltar que vencer este nosso ideal. Invencibilidade é a arte de saber defender, vitória é a arte de saber atacar este é o diferencial do galo, saber atacar. O assunto homofobia em campo de futebol está um assunto chato, que o STJD deveria olhar os erros da arbitragem e VAR, Homofobia nos estadio creio ser o estado de direito e dever de acertar.

    Resposta
  • 10 de setembro de 2019 em 15:53
    Permalink

    Essas torcedoras do Galo nasceram agora e não têm noção de quem seja o Botafogo. Basta buscar a estatística e vai vender que galo sempre foi depenado quando enfrenta o Botafogo (48 vitórias contra 33). Um desequilíbrio na balança foi coisa recente. E, aliás, é bom que saibam: as cores do Atlético Mineiro foram inspiradas no Botafogo. E o maior ídolo da história do Atlético, Rei Reinaldo, é alvinegro (carioca) de coração.

    Resposta
  • 10 de setembro de 2019 em 17:50
    Permalink

    J. WELLISSON FALHOU FEIO CONTRA O BOTAFOGO , MAS
    NÃO É TITULAR E ESTÁ PAGANDO POR TODOS OS PECADOS DE ELIAS , R.OLIVEIRA , CAZARES , F.SANTOS , CHARÁ E OUTROS QUE VEM FALHANDO SISTEMATICAMENTE HÁ ANOS , E ENTERRANDO O GALO NESSE FUNDO DO POÇO QUE ESTAMOS.
    ATENÇÃO GALERA , COM OS VERDADEIROS CULPADOS.

    Resposta
    • 10 de setembro de 2019 em 18:19
      Permalink

      Boa noite Paulo Roberto e amigos do Galo. Sinceramente eu não entendo a gestão do NOSSO GALO, jogadores que não rendem nada, não ganham nada, não mostram raça e não honram a camisa do NOSSO GALO, chegam e ficam durante anos sendo titulares ou ficam fazendo parte do elenco principal. Outros se destacam na base e simplesmente não tem oportunidade real, Bruninho por exemplo, nas poucas vezes que entrou jogou bem, mas aí passou a não ser nem relacionado.
      Entre os que se tornaram ativo imobilizado do Galo estão Fábio Santos, Elias, Ricardo Oliveira, Cazares e Xara, que independentemente do que apresentam em campo são titulares.

      Resposta
    • 10 de setembro de 2019 em 18:28
      Permalink

      VC SEMPRE PEDE PRA COLOCAR O JOSÉ WELISON NO LUGAR DO ELIAS. TAÍ O RESULTADO DO SEU PEDIDO. JOSÉ WELISON ENTROU, E ENTREGOU OS DOIS GOLS. ACHO QUE O VERDADEIRO CULPADO É VC, QUE NÃO SABE PORRA NENHUMA DE FUTEBOL.

      Resposta
      • 10 de setembro de 2019 em 19:25
        Permalink

        REALMENTE , VOCÊ ENTENDE MUITO DE FUTEBOL. J. WELLISSON É O RESPONSÁVEL POR ANOS DE
        VEXAMES E ELIMINAÇÕES QUE O GALO VEM TENDO , MESMO NA RESERVA E ELIAS COMO TITULAR.
        VOCÊ DEVE SER CRUZEIRENSE PARA APOIAR ESSES PERNAS DE PAU DO
        ELIAS , R.OLIVEIRA , F.SANTOS E OUTROS.

        Resposta
  • 10 de setembro de 2019 em 20:15
    Permalink

    Ridículas são essas retardadas achando que entendem de futebol. Aguardem nova pancada no galinheiro.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *